Israelenses No Egito

laitman_557O Midrash, “Beshalach“: …Além disso, a nuvem lançou trevas sobre o acampamento egípcio, a fim de proteger os filhos de Israel. A praga das trevas no Egito durou apenas seis dias (e não sete como as outras pragas). O Senhor reservou o sétimo dia de trevas precisamente para tal caso.

Quando os egípcios avançaram ao longo do seu caminho no escuro, amaldiçoando e atirando flechas, a visão do acampamento judaico, que é iluminado pela nuvem do Criador, apareceu diante deles, e os filhos de Israel comeram, beberam, louvaram e glorificaram o Criador.

Todo esse teatro é dentro de uma pessoa. Tudo depende do ponto de vista de uma pessoa, como ela vê o que está acontecendo. Se for a partir da perspectiva de seus atributos egoístas, ela fica muito aborrecida, mas se for a partir da perspectiva dos atributos altruístas, ela come, bebe, e então está tudo bem.

No entanto, o movimento para frente e o avanço são, na verdade, baseados na unidade dessas duas tendências opostas: o egoísmo e o altruísmo; não pode haver um sem o outro. Até mesmo a entrada no Mar Morto (Yam Suf) está sob a influência das duas forças.

Na verdade, nós nunca nos separamos de nossos atributos egoístas não importa como podemos chamá-los: egípcios, Egito ou Faraó. Tanto estes atributos como outros passam por diferentes transformações ao mesmo tempo. Como foi dito anteriormente, alguns comemoram e alguns enlouquecem. Os dois atributos estão numa pessoa, um oposto ao outro.

Escapar do Egito significa querer que suas forças altruístas o dominem. No entanto, elas não podem dominá-lo de tal forma que você cederia a elas e não desejaria saber de nada. Não! Você deve estar no seu atributo egoísta acima de qualquer atributo altruísta.

Eles nunca se separam. Mesmo se for dito que alguns deles escaparam e outros se afogaram, eles permanecem, mas num estado morto, até que despertam em você mais uma vez e lhe atraem em sua direção. No entanto, eles não podem desaparecer e sempre estão prontos para a ação.

Os desejos egoístas não desaparecem até a última correção. Depois, eles mudam completamente, como está escrito: “…o anjo da morte se torna um anjo santo…”.

Assim, os israelenses não podem existir sem os egípcios porque um não pode existir sem o outro.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 30/04/14

Comente