Agradecer Pelo Sofrimento É Superior A Agradecer Pelo Bem?

laitman_628_4Comentário: Sabe-se que o conselho dos sábios em relação ao sofrimento e a atitude em relação a isso é que “uma pessoa tem que agradecer tanto pelo mal quanto pelo bem”. Esta atitude semelhante em relação ao bem e ao mal parece masoquismo.

Resposta: Em primeiro lugar, é importante compreender que tudo o que acontece é para nos ensinar alguma coisa. Eu cresci numa família de sobreviventes do Holocausto.

Eu vejo que crianças e adultos vivem com este trauma e constantemente falam sobre isso em casa, no seio da sociedade, na cidade, e ainda não têm ideia do que fazer com este trauma. Ainda assim, eles continuam a viver como antes, organizando suas vidas no que diz respeito à sociedade e à natureza de acordo com os impulsos naturais, sem qualquer cálculo adequado.

Pergunta: Eu tenho que “agradecer”? Eu entendo que o evento não aconteceu por acaso. Por isso, será que eu ainda tenho que aprender alguma coisa?

Resposta: O que mais se não fosse por isso; Isto é bom para quê? Por exemplo, houve um período antes do Holocausto ou algum outro choque. Durante este período, houve algo que eu deixei de fazer, de modo que o choque ocorreu. Este golpe deve me ensinar a não permitir que isso aconteça, a mudar o meu comportamento. O que eu devo mudar?

Eu não vi que havia um conselho de pessoas criadas a partir do Holocausto, pelo menos entre os judeus, para investigar por que isso aconteceu conosco, e por que razão. Não, nós só pensávamos em como estarmos mais bem localizados em diferentes lugares.

Se agora nós chegamos a um nível tal em que claramente compreendemos o propósito da criação, se entendemos que estamos num mundo global interconectado, e continuarmos a destruí-lo com a nossa interconexão, como um câncer levando à morte, será que não provocamos com isso o próximo impacto?

Pergunta: Mas como isso se relaciona com o sofrimento humano pessoal?

Resposta: A pessoa deve se perguntar por que isso está acontecendo. Caso contrário, ela não é um homem, mas um animal escapando do perigo. Portanto, não podemos fugir da vida.

Eu tenho que investigar como e por que o mal surge, entender que essa força me direciona para o bem. Eu preciso alcançar um equilíbrio, chegar à doação, ao amor e à conexão entre todos. Eu tenho que satisfazer a natureza, corrigir a inclinação ao mal e torná-la boa. Afinal, toda a natureza, exceto as pessoas, é o poder de amor e conexão.

Imagine que todo o universo e a natureza sejam a força boa. E só na humanidade, numa pequena área, o mal se aninha, para que possamos preenchê-lo com a força do bem. Quando nós temos o bem e o mal, nós podemos agradecer tanto o mal como o bem. Enquanto não aprendermos totalmente isso e não o cumprirmos totalmente, a natureza continuará a nos enviar sofrimento, literalmente o sofrimento de Jó.

Comente