Textos arquivados em ''

Emoções E Saúde

Dr. Michael LaitmanPergunta: Estudos têm demonstrado que o estado emocional de uma pessoa determina suas doenças. Qual é a conexão entre o estado emocional da pessoa e sua saúde?

Resposta: Há uma conexão direta, mas existem vários parâmetros que dependem do estado geral da humanidade. Se eu não estivesse conectado com ninguém, eu dependeria apenas do que está acontecendo em meus desejos. Ao dirigir meus desejos para me conectar com a natureza, eu seria completamente saudável e feliz.

Pergunta: Mas como isso está conectado às emoções? Eles dizem que se uma pessoa fica chateada e está com raiva, ela desenvolve uma úlcera no estômago. Especialistas hoje sabem como conectar estados emocionais específicos com doenças específicas.

Resposta: Se eu dependesse apenas de mim mesmo e não de todo o mundo do qual recebo todos os tipos de vírus, incluindo os vírus emocionais, de acordo com o meu trabalho e comportamento com a doação, eu poderia medir os estados de minha saúde. Mas a realidade é que você depende de todos. Nesse meio tempo, dependendo do seu nível, a principal coisa para você é relaxar.

Mas, sem dúvida, se você se acalmar juntamente com as pessoas de quem você depende agora, você vai curar a úlcera de estômago. Depois disso, dependendo da sua ampla sensibilidade, você vai começar a sentir o quanto depende das outras pessoas. Pode ser que a úlcera de estômago volte parcialmente, porque você deve criar a conexão correta, não apenas com as pessoas que estão mais perto de você, mas com aquelas que estão um pouco mais distante.

E isso vai continuar até que você veja que depende de toda a humanidade e que deve criar uma boa relação com todos. Assim, é dito, em Sucá 52a: Qualquer pessoa maior do que seu companheiro, seus impulsos são maiores, ou em Berachot 7a: Um Tzaddik [Justo] que sofre. É assim que nós avançamos até a completa correção geral.

Pergunta: Pode o grupo influenciar o meu estado de saúde?

Resposta: O grupo deve e pode curar todos os seus membros. Se nós estamos incluídos numa única natureza onde todas as suas partes estão em harmonia, com isso nós eliminamos todas as doenças e problemas. A doença é a ausência da conexão direita entre células, entre as partes, entre positivo e negativo, onde todos os materiais no corpo não estão em equilíbrio. Saúde é o equilíbrio.

Pergunta: Por exemplo, de repente eu começo a ter uma queimação de uma úlcera de estômago. O que meus amigos precisam fazer?

Resposta: Vamos chamá-lo para se juntar a nós em workshops onde você vai aprender a se unir. Juntos, vamos puxá-lo para um nível em que todos nós estamos incluídos. Mas você deve se anular em relação a nós, nos aceitar, e anular todos os seus cálculos. Você é simplesmente como uma criança em nossas mãos; você deve querer crescer junto conosco, ser incluído conosco acima de todos os cálculos. Assim, você vai sentir que a sua úlcera de estômago vai passar. Eu prometo a você.

De KabTV “Uma Nova Vida” 26/01/14

A Luta Constante Da Vida

Dr. Michael LaitmanPergunta: Este tópico ardente das relações se tornou extremamente importante em nosso tempo nos círculos dominantes e seu impacto negativo na sociedade sob a sua liderança.

Governos são substituídos, mas cada vez que a mesma situação retorna. Apenas os atores e as forças mudam, mas a dinâmica permanece a mesma.

Existem vários partidos principais que lutam pelo poder, e eles estão constantemente em guerra uns com os outros, tentando desarmar o outro. Se eu o venço hoje, tudo que você faz a partir deste momento até a próxima eleição é tentar me derrubar.

Assim, um político que chegou ao poder e pretendia fazer alterações concebidas por ele é incapaz de fazer qualquer coisa porque o resto de seus adversários está se esforçando em ter certeza que ele falhe.

