Limite Ilimitado do Egoísmo

Dr. Michael LaitmanA natureza inanimada, vegetal e animal age como planejado. Não há livre arbítrio. Plantas e animais são limitados em sua capacidade de destruir o mundo e não têm demandas excessivas.

Eles não precisam de dez equipamentos; não precisam de instalações de armazenamento de comida, e não precisam exercer o poder sobre a floresta ou a selva. Cada animal tem seus limites naturais, seu próprio território e sua própria família.

Mas, de repente, algum “rabinho” sai do nível animal para o nível humano. Uma pessoa é diferente dos outros níveis devido a uma força negativa de desenvolvimento pronta para destruir tudo, de modo que somente esta força possa se sentir bem.

Não há nenhuma força boa numa pessoa, e não há qualquer impulso para a unidade, tudo está concentrado no ganho pessoal, no sucesso pessoal à custa dos outros, mesmo que isso lhes custe a vida.

Na natureza, as espécies se devoram apenas por comida, para sustentar a vida. Uma pessoa requer alimento espiritual; ela é inquieta, enquanto outras têm algo de bom. A pessoa quer ser a única que está bem.

Ela é consumida pela inveja, luxúria, vaidade, ódio, desejo de poder, o poder da força individualista negativa. É negativa porque conduz ao confronto mútuo, não por uma questão de subsistência, como ocorre com os animais.

Essa força não conhece limites. Todo mundo gostaria de deixar certo número de pessoas e transformá-las em robôs, totalmente sob seu controle. “Caso contrário, por que elas existem, se não para mim? Deixe-as obedecer e servir-me totalmente, deixe-as viver apenas para louvar e exaltar-me”.

Acontece, que no nível mais elevado da natureza uma criatura especial passa a existir, uma pessoa deste mundo, com uma força negativa crescendo internamente.

Nos níveis mais inferiores, a força positiva age automaticamente junto com a negativo. As próprias restrições vitais são positivas. Por outro lado, de geração em geração, as pessoas ganham maior potencial destrutivo.

A negatividade de uma pessoa é um tipo diferente de qualidade: a pessoa quer governar sobre as outras, deseja a excelência e a grandeza para si mesma nos séculos vindouros. “Napoleão ainda é lembrado, e eu quero ultrapassá-lo, de modo que serei lembrado por milhares de anos”.

Não há limites para o nosso egoísmo. O egoísmo está pronto para acabar com todos, pronto para destruir todo o planeta e a si mesmo junto com ele. Tal é a força negativa de uma desconexão.

Por outro lado, o desenvolvimento do universo, da terra, e da natureza nela, indica que nos falta a força positiva de conexão, doação aos outros e equilíbrio. Mas não apenas em um nível de troca material.

Primeiro nós temos que corrigir a nossa atitude, a nossa abordagem, nosso coração que está completamente envenenado pelo egoísmo. É necessário adicionar uma boa parte, corrigir nosso modo de pensar, nossos critérios, a forma como olhamos para as coisas, tudo o que sentimos, tudo o que nos leva a responder.

Meu desejo, minha mente e meus sentidos precisam de correção, adição, satisfação e equilíbrio. Este maluco “leme esquerdo” da separação negativa, eu quero equilibrar com o “leme direito” da unidade positiva. Nós não podemos permitir que o desequilíbrio ocorra em um modo ou de outro; o equilíbrio é o que é necessário aqui. Afinal de contas, o saldo de duas forças nos dá o desenvolvimento da vida.

Pergunta: O que vai acontecer com o meu desejo de ser o dono do mundo?

Resposta: Você vai sentir que o mundo inteiro é seu. Todo o sistema será sentido, compreendido e destina-se para o seu trabalho. E agora, você forma o mundo inteiro, de fato, todos os mundos, universos paralelos, e mais.

Pergunta: Será que isso significa que a força positiva não me limita?

Resposta: Pelo contrário, é a força da verdadeira dimensão em largura, sem receber nada em troca. Eu saio de mim mesmo, de minhas limitações, e assim vejo os fenômenos naturais que não foram anteriormente reconhecidos.

Afinal de contas, eu sentia tudo em meu egoísmo, e ao sair com a ajuda da segunda força, eu vejo o que realmente ocorre na natureza, além da percepção dos cinco sentidos, além do alcance limitado dos instrumentos de medição. Eu sinto a natureza como ela é.

Ao contrário dos animais, essa força positiva não nos limita. Em vez disso, nós somos limitados pela força negativa que faz com que cada um de nós se beneficie de todos ao seu redor. Eu sou sempre limitado em relação à visão do mundo, não compreendo nada do lado de fora, e considero tudo pelo prisma do ganho pessoal.

É possível, em tais condições, apreciar a beleza, ver algo de bom, perceber alguma coisa? Não. Há um desejo constante em direção à recepção que me atormenta, um desejo infeliz. Eu só não sei como olhar objetivamente para o mundo.

No entanto, de acordo com o programa da natureza, nós temos que começar a encontrar a força boa e positiva para o equilíbrio global. E se estamos atrás, nós imergimos de forma constante e metódica em problemas, pois nossas vidas se tornam mais desequilibrado.

Pergunta: Como se parece o equilíbrio necessário das duas forças numa condição ideal?

Resposta: Eu uso a força de recepção num estado de equilíbrio, tomando tudo o que os outros me dão. Por outro lado, eu dou às pessoas tudo o que é exigido de mim.

Assim, toda a abundância que existe na realidade passa por mim, e eu me sinto realmente realizado e perfeito. Eu alcanço e sinto tudo o que existe em todos os mundos, nos universos paralelos e assim por diante.

Tudo o que passa por mim vai para os outros, e, assim, eu vivo uma vida eterna na fase de um Homem (Adão). Agora eu existo juntamente com todos os outros nestes sistemas. Deixe meu corpo morrer, mas eu não morro, minha mente está viva e ainda vê a vida através de um sistema comum. É assim que a vida eterna é alcançada.

Pergunta: Pode cada um obter uma consciência eterna?

Resposta: Qualquer um que queira. No final, todos nós vamos conseguir isso, mas de maneiras diferentes: alguns intelectualmente e com conhecimento de causa e alguns “sob coação”.

Em conclusão, o homem hoje é o pior de todos os animais. Não é à toa que ele foi criado por último. É preciso se satisfazer e recompensar. É assim que uma pessoa alcança o estágio da “coroa da criação”.

De KabTV “Uma Nova Vida Nova” 02/03/14

Comente