A Geração De Desempregados Da Europa

laitman_926_02Nas Notícias (de Today’s Zaman): “O desemprego dos jovens é uma preocupação particularmente séria, mesmo em países com outras estatísticas positivas sobre o emprego; em países com as piores condições no mercado de trabalho, isso representa uma fonte potencial de instabilidade social e política. A participação no mercado de trabalho não está ligada apenas aos níveis de renda, mas também à autoestima, inclusão social e status social…

“Na Espanha e Chipre, mais de 90 por cento das pessoas em cargos temporários não podem encontrar emprego permanente. …Além disso, embora a Suécia tenha uma das maiores taxas de emprego da UE, não foi capaz de resolver o seu problema de longa data do desemprego juvenil, que atualmente é de 23 por cento. Na Espanha e na Grécia, o desemprego dos jovens é superior a 50 por cento, e essa situação não é muito melhor em países como Chipre, Portugal, Itália e Croácia.

“Na UE como um todo, o desemprego dos jovens atingiu um desanimador 21,9 por cento em novembro. De acordo com um estudo, isso custa a UE 150 bilhões de euros (183 bilhões de dólares) por ano em salários perdidos e despesas, além do dano sofrido por muitos jovens que não conseguem encontrar trabalho”.

Meu Comentário: Não haverá trabalho, mas a contratação de desempregados depende dos governos. Emprego e trabalho não são a mesma coisa. As pessoas precisam estar ocupadas ou vão enlouquecer. Os judeus inventaram lições para si durante todo o tempo livre: estudo, educação.

Todos os desempregados devem ser enviados à “Escola da Vida” em turno intergal, para transformá-los numa massa educada que se torne responsável pela educação da geração mais jovem, alunos, que se tornarão os tutores de uma nova sociedade.

Comente