A próxima eleição chega, alguém ganha, e todos os outros adversários começam a interferir e tentam derrubá-lo. Tudo retorna à estaca zero. Nesta altura, todo o país está sofrendo com o fato de que os políticos estão tentando culpar uns aos outros dentro do governo. Isso só prejudica mais os cidadãos.

Esta é a nossa realidade hoje. Por que ocorre esta luta sem fim e, mais importante, como podemos mudar as coisas para melhor?

Resposta: É natural que exista uma luta pelo poder, porque todos nós somos egoístas. Uma pessoa que batalha pelo poder muitas vezes é mais egoísta do que uma pessoa simples, porque ela se eleva a este nível. No aparato da decisão, um ou duas centenas de líderes e vários milhares de funcionários são os maiores egoístas de todos.

Portanto, existe um ambiente muito aquecido e agressivo onde problemas, suborno e fraude estão concentrados. Isso é natural. Esta não é uma propriedade de um país em particular porque acontece em todos os lugares. Em alguns países é menos pronunciado, como na Escandinávia, que é tradicionalmente caracterizado por uma forma bastante tranquila de vida e valores socialistas.

A mesma luta pelo poder acontece em todos os outros países da Europa e nos Estados Unidos. Na medida em que os países se desenvolvem, eles se tornam jogadores nos mesmos jogos governamentais. É como um caldeirão fervendo que ferve continuamente em cima de uma forte chama versus ferver em fogo baixo.

Pergunta: Digamos que nós temos políticos que concordaram ir às urnas em conjunto, e conseguiram ganhar em uma coalizão. Antes disso, nós tínhamos um interesse comum que nos unia. Nós chegamos ao poder e fomos capazes de ter reformas úteis. Se continuarmos a trabalhar em conjunto, pelo menos nessa cadência, as coisas vão bem.

Mas isso não funciona! Apesar do interesse geral de permanecer no poder, não podemos agir como parceiros. Há intermináveis jogos egoístas ​​e intrigas, que não nos permitem alcançar qualquer sucesso. Por que isso acontece?

Resposta: Estes são jogos egoístas que não podem ser evitados. O egoísmo nos queima por dentro e exige que subamos cada vez mais alto, caminhando sobre a cabeça das outras pessoas para chegar lá. Apenas neste caso a pessoa se sente bem sucedida, forte, e especial. Portanto, esse egoísmo, ainda engajado numa luta, pega uma nova intriga sem qualquer motivo justificável. Esta é a vida do egoísmo, caso contrário ele não se sente vivo.

Comentário: Mas, no final, isso prejudica a todos, inclusive a pessoa que começou o conflito.

Resposta: Não importa. Enquanto esta intriga ocorre, ela preenche nossas vidas. O nosso egoísmo nos incita a lutar, mesmo em situações em que não há quase nenhuma chance de ganhar. Nós nos tornamos conscientes de que estamos numa perda e ainda nos dirigimos rumo ao conflito, porque não podemos manter uma vida tranquila. Na realidade diária, não há piadas nem vida. A luta egoísta, conflitos e atritos nos dão um sentido de vida.

É por isso que nos engajamos na luta social como clãs mafiosos rivais ou como crianças que lutam no quintal. Meninos brigam o tempo todo, mesmo que sejam irmãos. Caso contrário, eles não se sentem como se estivessem vivos. Se forçarmos todos a se sentarem calmamente no canto, isso se torna simplesmente morte para essas pessoas.

A luta reside na nossa natureza egoísta, e é por isso que todos estão suscetíveis a ela, começando com as crianças pequenas até os principais políticos.

De KabTV “Uma Nova Vida” 23/12/14

As 72 Receitas Para Um Destino Maravilhoso

Dr. Michael LaitmanPergunta: Há muitos anúncios que oferecem o uso dos nomes sagrados do Criador, a fim de mudar o nosso destino. De acordo com a Cabalá, há 72 nomes sagrados para o Criador, cada um dos quais tem um poder especial que pode ajudar a pessoa num determinado aspecto.

A indústria como um todo se desenvolveu em torno disso, incluindo a produção de diferentes enfeites e objetos. O que está por trás de tudo isso? Qual é o segredo dos 72 nomes do Criador sobre os quais a sabedoria da Cabalá fala?

