Com Respeito Ao Terror, Elevação De Preços E Unificação Da Sociedade, Parte 3

Dr. Michael LaitmanPergunta: Você sugere discutir o aumento dos preços com a ajuda da conexão e unidade da sociedade, de modo que ela se torne mais igual e equilibrada? Como podem os pensamentos das pessoas baixar os preços na prática?

Resposta: Em uma sociedade, se a opinião geral prevalece que ela requer mais igualdade e equilíbrio, isso irá influenciar até mesmo os capitalistas, que isso é aparentemente benéfico e rentável para eles. Isto é porque eles também estão sob a influência da sociedade, e estes pensamentos também são encaminhados para eles.

Não é sequer obrigatório falar sobre isso; eles vão sentir o desejo geral. Isso é chamado de influência do ambiente sobre uma pessoa. A principal coisa é que, em face desse exemplo de baixar os preços, cada um vai entender o princípio que deve ser usado para resolver vários problemas. Se alcançarmos a unidade na sociedade, não só poderemos reduzir o custo de vida, mas também fortalecer a segurança, saúde, educação, e reduzir o desemprego.

Nós temos um mecanismo em nossas mãos, que atua em todos os domínios da vida. O consenso social é um poder singular que possibilita resolver todos os problemas da sociedade. Ele ainda remove as ameaças externas que não parecem estar diretamente conectadas à nossa unidade interna, como a da intifada e do antissemitismo.

A ideia é que aqui funciona o mesmo princípio. Toda a humanidade é alimentada pelo povo de Israel. E as outras pessoas sentem isso e culpam Israel por seus problemas. Se o povo de Israel se unir dentro de si, ele vai ser bom para toda a humanidade.

E este deve ser um bom consenso social, e não como é com os nacionalistas e os fascistas. O acordo se baseia no amor, nas concessões, na igualdade, intimidade e aconchego. “E amarás o teu amigo como a ti mesmo” é a base para o povo de Israel. Chegou o momento de lembrar que “Todos de Israel são amigos”. Isso faz parte da cultura do nosso povo que está sempre preocupado com a ajuda mútua, embora pareça que agora nós nos esquecemos disso.

Antigamente este sistema de ajuda mútua se baseava na tradição religiosa, mas por algum tempo ele não tem existido nesta forma anterior. Nós só precisamos reanimá-lo, voltar à forma em que o povo de Israel sempre existiu.

Pergunta: Você acha que a sociedade está disposta a ter uma forte influência sobre uma pessoa?

Resposta: Existem muitos estudos que provam que uma pessoa está totalmente sob a influência do ambiente. Mesmo macacos numa ilha isolada de repente começam a se comportar de forma idêntica como os macacos da ilha vizinha. Nós estamos num sistema de leis naturais.

Jornalistas reclamam que sem coordenação entre si, eles dão títulos idênticos aos artigos que saem na mesma manhã em diferentes jornais. Pensamentos percorrem o mundo e são passados ​​de um para outro, pois todos nós estamos conectados a um único sistema.

O mundo se tornou global e interligado, como uma pequena aldeia. E isso não é graças à Internet, mas porque nós nos desenvolvemos a um estado tal que os nossos desejos, pensamentos e sentimentos internos estão conectados com todas as pessoas do mundo.

Isso também ajuda no desenvolvimento de conexões externas: McDonalds, Coca-Cola, a Internet, e o idioma Inglês estão em todos os cantos do mundo. Esta unificação preenche todo o trabalho duro para a nossa unificação. Como resultado disto, nós estamos começando a compreender e sentir o outro num grau superior, e a ter mais influência sobre o outro.

E aqui emerge a crise; o ego não nos deixa ter boas conexões, mas apenas conexões ruins. Se em geral não houvesse conexão, isso não seria tão ruim, já que não haveria qualquer dependência do outro, nem boa nem ruim. Mas hoje, uma conexão entre nós é criada e essa conexão é ruim, provocando uma crise geral em todo o mundo.

E os judeus, o povo de Israel, são responsáveis ​​pelo surgimento da crise. Só eles podem alterar a forma geral de conexão. Essas conexões já são impossíveis de destruir, e é possível apenas corrigi-las em boas conexões.

Nós temos que nos acostumar gradualmente com a unidade e a conexão, sendo o mecanismo, o meio, para quaisquer alterações. E as mudanças podem assumir qualquer direção, boa ou ruim, pela unidade e também pode ser o nazismo. “O fascismo” é traduzido como a unificação, mas tal unificação não é para o bem da sociedade. Se não quisermos que o mundo se una com base no fascismo, nós devemos mostrar a ele um exemplo de uma boa conexão.

De uma Conversa, 13/04/14

Comente