Não Conserte Um Motor Enferrujado

laitman_547_05Pergunta: A questão do salário mínimo atinge as manchetes cada vez mais. Este é um assunto de crescente interesse não só em Israel, mas também em outros países. Nós gostaríamos de examinar esta questão não de um ponto de vista econômico, mas de um ponto de vista social. Afinal, o salário mínimo pode dizer muito sobre nossa sociedade e suscita uma série de problemas relacionados com as relações sociais em nosso país.

Como um conselheiro em matéria de emprego, eu posso ver pessoalmente como a classe média é gradualmente reduzida para a categoria daqueles que vive com o salário mínimo. De um modo geral, nós falamos quase de um terço dos trabalhadores que recebem salário mínimo ou um pouco mais do que isso. Trata-se de um milhão de pessoas, incluindo pessoas que são altamente educadas, professores, jovens arquitetos, assistentes sociais, etc. Hoje, muitas pessoas têm dificuldade de pagar as contas por causa do baixo salário que recebem.

Há muitos debates no que se refere a esta questão que também inclui aspectos morais: existe aí um ponto em criar uma igualdade imposta, artificial? Ou melhor, nós devemos manter as leis do mercado livre em todos os aspectos?

Os economistas também acham difícil chegar a um acordo sobre esta questão. Alguns afirmam que um alto salário mínimo aumenta o desemprego e enfraquece a economia. Outros acreditam que estas afirmações não têm qualquer fundamento. Sete ganhadores do Prêmio Nobel, por exemplo, negam a conexão entre o desemprego e o salário mínimo, e creem que elevar o salário mínimo beneficia a sociedade. Qual a sua opinião sobre este assunto?

Resposta: Eu me envolvo com diferentes tipos de sistemas. Leis diferentes das aceitas na sociedade moderna os controlam. Estas são as leis da natureza e não leis artificiais deste mundo que são impostas pela rivalidade egoísta.

Portanto, eu acho difícil lidar com uma estrutura completamente podre da sociedade onde “cão come cão”, e todo mundo odeia o outro e vê os outros como seu inimigo. Em tais circunstâncias, é impossível dar qualquer conselho sobre questões específicas, já que todo o sistema é sem esperança. A única coisa que podemos fazer é nos livrar dele e criar algo novo.

Por outro lado, já vimos como o velho mundo está sendo arruinado sem nada novo a ser construído que seja melhor de qualquer forma. Afinal, a estrutura ainda permanece com a mesma base egoísta.

Hoje estamos sujeitos à economia de mercado que funciona de acordo com suas próprias regras. Isto significa que o empregador normalmente quer pagar menos para seu funcionário e realmente não lhe dar nada de salário por um turno de 24 horas, sem pausas ou feriados. O empregado, por outro lado, gostaria de não trabalhar de forma alguma, mas apenas receber um salário em sua conta bancária e não o salário mínimo para essa questão, mas um salário máximo.

Em tais circunstâncias, uma sociedade existe à custa do potencial competitivo de seus membros. Todos tentam obter tanto quanto podem através dos jogos de poder, negociações, acordos e muitos outros fatores.

Por exemplo, existem leis trabalhistas e autoridades policiais, sindicatos e comissões de trabalhadores, etc., que operam entre o empregador e seus empregados. Todas as partes envolvidas também querem se beneficiar com o que está acontecendo e ninguém quer que acabe.

Afinal, empresas, grupos e organizações que são as partes interessadas estão ainda pensando só em si, mesmo que tentem lutar pelos direitos dos trabalhadores, empregados e classes mais baixas, tentando ganhar para eles um salário mínimo, fundos de pensões e outros benefícios. Essas pessoas têm bons empregos e recebem a sua parte, e, em outras palavras, também operam egoisticamente.

Nesse caso, não há ninguém de quem possamos exigir uma correção. É impossível corrigir apenas uma parte do mecanismo. Se temos que mudar uma determinada parte neste motor enferrujado por outra parte feita de ouro, que é perfeita em cada parâmetro, na melhor das hipóteses será inútil e, na pior das hipóteses, a parte reparada na verdade vai romper todo o sistema ainda mais.

Eu me lembro quando uma garota com quem estudei decidiu limpar parte da janela no apartamento onde morava com uns amigos meus. Como resultado, descobrimos que agora tínhamos que limpar toda a enorme janela, que era praticamente do tamanho de toda a parede. Então a luz entrou na sala e descobrimos que toda a sala precisava de uma boa limpeza.

Em suma, se temos a intenção de corrigir alguma coisa, temos que considerar todo o sistema. É todo um sistema e cada parte nele está mutuamente conectada com as outras partes, e é impossível isolar o salário mínimo como um único fator de sucesso. Temos que abordar todo o sistema integralmente e agitá-lo bem. Em outras palavras, temos que desmontá-lo e colocá-lo junto novamente. Nenhuma correção individual ajudará o quadro geral.

De KabTV “Uma Nova Vida” 23/12/14

Comente