Resposta: Um nome sagrado é uma receita de acordo com a qual a pessoa pode executar com precisão uma ação espiritual. Por exemplo, é como uma receita de bolo, de acordo com a qual você pode fazer um bolo assim como sua mãe costumava fazer quando você era uma criança. Você pode saboreá-lo e confirmar que ele é realmente o mesmo bolo.

Os 72 nomes sagrados são uma receita de acordo com a qual nós assamos nosso bolo. Eles nos instruem como avançar corretamente ao longo do caminho certo ao mesmo destino, ao mesmo objetivo que temos que alcançar. Nós temos que chegar à última série nesta escola, quer queiramos ou não, e passar todos os exames, a fim de obter o nosso certificado de graduação. Só então estamos prontos para a vida.

Se você pegar os componentes da receita que estão incluídos nos 72 nomes e executar as ações especificadas, você irá alcançar um estado em que vai ser capaz de gerir o seu destino. Esta receita pertence a você e os componentes estão dentro de você.

Isso se refere a diferentes atributos que você tem, os quais devem estar conectados de modo que você vai ter um bolo maravilhoso que leva o seu nome. Este será o resultado de seus dez anos de estudo.

Pergunta: Será que isso significa que eu uso os meus poderes mentais, meus atributos internos, e de alguma forma os preparo e os asso juntos e obtenho um bolo maravilhoso que tem o meu nome?

Resposta: No final, uma nova pessoa sai do forno, e esta é a sua oportunidade de gerir o seu destino.

Pergunta: Mas se eu não tenho nenhuma receita, não sei que componentes usar e como preparar o bolo corretamente, o bolo que sai é intragável?

Resposta: Infelizmente, isso é o que vemos nos dias de hoje. Se nós vivemos hoje sem pensar, sem saber o objetivo, a nossa vida não leva a nada de bom.

A sabedoria da Cabalá não tem apenas 72 nomes, mas também muitos conselhos, fórmulas e outras condições que a pessoa deve ter em todos os níveis de seu avanço. Ela nos adverte o que devemos temer, do que devemos nos manter longe, e, por outro lado, do que devemos nos aproximar e o que realizar.

A pessoa passa por todo o currículo, como em diferentes níveis na escola onde ela aprende vários assuntos diferentes. Gradualmente, esses temas convergem e formatam a pessoa, permitindo-lhe compreender, ver e conhecer. Ela começa a encontrar o seu caminho em torno da biologia, geografia e história, e, gradualmente, todos esses assuntos convergem e a ajudam a compreender a natureza. Então, ela estará preparada para estudá-la de forma geral e globalmente.

De KabTV “Uma Nova Vida” 21/12/14

Tatuagens São Um Sinal De Uma Realidade Passada

Laitman_028_02A Torá, “Levítico” (Kedoshim), 19:28: …Não façam cortes no corpo por causa dos mortos nem marcas (tatuagens) em vocês mesmos. Eu sou o Senhor.

Uma pessoa envolvida no trabalho espiritual não tem permissão de eternizar uma realidade egoísta. Ela é temporária. Você sai desta realidade e ela não existe; ele deve se consumir!

E se você grava uma tatuagem em si mesmo, esta permanece até a sua morte. A pele é a camada superior do egoísmo, a parte egoísta mais externa. Portanto, a torá é escrita sobre a pele de um animal.

Neste caso, nós estamos falando sobre o fato de que você não tem o direito de usar a pele como um monumento de seus estados. Ao fazer isso, você aparentemente para o seu movimento, não quer ir além da mais alta substância egoísta.

Hoje em dia, as tatuagens no corpo tornaram-se muito populares. Nós estamos na fase final do desenvolvimento egoísta em que uma pessoa é atraída por tatuagens, mas elas são um reflexo das propriedades intrínsecas que precisamos percorrer para entrar no mundo superior.

