O Acelerado Pulso Do Tempo

Dr. Michael LaitmanPergunta: Todos nós sabemos que a sensação de tempo é muito subjetiva. Como é possível que quando uma pessoa tem que tomar uma decisão importante, o tempo é esticado e ela passa por muitos estados e pode considerá-los?

Resposta: Isso é verdade, muitas pessoas experimentam este fenômeno. Mesmo em nossa vida comum, às vezes nós sentimos que o tempo é expandido, e às vezes ele voa e é comprimido.

Se eu me divirto, o tempo passa despercebido, e se não me divirto, não posso esperar que o tempo passe.

Mas o tempo é ainda mais subjetivo do que pensamos. A questão é se nós pudéssemos sentir o tempo, se não vivêssemos de acordo com nosso pulso que é de 80-90 batimentos por minuto, ou de acordo com o nosso ciclo de respiração, que é cerca de 16 a 20 respirações por minuto. Se não houvesse o ciclo das estações do ano nos níveis inanimado, vegetal e animal da natureza, será que nós poderíamos perceber o tempo no nível falante, em nossos sentimentos? Provavelmente não.

Talvez nós percebamos o tempo como o fazemos, porque esta é a maneira que nós existimos no nosso nível físico, animal, que é influenciado pela nossa percepção humana da realidade e determina a nossa percepção da vida e da realidade. Uma pessoa se desenvolve e sente a conexão com seu passado, presente e futuro.

Em contraste com o ser humano, um animal vive no presente, mas ainda está ligado de alguma forma ao futuro e é capaz de senti-lo. Os animais sentem o futuro de uma maneira muito mais clara que os seres humanos porque estão conectados à natureza. Todas as possíveis formas futuras já existem na natureza, mas estão ocultas de nós.

Se nós conseguirmos anular o nosso desejo de receber, seremos capazes de transcender de uma percepção subjetiva para uma percepção mais objetiva do tempo, e então seremos capazes de sentir o futuro. O único problema é que estamos em nosso desejo egoísta. Mas se nós conseguirmos superá-lo e subirmos acima dele, o conceito de tempo, espaço e movimento pode ser totalmente invertido e não ser um obstáculo em nossa percepção.

A pessoa que tenta se libertar do seu ego e ascender acima dele, começa a pensar que se todo o universo — toda a matéria inanimada, vegetal, animal e o nível dos seres humanos — está no desejo de receber, deve haver uma força contra ele, o que significa o desejo de doar e preencher aquele desejo de receber. Então, ela quer conhecer esta força e transcender do nível de quem recebe o prazer para o nível de quem quer proporcionar prazer.

Ascender acima do nosso desejo de receber significa ascender acima da nossa natureza. Será que é possível sair da estrutura do universo, transcender o momento do Big Bang e retornar ao estado que o precedeu, à força que criou a criação?

De repente, nós percebemos que para fazer isso não precisamos voar até estrelas distantes ou explorar outros mundos. Nós encontramos tudo isso bem aqui onde nós estamos, dentro de nós. É porque uma pessoa percebe tudo de forma subjetiva. Portanto, quando eu trabalho na percepção da minha realidade, na minha atitude para com o que está acontecendo aqui e agora, eu posso executar exercícios com os quais vou ser capaz de ascender acima do meu desejo de receber, porque não existe nada, exceto eu, e tudo só existe na minha percepção.

Eu serei capaz de controlar meu desejo de receber, sair dele e restringi-lo, o que significa que não vou permitir que ele opere egoisticamente, mas o transformarei na força que me motiva.

Ascender acima do meu desejo de receber significa adquirir o desejo de doar, a fonte da qual o desejo é preenchido. O desejo de doar é a força que causou o Big Bang e forneceu a centelha da qual nosso universo se desenvolveu. Esta é a força que criou toda a matéria e a preenche.

Na verdade, esta força está em toda parte, uma vez que sustenta e opera a matéria, mas ela está oculta de nós. Nós só percebemos os seus resultados, a força de atração e rejeição. Cada ação tem lugar em consequência dessa força, dessa centelha de energia superior que é a fonte da vida.

Enquanto eu existir no meu ego, o tempo é o meu pulso que é totalmente subjetivo e existe apenas enquanto estou vivo. Mas se eu quiser subir acima do tempo, então não há nenhum problema, pois tudo o que tenho a fazer é simplesmente subir acima do meu desejo.

De KabTV “Uma Nova Vida” 17/04/14

Comente