Comunidade Como Um Desafio Ao Capitalismo

laitman_600_02Pergunta: Os sociólogos afirmam que os seres humanos são criaturas sociais, que sua necessidade de fazer parte de uma comunidade ou de uma sociedade é básica e fundamental. Ultimamente, a estrutura das comunidades foi submetida a múltiplas crises que tornou quase impossível imaginar o que a vida comunitária deve ser e o que significa ser um membro de uma comunidade, e em que medida as comunidades influenciam os indivíduos. O que deve ser a vida comunitária, neste momento, na sua opinião?

Resposta: Ao longo de toda a história, as pessoas nasceram e viveram em comunidades. Comunidades eram as casas das pessoas, famílias, e substituíram todo o mundo! Foi assim na África, Ásia e Europa. A comunidade era uma pequena aldeia ou tribo, ou seja, algum tipo de ambiente que constantemente as envolvia com carinho e cuidado.

Esta atitude experimentada pelas pessoas não veio apenas de seus pais. Era uma parte de todo mundo e todo mundo pertencia a uma comunidade; não havia muita diferença entre os membros da comunidade, nem competição, aqueles que eram maiores ou menores. No entanto, um avanço maior foi baseado na evolução do egoísmo. Na medida em que se expandiu, o egoísmo distanciou cada vez mais as pessoas umas das outras.

Esta é a razão pela qual a vida comunitária normal se deteriorou: algumas pessoas ficaram mais ricas do que outras, algumas mais pobres; algumas se saíram melhores, outras piores; algumas eram mais fortes, outras mais fracas.

Ultimamente, o nosso egoísmo tem crescido exponencialmente. Neste momento, nós estamos experimentando “um salto” que só é comparável à explosão do egoísmo na antiga Babilônia. Até recentemente, nós ainda tínhamos alguma vida comunitária em conjunto dentro dos limites de nossos países ou cidades. Cidades medievais ergueram paredes em torno de seus territórios. Elas tiveram que reforçar a sua conexão para resistir aos inimigos externos.

Neste momento, não há nada assim: eu vivo em meu apartamento e me escondo de todo mundo tentando ser completamente independente. Eu nem mesmo sei quem são meus vizinhos; não há nada que me una a eles.

De manhã eu saio do meu apartamento com meus filhos, coloco-os no carro e levo-os para um jardim de infância ou escola. À noite eu trago meus filhos de volta para casa; eles vão para seus quartos, fecham as portas, e na maioria das vezes sequer compartilham o jantar comigo. Esta é como a nossa vida continua.

Ao mesmo tempo, a nossa dependência global da natureza nos espreme e força a conectar cada vez mais. De nossa parte, nós resistimos a esse processo e tendemos a romper as fronteiras desde dentro. Estas duas tendências evolutivas criam um fenômeno que chamamos de crise.

Devido à globalização, nós podemos prover a todos com as coisas essenciais. No entanto, nenhum de nós realmente quer ficar conectado com os outros. Assim, o nosso desejo de viver uma boa vida se transforma em aflição.

É de conhecimento comum que as comunidades têm influência sobre fornecedores públicos, empresas de serviços, etc. Se vivêssemos numa cidade pequena, seriamos capazes de fazer muitas coisas boas para os outros moradores.

Nós estabeleceríamos preços rígidos para os fabricantes e vendedores de alimentos, bem como para aqueles que vendem eletricidade, gás e água. Os preços dependeriam exclusivamente de nós, já que seríamos os principais compradores. Então, nós seríamos os únicos que teriam o direito de exigir e definir preços.

Se criássemos uma ou várias comunidades no ambiente contemporâneo, competiríamos com a abordagem capitalista egoísta que tende a tomar tudo de nós, querendo tirar vantagem de nós com indisfarçável agressão e cinismo. A nossa situação atual nos permite escolher a quem nos dirigir a fim de organizar as nossas vidas da melhor maneira possível.

As coisas podem ser organizadas de forma que as comunidades serão as encarregadas de organizar suas vidas. Isso significa que elas não contratarão empresas de serviços ou firmas se segurança; em vez disso, elas vão criá-las de uma forma nova. No entanto, a primeira coisa que as pessoas devem fazer é estabelecer uma conexão mais estreita entre si, de modo que a sua unidade as molde de acordo com a natureza global. Não é uma tarefa fácil de alcançar.

De KabTV “Uma Nova Vida” 10/08/14

Comente