Diferentes, Mas Iguais

laitman_423_01Pergunta: Todas as pessoas são diferentes por natureza. Uma é sábia e ágil, enquanto outra é preguiçosa e tola. De acordo com o grau de maturidade de uma pessoa, estas características são expressas mais e mais, e, como resultado, a pessoa tem realizações materiais mais elevadas, enquanto que outra não tem dinheiro para comer. A própria natureza criou diferenças como estas numa sociedade. Isso é dado.

Como a sociedade deve se relacionar com o fraco se ela afirma ser socialmente “progressista”? Afinal, os fracos não recebem qualquer pagamento na natureza. A sociedade precisa apoiá-los e assegurar-lhes as necessidades mínimas para a existência?

Resposta: Sim, e, em geral, cabe a nós começar a se relacionar com pessoas totalmente diferentes. Elas devem ser integradas num sistema único de educação que melhora as atitudes sociais de modo a começar a se preocupar com a sociedade em geral, sua florescente e saudável unidade social, a conexão inclusiva entre todos, e a responsabilidade mútua.

Cabe à liderança nacional tomar para si a organização de um sistema como este. A aprendizagem não será limitada pelo tempo. Afinal, o ego desperta mais e mais dentro da pessoa, e deve ser constantemente equilibrado pela educação adequada.

Portanto, se a pessoa estuda regularmente, ela melhora e se encontra numa sociedade que a pressiona e exige sua participação consciente e útil, direcionada a um objetivo na vida social. Portanto, cada pessoa deve ser receber um padrão de vida mínimo que seja suficiente para existir.

Pergunta: O que é esse mínimo? Como seria a minha vida se eu recebesse uma bolsa como essa?

Resposta: Eu recebo apoio suficiente para manter a minha família, para criar e educar meus filhos até eles amadurecerem. De um modo geral, eu vivo com a dignidade da merecida segurança social. Ela vem a mim, porque eu sou parte da sociedade e me preocupo com isso e seu desenvolvimento.

Pode ser que alguém com deficiência seja apenas capaz de se sentar num depósito e trazer ferramentas de lá ou de realizar outros trabalhos simples. A sociedade o coloca num lugar onde ele seja capaz de ser útil. Além disso, ele é educado e educa seus filhos também.

Por tudo isso, a pessoa recebe um “salário mínimo”, mas isso é o suficiente para manter a existência de sua família com respeito e cuidado com todas as suas necessidades.

Agora, suponha que ela tenha um vizinho de sucesso, bem estabelecido e profissional. Ele é muito útil para a sociedade, desenvolve novos dispositivos e tecnologias, ou é um líder no comércio de grande escala. Ele consegue tudo o que precisa para o seu trabalho. Será que ele ainda precisa de algo diferente para sua casa e família que seu vizinho humilde?

Pergunta: A humanidade nunca construiu um sistema social como este. Afinal de contas, de acordo com a nossa natureza, nós queremos sempre mais do que aquilo que temos.

Resposta: É exatamente isso que alcançamos com a educação, que vai ser maciça, permanente, sob pressão, colocando tudo no lugar.

Graças a isso, nós alcançamos a igualdade geral. Esta não seria uma igualdade forçada que já se esgotou no século passado. Pelo contrário, é tal igualdade, onde cada um tem tudo o que precisa para existir em dignidade e para proporcionar uma vida boa, florescente e organizada para seus filhos.

Além disso, em relação ao resto dos impulsos egoístas – inveja, luxúria, honra, e assim por diante – a pessoa vai realizá-los também, mas para o bem da sociedade. O ambiente em si, a atmosfera social encorajadora, vai obrigá-la a agir dessa forma. Ela simplesmente vai ter vergonha de se destacar com suas exigências excessivas, através das quais é como se ela estivesse roubando abertamente dos outros.

Eu repito, numa sociedade como esta, cada um vai se preocupar em viver com dignidade, garantindo o desenvolvimento pessoal e profissional de seus filhos, mas apreciando a si mesmo não de acordo com a sua riqueza, não de acordo com sua fama ou superioridade sobre os outros, mas de acordo com seu investimento na sociedade. Além disso, em geral, a sociedade preserva um padrão uniforme de vida.

