A Lista De Convidados Não Pode Ser Revista

laitman_281_02Baal HaSulam, “A Paz”: Desde o início da criação, todas as pessoas têm reservas, e o Pensamento do Criador exige que elas venham para a festa, consciente ou inconscientemente.

Este plano certamente será cumprido e é tudo uma questão de tempo. Afinal, as forças do mal que desenvolvemos retornam para nós como um bumerangue, pressionando-nos e levando-nos às decisões certas.

A meta será obtida de uma forma ou de outra, e, na verdade, nós estamos aproximando-a ao usar incorretamente o nosso ego em desenvolvimento, de modo que, no final, ele age contra nós, forçando-nos a responder.

Em geral, até recentemente, o processo de evolução foi bom para nós. Nós desenvolvemos novas ferramentas, introduzimos a concorrência, construímos um sistema bancário, desenvolvemos o comércio, descobrimos continentes, e, basicamente, tudo estava muito bem, uma vez que isso nos ajudou a avançar.

No entanto, no século XX, nós esgotamos esta forma de desenvolvimento e pela primeira vez começamos a ver que há um limite para o nosso progresso. Nós estamos num beco sem saída. Nós esgotamos o nosso ego e hoje estamos começando a nos destruir. Nós vimos sinais claros disso por um tempo agora. Em 1971, por exemplo, a moeda de ouro nos EUA foi substituída por uma nota de papel. A erupção do ego teve muitas consequências, mas a principal lição foi a de que os problemas futuros nos forçarão a mudar o nosso estilo de vida, a fórmula da existência humana.

A questão é se golpes nos forçarão a ficar mais sábios e entender como evitar problemas ao longo do caminho, ou se seremos capazes de identificar com antecedência o que está vindo e começar a mudar a nós mesmos.

A evolução lenta vai levar a formas totalitárias de governo, como na Alemanha ou na Rússia soviética da primeira metade do século passado. Estas são as duas formas finais do desenvolvimento do ego, e nós podemos estar testemunhando-as novamente. Além do mais, é exatamente nessa direção que estamos avançando; no entanto, hoje, isso é chamado de “Armagedon”, ou nós podemos forçar a nós mesmos artificialmente contra o nosso ego crescente para desenvolver a força boa e anti-egoísta de doação, ao invés da força de recepção entre nós.

Então, nós vamos desenvolver este caminho. Na verdade, isso é o que os Cabalistas nos dizem: usem a força oculta na natureza. Ela pode nos dominar assim como o nosso ego nos domina hoje. Até agora, a força do mal tem dominado a força do bem, a recepção tem dominado a doação. No entanto, agora, a força de doação pode dominar a força de recepção. Isso significa que elas vão ser equilibradas, assim como a sabedoria da Cabalá explica e nos ensina a compreender o equilíbrio entre elas. Afinal, é impossível usar apenas uma das duas forças. A força de doação, o amor absoluto, pode ser uma força destrutiva. De um modo geral, cada uma das forças cega uma pessoa, e ela não vê nada diante dela. Se aceitarmos uma única força, seremos cativos dessa força. Apenas o equilíbrio certo entre as duas forças que encontramos dentro de nós é chamado de Adão (Homem) em nós. Ele nos leva à realização e ao verdadeiro sentimento, à recepção e à doação, que nos permite utilizar toda a natureza e construir a nós mesmos no meio dessas duas forças.

De acordo com a sabedoria da Cabalá, não há outra maneira de podermos nos desenvolver. Na pior das hipóteses, vamos alcançar isso por meio de golpes e sofrimentos. No entanto, os golpes não irão criar a forma correta em nós. Nós temos que fazer a escolha por nós mesmos, tomar decisões e, gradualmente, estabelecer isso dentro de nós para que possamos ficar mais sábios e entender a conexão entre nós e o Criador através de nossos esforços para construir a nossa casa, a Divindade (Shechiná).

No entanto, nós somos como uma criança teimosa que se recusa a aprender, e assim os problemas surgem: as medidas disciplinares que a forçam a começar a aprender. Se ela aprendesse com seus livros, não haveria necessidade dos golpes. Pelo contrário, ela poderia economizar tempo e evitar os sofrimentos.

Na verdade, é impossível avançar no caminho de “em seu tempo” (Beito), pois você fica no mesmo lugar sem se mover, como um burro, até que apanha e não tem outra escolha.

Baal HaSulam diz que os convidados virão para a festa consciente ou inconscientemente. Por isso, nós devemos ouvi-lo.

Da 4a parte da Lição Diária de Cabalá 26/10/14, Escritos do Baal HaSulam

Comente