Eleições Onde Todos Ganham

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, “Exílio e Redenção”: Por isso, eu tenho a honra de propor à Casa de Israel a dizer para os nossos problemas, “Basta!” E, no mínimo, fazer um cálculo humano em relação a essas aventuras que eles nos infligiram repetidamente, e também aqui no nosso país. Nós queremos começar a nossa própria política, visto que não temos esperança de nos agarrar ao chão como uma nação, já que não aceitamos nossa sagrada Torá sem atenuantes.

Baal HaSulam exige uma investigação da matéria para se convencer de que nós simplesmente não temos escolha, caso contrário, não podemos nos livrar de nossos problemas. Mesmo um cálculo egoísta mundano é suficiente. O fluxo infinito de problemas não vai nos deixar qualquer vislumbre de esperança de algo bom. Não há como escapar desta rota.

De um ponto de vista racional, nós não temos sequer uma mínima chance de reduzir o sofrimento, sem mencionar se livrar dela, contanto que não começamos a realizar o que é exigido de nós.

Só então, e não antes disso, é que estaremos numa situação diferente, que será totalmente oposta à situação atual. É somente desta maneira que conseguimos nos afastar dos nossos problemas sem fim.

Esta conclusão é correta e válida mesmo se quisermos uma boa vida com base na segurança, bem-estar e saúde. Nos “Escritos da Última Geração”, Baal HaSulam acrescenta: Esta nação é muito pobre, e seus habitantes vão sofrer muito no futuro; pois sem dúvida eles ou seus filhos serão gradualmente arrancados desta terra no futuro e ninguém será deixado exceto uma quantidade insignificante que no final vai se misturar com os árabes.

Pergunta: Como nós podemos transmitir essa mensagem à nação, que mais uma vez mergulhou no tumulto de eleições antecipadas com todos os seus slogans e promessas?

Resposta: A nossa abordagem é muito mais realista. Em última análise, por trás das palavras de ordem, é difícil encontrar diferenças fundamentais entre os candidatos. Então, por que eles não concordam com a rotação desta posição entre si? Eles poderiam dividir o seu mandato em iguais períodos de tempo e assim se sucederem. Ao longo do caminho, nós não sentimos nenhuma diferença.

Eu não estou brincando. Afinal de contas, uma rotação deste tipo tem a finalidade dos concorrentes se ajudarem durante a vigência do seu mandato, de modo que importaria quem está “no topo” no momento. Uma aliança como essa traria muito mais benefícios para todos. Depois que todos os lados assinassem um acordo adequado, eles parariam de colocar obstáculos no caminho de cada um. Por isso, o melhor que as pessoas são capazes de fazer hoje é sair e declarar: “Chega! Parem com essa bagunça, nós não acreditamos em suas promessas de qualquer maneira. Sim, certamente vocês querem investir toda a sua energia para o bem de Israel e esta área em geral. Mas nós não queremos os detalhes e não pretendemos votar em ninguém. Nós escolhemos a unidade”.

Aos meus olhos, esta é a única solução. Não é tão impossível realizar isso como pode parecer.

A rotação não se estenderá apenas para o primeiro-ministro, mas também para os assentos dos ministros. Como resultado disso, todos os campos políticos vão trabalhar em cooperação e se apoiar, a fim de obter apoio no momento da sua vitória. Imagine que todos eles comecem a servir as pessoas por acordo mútuo.

Isso só será possível quando o povo realmente encher o saco e declarar: “Basta com essas lutas teatrais. Nós não queremos mais participar deste jogo”,

Vamos tentar?

O problema é que as pessoas hoje não estão prontas para fazer isso. Apesar de tudo, se quisermos soluções rápidas e práticas, esta rotação é a melhor solução. Ela deixa os detalhes com os quais os políticos só causam desconexão e separação entre nós nos bastidores. Pelo contrário, todos se tornam corretos e bem sucedidos.

Cada um deles por si só não é importante. Nós já sabemos muito bem que os programas agradáveis ​​e slogans energéticos não serão materializados. Assim, a melhor coisa é trazer todos eles a um denominador comum para unir o espectro político.

Assim, em geral, não vai fazer diferença para nós o que cada bloco político apresenta separadamente. A principal coisa é que eles vão se conectar e se apoiar em vez de obstruir os outros e bloquear o caminho para eles, deixando o país sem nada. É preferível que cada um tenha a sua parcela de controle sem irritar os outros, trabalhando em conjunto com eles.

Pergunta: Portanto, o que deve acontecer para que isso seja realizado?

Resposta: Isso depende das pessoas e não dos líderes. O que é necessário aqui é o conhecimento geral, um programa de educação. Afinal de contas, nós certamente vemos que de outra forma as pessoas vão viver suas vidas, e que o governo, não importa qual for, vai viver sua vida.

Da 5ª parte da Lição Diária de Cabalá 22/12/14, Escritos do Baal HaSulam

Comente