De kabTV “Uma Nova Vida” 23/12/14

Uma Geração De Sábios

Laitman_083Pergunta: O que eu devo fazer se quero mudar meu destino através da sabedoria da Cabalá? Eu devo pedir isso para os Cabalistas que possuem essas forças?

Resposta: Em primeiro lugar, você mesmo precisa aprender a sabedoria da Cabalá. A pessoa chega a Cabalá porque quer aprender sobre o seu destino.

Pergunta: Se a pessoa estuda Cabalá, ela consegue a força para mudar seu destino?

Resposta: Claro que não imediatamente, mas com o tempo, ela vai ser capaz de fazer isso. Ela estuda para fazer isso.

Pergunta: E, se eu pedir a outro Cabalista para mudar meu destino, ele vai ser capaz de fazer isso?

Resposta: Não, isso é impossível. Você precisa aprender a mudar seu destino. Um Cabalista pode influenciar o seu próprio destino, mas não o de outra pessoa. Afinal, todo mundo tem que mudar seu próprio destino por sua própria correção.

Para isso, nós existimos neste mundo para atingir o estado desejado, passando por todas as fases intermédias de nosso desenvolvimento. Nós passamos por esse processo de desenvolvimento como uma criança na escola que deve estudar. Ela ainda vai aprender, seja forçada pela vara, constantemente recebendo punição, ou vai se tornar mais inteligente, vai fazer sua lição de casa e se formar com distinção, sentindo o amor de todos e curtindo a vida.

Nós podemos concluir deste exemplo que precisamos conhecer todo o nosso programa pessoal, bem como o programa geral, que forma desejada nós precisamos atingir. Quer gostemos ou não, seremos obrigados a chegar a isso como definido em nosso destino.

O destino desce até nós desde cima, como para uma criança que não é perguntada se quer ir para a escola ou não. Ela deverá entrar na escola, uma vez que existe a lei do ensino secundário universal. No entanto, cabe a você como você vai estudar pessoalmente. Se você é inteligente e percebe que não há escolha e que você deve concluir o ensino médio, então você tenta aprender o que é exigido de você em cada etapa. Você tenta fazer tudo o que é necessário, mas na forma mais conveniente.

Alternativamente, você pode até encurtar o seu tempo de estudo e se formar antes do tempo, em sete ou oito anos, em vez de dez.

Pergunta: Portanto, a própria pessoa deve examinar o programa geral e, assim, ser capaz de se integrar melhor nele. Se eu pedir a bênção de um grande Cabalista, como isso vai afetar a minha vida?

Resposta: Isso tem apenas um efeito psicológico. Um Cabalista não pode afetar o seu destino, seja no bom ou mau sentido. Afinal de contas, ele não pode privá-lo de uma oportunidade de aplicar o seu próprio esforço; ele não pode roubar a sua liberdade de escolha, o seu trabalho, através do qual você deve mudar a si mesmo. Da mesma forma, os pais não podem fazer a lição de casa para o seu filho, passar nos exames, e se formar na escola em vez dele.

No entanto, a pessoa acredita que a bênção de um grande homem vai trazer-lhe sucesso. Isto lhe dá confiança, como uma criança que se sente confiante sob o cuidado dos pais, e, uma vez que a pessoa se acalma, ela realmente se recupera, se preocupa menos com seus problemas e resolve-os. Por isso, ela acha que a bênção ajudou.

No entanto, isso é apenas um efeito psicológico; não muda o destino. Apenas a própria pessoa pode mudar seu destino, cada um devido a seus próprios esforços. Só assim ela pode mudar o seu destino, avançando do ponto de partida até o fim.

Comentário: Portanto, a fim de mudar o destino, eu devo evoluir como pessoa. Eu mesmo devo me familiarizar com o plano de desenvolvimento e ver o meu lugar nele.

Resposta: Isso se tornou possível somente em nossa geração, mas não antes. No passado, as pessoas não perguntavam sobre isso. Elas só viviam e pronto. Cem ou duzentos anos atrás, apenas certos homens sábios, filósofos ou psicólogos questionavam a finalidade da criação do ser humano.

