Eles Já Estão Cansados De Esperar Por Nós No Segundo Andar, Parte 1

laitman_940Nós somos o resultado da quebra que deixou essa brecha entre nós, que ninguém mais sente o outro, apesar de toda a humanidade fazer parte da alma de cada um. Ninguém pode imaginar que somos uma só alma e que temos que corrigir as relações entre nós, de tal forma que não haverá diferença entre a forma como uma pessoa se sente e o jeito que sente os outros.

Além disso, nós temos que chegar ao “ama o próximo como a ti mesmo”. Eu deveria amar os outros mais do que amo a mim mesmo, assim como amo a mim mesmo agora, fazendo-me sobressair entre outros. Isso significa que eu tenho que subir totalmente acima do meu desejo de receber e ver toda a verdadeira realidade.

Nós continuamos falhando neste trabalho, e por isso temos que nos ajudar constantemente e encorajar uns aos outros. Uma pessoa não pode despertar a si mesma; apenas os amigos podem despertá-la para a conexão.

A conexão tem que ser plena, e é de toda essa conexão que nós aprendemos e atingimos os atributos do Criador. É porque nós nunca podemos aprender o verdadeiro fenômeno que ocorre em nossos vasos, mas apenas as impressões e a sensação que certo fenômeno evoca em nós e nos vasos verdadeiros.

A alma está cheia de Luz, embora não sintamos a verdadeira Luz, mas sim a reação do vaso a ela, a impressão do vaso. É como os instrumentos em nosso mundo funcionam: o mostrador se movimenta num instrumento e o instrumento responde ao efeito de certa força. Nós identificamos e vemos suas reações e atribuímos à força que atua no instrumento.

Nós não sentimos a verdadeira força, mas somente a resposta do instrumento a certa influência desconhecida. É assim que descobrimos o Criador, através do sentimento e da impressão do vaso da Sua presença. Isto significa que o preenchimento dos vasos é também vasos, letras, em adição ao HaVaYah inicial.

Estas letras adicionais são como um código, uma chave que representa cada preenchimento no vaso. É como se houvesse um mostrador que se move nesse vaso ou números num contador. Isto significa que nunca podemos sentir a Luz em si, mas sentimos e percebemos as mudanças que a Luz realiza em nós.

Nós medimos essas mudanças, as sentimos e contamos, e, assim, chamamos essas mudanças de Luz. Nós não temos acesso à Luz em si, já que a Luz já é a verdadeira força superior.

Portanto, nós devemos entender que a revelação do Criador é certo tipo de vaso, a impressão num vaso. Nós temos que estudar e revelar como o vaso deve ser impressionado e como deve responder, como tem que se preparar para que isso seja bastante sensível e pronto para a revelação da Luz Superior nele.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 02/12/14, Escritos do Rabash

Comente