A Contradição Que Traz Equilíbrio

Laitman_707Até o momento, os estudos sobre a evolução da Terra permitem concluir que tudo tem sido gerido pela extensão e conexão. Extensão é a dispersão “generalizada”, enquanto que a conexão significa comunicação, a reunião das partes.

Essas duas forças estão agindo no nosso mundo e devem ser equilibradas. Durante a evolução e a correta integração entre elas, estas forças estabelecem sistemas muito complexos, que depois evoluem numa base de extensão e conexão do seu lado. Um não pode existir sem o outro.

Do lado da natureza, este programa funciona em perfeita harmonia entre dispersão e unificação das partes. No entanto, o ser humano insere muitas distorções no processo.

Tudo é baseado no equilíbrio entre a expansão e contração, resfriamento e aquecimento, e em outros fenômenos derivados dessas forças básicas. Elas também agiram no momento da criação da crosta da Terra quando o fogo irrompeu de debaixo dela. E depois disso, quando a Terra novamente se resfriou e se tornou sólida.

Esse ciclo continuou até que o equilíbrio foi criado: o calor se reuniu no interior da Terra, o resfriamento criou um envoltório duro e tornou possível a evolução das formas de vida vegetal e animal. De uma forma ou de outra essas forças foram projetadas para criar um determinado tipo de conexão, de modo que o aquecimento e resfriamento colaboraram entre si de uma forma equilibrada. Portanto, para onde está nos levando tudo isso? Qual deve ser o nosso próximo estado?

Aqui nós chegamos a um pensamento surpreendente. Os seres humanos estão vivendo na sociedade humana; nisso eles diferem da natureza inanimada, vegetal e animal. De um aspecto social, nós estamos nos tornando uma humanidade única e global onde tudo está integralmente conectado a tudo o resto.

Isso significa que, aparentemente, nós temos que proteger e criar um equilíbrio entre as duas forças: a força centrífuga (que foge do centro para fora), que nos distancia um do outro, e a força centrípeta dirigida para o centro, conectando-nos uns com os outros. Esses dois fatores, para fora e para dentro, devem estar em equilíbrio.

Mesmo que um deles ocasionalmente supere o outro, é assim que nós avançamos em nosso desenvolvimento, movendo um pé e depois o outro. De qualquer forma, manter um equilíbrio entre as duas forças cabe a nos.

E aqui reside o problema. Nós realmente usamos a força de conexão e a força de distanciamento, mas as exploramos egoisticamente. Por exemplo, eu estou pronto para me conectar com outras pessoas para bater em alguém ou conseguir alguma coisa. Em outras palavras, nós não nos conectamos com o propósito da evolução, mas para extrair benefício da luta entre nós.

A verdade é que nós também vemos uma luta constante na natureza, ainda que no nosso nível humano os conflitos não sejam geridos instintivamente. Aqui cabe a nós integrar essas duas forças básicas de uma maneira diferente, conectando uma com a outra. Aqui estamos falando da construção de uma espécie humana totalmente diferente: a nova sociedade.

Primeiro de tudo, a nossa unificação geral humana deve ser completa e absoluta. Ela deve utilizar todas as forças de distanciamento, separação, ódio, etc.

Em princípio, esta conexão é projetada para criar a partir da sociedade humana em todo o mundo um todo único que vai viver em outro nível de compreensão e realização como uma única entidade, como um só corpo. Então nós seremos “células” desse “corpo” coletivo e vamos sentir uma nova forma mais elevada de existência do que aquela quando cada um de nós estava separado. Esta é a conclusão que podemos tirar do que vemos hoje.

De KabTV “Uma Nova Vida” 02/03/14

Comente