A pessoa vivia sem fazer perguntas. Ela sabia que se seu pai era um ferreiro, ela também se tornaria um ferreiro, e depois seu filho. Então, isso passava de geração em geração. Tudo mudou apenas recentemente, nas últimas décadas.

Pergunta: Será que isso significa que as pessoas estão ficando mais inteligentes de geração em geração e que hoje nós recebemos oportunidades para alcançarmos o mesmo poder sobre nossas vidas que milhares de anos atrás estava disponível somente aos maiores sábios?

Resposta: Sim, a humanidade evoluiu tanto que hoje em dia as pessoas comuns estão no mesmo nível de desenvolvimento em que há dois mil anos só grandes sábios como Aristóteles, Platão, e assim por diante, estavam.

De KabTV “Uma Nova Vida” 12/12/14

Separar-se Da Infância

Laitman_115_05Duas ideologias, hebraica e grega, colidiram nos dias dos Macabeus. A primeira falava do bem ao próximo, a segunda falava do benefício pessoal em detrimento de outros.

Este conflito é ainda relevante hoje. Afinal, a abordagem judaica não é uma abstração; é um caminho altamente específico e prático para os tempos modernos. Esta não é apenas uma percepção do mundo, mas também instruções para o uso diário.

Nos dias dos Macabeus, estas instruções lhes permitiram vencer a guerra espiritual para a percepção do mundo, para a relação com a natureza, com a pessoa, com a sua existência e essência, e mais importante, com a sua meta de vida. Os gregos viam o propósito da vida como um sucesso material, um bom corpo, e os Macabeus, pelo contrário, destinavam-se a elevar o espírito para o bem do por que uma pessoa vive.

Pergunta: Por que a vitória dos Macabeus foi temporária?

Resposta: Porque há um programa da criação de acordo com o qual nós deveríamos resistir por algum tempo antes da destruição do Segundo Templo.

Em geral, ao longo da história, a humanidade se desenvolve aumentando o egoísmo, enquanto o povo de Israel se desenvolveu espiritualmente desde o tempo de Abraão, passando pelo Egito, a construção do Primeiro Templo, e depois, o retrocesso ocorreu a partir deste elevado nível espiritual até o colapso do Segundo Templo há dois mil anos; isso não acabou com a nossa tendência de unir em prol da revelação do Criador.

Em cada geração o egoísmo crescente nos divide cada vez mais, e hoje nós vemos em primeira mão que não há um povo assim, mas apenas uma coleção de exilados.

Tudo é construído no programa de desenvolvimento do mundo. Por outro lado, é dito que no final do século XX nós começamos a trabalhar na integração do povo, onde em nossa unidade nós revelamos a força superior. Mas vai ser uma libertação completa, na medida em que vamos levar toda a humanidade a nos seguir.

Em geral, o termo “libertação” significa a revelação da força superior. No curso de seu desenvolvimento, a humanidade deve formar a capacidade de revelar o Criador (Bore), que significa “venha e veja” (Bo-re). Em outras palavras, nós precisamos nos desenvolver num determinado processo até chegarmos ao estágio em que “vemos” o Criador e O revelamos em todas as sensações formadas.

Tendo chegado a esta fase, as pessoas se sentem vivendo numa dimensão mais elevada, fora do corpo. O corpo está lá, mas a sua importância é reduzida; ele desaparece. Agora, as pessoas empregam diferentes sentimentos, o sentimento de doação, amor e união entre si. Então, todos os pequenos sentimentos egoístas relacionados com o corpo animal, nossos relacionamentos primitivos, gradualmente se dissipam.

Precisamente na medida em que nós amadurecemos, a infância e a adolescência passam. Ao longo do tempo, nós deixamos os nossos jogos e a diversão juvenil na caixa de areia.

A mesma coisa vale para o caminho espiritual; começando o “jogo” no mundo superior, nas forças superiores, ao sairmos do corpo humano, nós revelamos a realidade superior. Então o nosso passado, os jogos “infantis” se desvanecem e dissipam.

