O Progresso É Sem Sentido E Impiedoso

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (Expert): “Até a década de 1960, a sociedade ocidental tinha alcançado um alto nível de consumo, e as pessoas entendiam que o dinheiro não era a principal medida de felicidade.

“Assim, o conceito de qualidade de vida multidimensional nasceu, que, além da renda, é determinado pela segurança, o acesso ao conhecimento, o desenvolvimento da medicina, a expectativa de vida, as condições ambientais, etc.

“Mas como estes diferentes números poderiam ser reunidos? Os cientistas propuseram passar de indicadores objetivos para subjetivos, medidos por pesquisas de opinião pública. Mas eles dependem da medição do estado da pessoa em relação ao estado do seu vizinho, e verifica-se que aqueles que não vivem perto dos ricos são mais felizes.

“Do ponto de vista subjetivo, a qualidade de vida das pessoas no último milênio não tem crescido, mas caiu por causa da diferenciação da população de acordo com o nível de consumo no antigo Egito ou na França medieval, que foi menor do que é agora.

“Isto é, do ponto de vista subjetivo, não há progresso. Além disso, a disseminação de inovações causa desigualdade em termos de consumo, insatisfação e conflito.

“O progresso, ao invés de melhorar a qualidade de vida, a reduz devido à desigualdade crescente e à estagnação e, ao contrário, estabiliza a sociedade. O desenvolvimento é um processo sem sentido, semelhante a um cachorro correndo atrás do próprio rabo, que nada produz além de inveja e sofrimento”.

Meu Comentário: Não podemos parar o progresso. O seu papel é nos conduzir à reflexão sobre a falta de sentido da nossa existência, de modo que, tendo perguntas sobre o sentido da vida, nós avançamos para revelar o Criador.

Comente