O Mundo Está Numa Crise De Confiança

laitman_272Opinião (Yaroslav Romanchik, presidente do Centro de Pesquisa Científica Mises): “O dinheiro não pode comprar o amor – um bem insubstituível para manter as famílias felizes. Bem-estar econômico não é suficiente para isso. Nós precisamos de confiança, que não pode ser comprada com dinheiro. A confiança só pode ser formada e ‘montada’ com cuidado a partir de minúsculos grãos sob controle cauteloso do senso comum e um coração generoso. A confiança é especialmente necessária para superar a crise.

“Um marido não pode repor a falta de confiança simplesmente assinando um cheque para sua esposa. Quando o negócio está em crise, o mero aumento da linha de crédito não vai resolver o problema; pelo contrário, ele provavelmente irá agravar a situação.

“Obviamente, os governos não podem se livrar de crises aumentando os empréstimos, vendendo a “prata de sua casa” e/ou reduzindo as receitas nacionais.

“Nós estamos precisando de muita confiança: entre investidores e bancos, instituições financeiras e mutuários, empresas e autoridades, cidadãos e governos, consumidores e fabricantes, pessoas comuns e líderes políticos, público em geral e empresas, meios de comunicação, organizações comunitárias, etc. A fim de sair da crise, nós precisamos de autoridades morais poderosas. A lista das pessoas mais influentes não coincide com a classificação das pessoas mais ricas publicadas na Forbes -500”.

Meu Comentário: As pessoas não vão confiar umas nas outras se forem regidas pelo egoísmo; cada um de nós deseja o bem apenas para si mesmo. Só o medo de que vamos nos prejudicar ainda mais nos impede a destruição mútua. Nós podemos confiar apenas naqueles que nos amam, como crianças nos braços de suas mães.

Se sob a influência de uma educação integral, nós conseguirmos transformar em amor o nosso inexplicável (natural) ódio pelo outro, então isso, no final, irá descer ao nosso mundo. A natureza preparou o método deste processo para nós. A questão é se isso vai acontecer antes ou depois de admitirmos nosso ódio  mútuo infundado.

Comente