De KabTV “Uma Nova Vida” 14/12/14

Um Livro Cabalístico Abre O Mundo Superior

Dr. Michael LaitmanA Cabalá é uma ciência muito importante, que inclui todas as outras ciências. Ela explica a uma pessoa como agir depois que completamos o nosso desenvolvimento neste mundo.

Hoje nos encontramos nesta exata situação, tendo esgotado o nosso desenvolvimento egoísta que resultou num beco sem saída. Portanto, a ciência da Cabalá está sendo revelada para que possa nos ajudar a reviver, começar uma nova vida, e passar para o próximo nível de existência.

Todas as conquistas do nosso mundo não podem nos ajudar nisso, pois elas atuam somente neste plano terrestre. É necessária uma ciência diferente, a fim de subir para o próximo nível e continuar esta vida.

A Cabalá é a ciência que não pertence ao nosso mundo. Ela é projetada para colocar toda a humanidade num elevador que a leva para o próximo andar, onde nós começamos um novo desenvolvimento. O próximo andar não é onde a matéria se desenvolve e não faz mais parte do nosso mundo. Este é o verdadeiro desenvolvimento dos sentimentos e da mente, que se relacionam com os nossos sentimentos mais íntimos e não com o corpo físico.

Este é um tipo de desenvolvimento onde nós gradualmente perdemos o sentido do nosso corpo e começamos a existir em outra dimensão onde não existem corpos. Nós não os sentimos porque eles desaparecem da nossa percepção. Nós não precisamos mais de corpos físicos, porque agimos de dentro de nossos sentimentos e mente, sem o envolvimento desta matéria bruta do corpo.

Esta abordagem parece incompreensível para uma pessoa comum, mesmo que nossas imaginações sejam bastante desenvolvidas graças a Hollywood e romances de ficção científica. Tudo isso não apareceu por acaso, mas, a fim de nos preparar para a sabedoria da Cabalá e sermos capazes de compreender a sua sabedoria.

Por isso, os Cabalistas mantiveram a Cabalá em segredo por tanto tempo quanto a humanidade precisasse para que todas as gerações estivessem prontas para isso. A Cabalá foi revelada 5775 anos atrás pela primeira vez por Adão, o primeiro Cabalista.

Todos os milhares de anos, desse momento até a nossa geração, os Cabalistas mantiveram a sabedoria da Cabalá em segredo só dentro de seu círculo interno e não revelaram amplamente o seu conhecimento. Isso foi semelhante aos meus pais que não quererem que eu leia seus livros de medicina como uma criança, porque estes eram muito avançados para minha idade.

Os Cabalistas são os cientistas que estudam esta ciência, atingem o que ela diz, e aprendem a usá-la, e, ao mesmo tempo, buscam pessoas em seu ambiente, aptas para tal estudo. E se houvesse uma pessoa assim, eles calmamente a testavam, conversavam com ela sobre a vida de forma filosófica, a fim de descobrir se ela estava pronta e interessada ​​em tais coisas. Se eles vissem um homem interiormente maduro e atraído ao tema, eles começavam a ensiná-lo.

Portanto, a sabedoria da Cabalá foi passada de geração em geração. Os Cabalistas também escreveram livros em segredo. E mesmo se não escondiam os livros, o texto Cabalístico era criptografado de tal forma que uma pessoa não poderia compreendê-lo se não tivesse o código apropriado, ou seja, se não soubesse como se relacionar com o livro, sobre o que ele fala, como se associa com a pessoa, e o verdadeiro significado quando este mundo e o outro mundo são mencionados.

Os livros Cabalísticos são escritos na linguagem dos ramos que apontam para as raízes espirituais, mas a pessoa pensa que ele fala sobre este mundo. Mas, isto não se refere ao plano deste mundo e a pessoa dentro dele. Nós estamos falando de poderes superiores, e não de coisas materiais.

