O Direito De Escolher, Parte 3

laitman_269Era uma vez um país governado por um rei cuja palavra era lei e obrigatória para todos, sem exceção. E foi assim que a humanidade progrediu até o século XX seguindo cegamente um líder que estava acima de tudo e dava ordens: esquerda, direita, para frente, para trás. A pessoa não tinha livre arbítrio; ela era impulsionada apenas por golpes.

No entanto, chegou o momento em que nós somos convidados a chegar a um acordo com o programa da natureza. Nós devemos compreendê-lo e, de acordo com o nosso livre arbítrio, vamos com ele. Neste novo modelo de sociedade, cada pessoa é seu próprio rei.

Pergunta: Todo mundo tem seu próprio egoísmo, e todo mundo puxa todo mundo para o seu lado. É claro que é impossível chegar a um bom resultado se todo mundo se sente como um rei. Como pode alguma estabilidade pode ser alcançada nesta superestrutura instável, onde cada um está buscando apenas o seu interesse estreito, ignorando os outros? Quando não podemos concordar com os vizinhos, não é tão ruim. Quando esse transtorno abrange todo o país e todo o mundo, o que nos espera depois?

Resposta: Então nós estamos aguardando um desastre, a menos que forneçamos uma nova educação para todos, ensinando-lhes sobre o sistema integrado, de modo que as pessoas entendam o mundo em que vivem hoje. Afinal de contas, elas não sabem.

Os políticos participam das eleições se preparando para dirigir a sociedade, mas eles não entendem a sociedade moderna ou o mundo moderno em que ela existe. Ninguém entende isso, não importa qual seja o seu partido, de um extremo ao outro. Nenhum deles sabe em que tipo de mundo nós vivemos.

Pergunta: Como é possível governar uma sociedade onde todo mundo se sente como um rei?

Resposta: É possível se cada um se sentir responsável por todos, enquanto sente toda a elevação e poder, como o pai das crianças. Um rei não é um vilão que fica sentado todo o dia e desfruta tudo à custa dos cidadãos. É um trabalho duro ser um rei.

Algum tempo atrás eu li sobre a rotina diária da rainha da Inglaterra; ela não tem um momento livre: compromissos, reuniões, visitas a creches, viagens para outras províncias. Ela não pertence a si mesma, mas executa seus deveres. E tem sido sempre assim; não devemos pensar que os reis apenas se divertiam em bailes, como descrito nos romances.

Pergunta: Se o povo de Israel deve servir de exemplo ao mundo inteiro, isso significa que o seu líder tem uma missão muito importante?

Resposta: Certamente. O homem que está na cabeça da sociedade israelense deve entender o programa da criação, o programa da natureza, e conduzir o povo de Israel ao jogo preciso do seu lugar neste programa.

Assim era desde o momento da construção do Primeiro Templo até a destruição do Segundo Templo. Naquele tempo o povo de Israel tinha líderes que alcançaram o programa de criação, a força que age dentro da natureza. Eles sentiam essa força superior, entendiam e trabalhavam com ela.

Quando uma pessoa olha para o mundo, é preciso ver as forças que agem no mundo. É preciso ver o programa global onde estas forças agem no futuro por vários anos, até o fim da correção. É dever do líder, e é por isso que o povo de Israel foi conduzido pelos Cabalistas, pessoas com a realização espiritual.

Pergunta: Há algumas qualidades especiais que se deve possuir para ser tal líder?

Resposta: Claro. Uma qualidade muito simples é necessária: “ama o próximo como a ti mesmo”. Isso é tudo.

Pergunta: O que significa “ama o próximo”?

Resposta: Significa que o líder deve amar os outros, pelo menos tanto quanto a si mesmo. A pessoa é obrigada a ter a propriedade de doação absoluta.

De KabTV “Uma Nova Vida” 09/12/14

Comente