Será Que O Mundo Precisa De Um Novo Einstein?

Dr. Michael LaitmanNós não podemos nos desenvolver individualmente, quer como países individuais ou como uniões de diversos países contra outras uniões. Diante dos nossos olhos, os americanos perdem país após país, e os europeus descem do pedestal de grandeza, tradição, riqueza e cultura.

A Rússia, com seus muitos recursos naturais, se sustenta exclusivamente pelo negócio de armas e petróleo. A China acorda um pouco e cai novamente. O Japão tem estado estagnado por décadas depois de um boom que viveu há vinte anos.

Assim são todos os países. Alguns estão passando por isso hoje, outros passaram por isso ontem, e os outros vão sentir isso amanhã. Não há nenhuma dúvida sobre isso. Além disso, se no início o ritmo das mudanças havia se estendido por dezenas e até centenas de anos, hoje, cada passo leva muito menos tempo e tem uma nova qualidade.

Isso se aplica a todas as pessoas, tanto adultos como crianças. Os jovens não querem se casar, formar uma família e ter filhos. Os adultos não sabem como lidar com isso, porque nada é bem sucedido, mesmo que eles queiram alguma coisa. Devido à inércia, todo mundo continua a jogar o mesmo jogo, mas eu sinto que é apenas um desperdício de tempo. O banco está vazio; não há sentido no jogo.

Anteriormente, filósofos e políticos nos guiavam, como aconteceu por centenas de anos. Havia muitas pessoas assim. Elas eram respeitadas e ouvidas, incluindo a mídia. Hoje, ninguém se levanta e nem tenta se elevar a este Olimpo. Nós gostaríamos de ver um visionário, erudito ou governante, como Churchill, Roosevelt ou Einstein. No entanto, eles não existem e isso é sentido em demasia! A humanidade se sente como uma criança que foi esquecida.

As formas anteriores de percepção eram baseadas no fato de que o ser humano levou o mundo à ordem, estabeleceu a sociedade, e supostamente governou. No entanto, não foi ele quem fez isso, mas sim a natureza, que revelou o desenvolvimento evolutivo nele. Agora, a natureza mostra ao ser humano que ele próprio deve procurar o componente central do desenvolvimento: Para que nós existimos? Sem esse componente, não saberemos como organizar nossas vidas.

Nós recebemos sentimentos e mente da natureza para que possamos receber instruções dela, processá-los e adicionar a eles. Obviamente, se encontrarmos a meta correta, vamos ter tanta energia e conhecimento suficientes para viver e desenvolver, que novamente teremos realização, aspiração, contentamento e a necessidade da vida. Tal como no passado, uma pessoa vivia pelo que ardia dentro dela: dinheiro, poder, honra, conhecimento, sexo e família. Portanto, agora este objetivo deve puxá-la, substituindo todos os espaços vazios. Sem isso, vamos simplesmente ser uma “casa de repouso”.

Quando nos dermos conta de que vivemos dentro da esfera da natureza que nos afeta, veremos que nos tornamos uma sociedade integral onde todos dependem uns dos outros. Isso é claro para muitas pessoas, mas elas não sabem o que fazer com isso. Tudo o que tocamos se transforma em mal para nós.

O fato é que, num mundo global, qualquer ação incompatível com o sistema geral – a pessoa, a humanidade, a natureza – traz prejuízos. Portanto, nós primeiro precisamos aprender a operar, gerir, ou pelo menos existir confortavelmente, com segurança, para nós e para os outros. Assim que chegarmos a isso, vamos sentir uma resposta positiva desde a primeira ação.

De KabTV “Uma Nova Vida” 02/10/14

Comente