Se os Cabalistas não nos tivessem dado a chave para a leitura e compreensão correta desta ciência, mesmo abrindo o livro, a pessoa ainda não entenderia o que lê. Ela pensaria que a Cabalá fala sobre animais e plantas. Algumas palavras que têm sido utilizadas são: relação sexual, abraço, beijo, forças masculina e feminina, e parto. Pode-se pensar que se trata de algum tipo de sensualidade.

Depois o livro fala do céu e da terra, espíritos, demônios, anjos, e diferentes forças espirituais. As pessoas ignorantes que se deparam com esses livros poderiam construir toda uma teoria mística em torno disso. Eu ouvi tais histórias sobre Cabalá e me perguntava como esse homem em particular poderia fantasiar tanto. Mas essas pessoas acreditam seriamente no que elas dizem sobre a Cabalá, usando diferentes nomes do Livro do Zohar.

Se uma pessoa não recebe o conhecimento um professor de Cabalá decente que lhe dá todas as chaves para esta ciência, ela não será capaz de abrir e entender corretamente o livro. Isso só vai confundir a pessoa. “Abrir o livro” significa estar conectado com o que está escrito dentro dele. Para cada pessoa, o livro deve ser um mundo aberto, o mundo superior.

De KabTV “Uma Nova Vida” 18/12/14

O Direito De Escolher, Parte 4

Dr. Michael LaitmanPergunta: Em cada pessoa um imenso ego tem crescido de modo que ela se sente um rei. Como será se ela corrige o seu ego e o ódio para com os outros em amor?

Resposta: Em primeiro lugar, nós esclarecemos que todos nós dependemos uns dos outros, como órgãos de um único corpo. Portanto, não temos escolha; nós devemos nos conectar de forma mútua e correta para que todos trabalhem para o bem de todos. O sistema que é construído por nós deve ser integral, fechado e pleno.

Na mesma medida em que nos aproximamos de relacionamentos como estes, ao nos completarmos mutuamente, nessa medida nós começamos a sentir o poder que está agindo dentro de nós. Entre nós, e dentro de nossa conexão, a força integral que chamamos de “superior” é revelada.

Nós começamos a descobrir isso um pouco, mesmo nos workshops regulares e durante as discussões nos círculos que nós organizamos em diferentes lugares, inclusive nas ruas. É assim que demonstramos às pessoas como, com a conexão correta, até mesmo uma conexão espontânea como essa que dura apenas uma hora, é possível sentir uma espécie de força, um humor único, uma sensação incomum. Algo mudou, e até mesmo o mundo parece diferente.

Pergunta: O que é essa coisa única que a força integral traz para nossas vidas?

Resposta: Esta força integral nos obriga a mudar nossas vidas para sermos semelhantes a ela. Todo mundo se torna consolidado, conectado, e cada um sente todos os outros.

Pergunta: Onde desaparecerá esse ego tão poderoso que obriga cada um a sentir que é como um rei?

Resposta: O ego permanecerá, uma vez que nos conectamos acima deste ego! Como se diz em Provérbios 10:12: O amor cobre todas as transgressões. Cada um vai sentir que é um rei, e, especificamente, com o seu poder real, vai querer fazer todos felizes. Ele vai querer ser um bom rei. Por que você acha que ele vai ser um déspota do mal?

Pergunta: Mas se cada um sente que é um rei, como todos estes reis vão se dar bem juntos?

Resposta: Num sistema integral, cada indivíduo é tão importante quanto todos os outros. Isso porque, se ele não executa o seu papel, todo o sistema vai quebrar.

Pergunta: E quem obriga cada indivíduo a executar o seu papel?

Resposta: O sistema mantém e suporta uma pessoa e a obriga a agir, e por isso ela dá tudo para fazer isso. Este apoio mútuo é chamado de um pacto, o poder de Arvut (garantia mútua), que deve existir entre todos.

Pergunta: Existe uma chance de que Israel se torne estável?

Resposta: Nós vamos estar prontos para fazer isso, pois nenhuma outra escolha permanecerá. Mas a questão é, será que chegamos a este através do caminho do sofrimento ou graças a um entendimento e conscientização, através do qual é possível avançar por um caminho curto e agradável?

De KabTV “Uma Nova Vida” 09/12/14