A Inclinação De Uma Pessoa É Má Desde A Sua Juventude

Laitman_167Pergunta: No final de sua jornada, depois de ter passado por tudo o que uma pessoa pode sentir na vida, o Rei Salomão diz no livro do Eclesiastes que, finalmente, todos vão ouvir o Senhor e temer Seus mandamentos, e vão observá-los já que isto é o que uma pessoa é. O que ele entendeu no final da sua viagem?

Resposta: Uma pessoa foi criada para cumprir as leis da natureza. Ela tem que aprender como cumpri-las. A lei da natureza, de acordo com a Torá, é simplesmente “ama o teu próximo como a ti mesmo”.

Se você chega a isso, você alcança a felicidade de forma simples e inequívoca. O Criador, isto é, a natureza, diz a você: “Eu criei a inclinação ao mal, eu criei a Torá como um tempero, pois a Luz nela reforma”. Nós temos que cumprir está única fórmula e então tudo ficará bem.

Porque todos os desejos de uma pessoa são egoístas, a fim de receber: “a inclinação de uma pessoa é má desde a sua juventude”, o que significa que ela quer receber tudo para si. Portanto, a realização desses desejos nunca nos traz felicidade. Uma pessoa alcança a felicidade somente se encontra nestes desejos a atitude correta em relação aos outros e os satisfaz sob a forma de doação.

Esta forma de doação é chamada de Hevel (isto é, “vaidade” em Hebraico) e você se concentra apenas nisso. Esse significado dever ser tomado no sentido positivo e não no negativo. Então, “tudo é Hevel Havalim (vaidade das vaidades)!” é com um ponto de exclamação e não com reticências.

Eu quero me conectara todos dessa maneira para preencher seus desejos e eles preenchem meus desejos, assim nós podemos nos alimentar mutuamente: eu posso alimentar você e você pode me alimentar. Mas ninguém nunca pode se preencher.

Pergunta: Vamos continuar a viagem. Suponha que ele descobriu isso hoje. Pode ser que em um ano ele olhe para trás e diga a si mesmo mais uma vez que a felicidade não está lá?

Resposta: Quando você se conecta com todo mundo, você constrói uma sociedade em que todos estão incorporados num todo e todos preenchem a todos. Não há nenhum limite aqui. É uma sociedade infinita como um círculo. Este círculo nunca termina e o desejo geral comum e o preenchimento são constantemente renovados.

Então nós atingimos o estado de uma vida coletiva quando eu saio de mim mesmo e sinto a todos. É como se eu estivesse desapegado deste corpo físico e entrasse no espírito que é externo a mim. Eu vivo nos outros e é assim como eu sinto a vida eterna.

Assim, eu começo a sentir a minha vida numa forma espiritual, praticamente externa a mim. Eu entro numa dimensão totalmente diferente e ascendo sobre o sentimento de vida, morte e tempo. Assim, eu adquiro um novo estado psicológico. Isto é o que devemos alcançar e, portanto, é chamado de Hevel, espírito.

De KabTV “Uma Nova Vida” 23/05/14

Comente