Textos arquivados em ''

O Futuro Virá Rapidamente

Dr. Michael LaitmanComentário: No final da série de programas sobre o legado da Babilônia, por favor, tente nos mostrar uma imagem do futuro próximo ou não tão próximo.

Resposta: O programa da criação é muito simples. Sua função é apressar a nós, o povo judeu, a começar a nos envolver em nosso papel, o que significa educar toda a humanidade. Além disso, não há necessidade de educá-los de uma maneira especial; eles vão aprender com o nosso exemplo.

Isto significa que nós só precisamos mostrar ao povo de Israel qual é a forma correta de sua realização: como a sociedade e as relações entre suas partes devem ser formadas; como ela vai trabalhar com a indústria, a ciência e a cultura; como serão as interações entre as pessoas; como será a família; quais serão as regras de comportamento e as regras de apresentação dos membros da sociedade, etc. Assim que começarmos a fazer isso, o mundo vai começar a aprender conosco.

Eu espero que isso aconteça muito rapidamente. A julgar pela pressão global em aceleração do mundo árabe, eu espero mudanças muito rápidas no mundo inteiro e em Israel.

E nós temos que tentar fazer isso com todo o nosso poder para que o mundo avance para a correção de uma boa maneira, de modo que todos entendam a nossa ideia. Além disso, antes de tudo, o povo de Israel deve entender isso, para que não seja empurrado para todos os tipos de problemas.

Não é nem mesmo o problema em si, mas sim que a recusa de realizar o seu papel prolonga o caminho e nos desvia para uma estrada completamente diferente da que vagamos e ainda volta ao mesmo ponto. Em outras palavras, todo esse vagar é inútil!

Portanto, nós temos que levar a ideia da unificação ao povo, mostrar-lhes que ela é prática. Eu acho que nós podemos fazer isso rapidamente.

De KabTV “Babilônia Ontem e Hoje” 24/09/14

O Fim Do Mundo, Quando Não Há Internet

Dr. Michael LaitmanPergunta: O que é a “boa publicidade”? Como essa arte é expressa na prática? Que sentimento ela deveria despertar para que a sociedade avance para além do nível onde está agora?

Resposta: Publicidade e ferramentas de comunicação em geral devem ser transformadas no motor que conduz à conexão entre todos nós. De acordo com o título “meios de comunicação”, elas devem estar no centro da sociedade, criando conexão entre nós. Nelas, a humanidade é capaz de atingir satisfação, contentamento e felicidade.

Veja o que acontece durante uma pequena paralisação de uma rede da Internet. As pessoas ficam literalmente chocadas! Elas entenderam o que significa estar desconectado. A falta de informação parece-lhes como um desastre e não sabem como viver. Nada assim aconteceu no passado.

Até agora, nós estamos ligados artificialmente, sem sentimentos. Isso ainda não é uma conexão entre as pessoas, mas, por enquanto, é apenas a transmissão de uma informação encurtada, primitiva e material. Mas é evidente que a necessidade de novas relações está se intensificando em nós.

Se as comunicações móveis, a Internet e as redes sociais podem nos ajudar a sentir o prazer da unidade, elas causarão a aceleração no desenvolvimento dos meios de comunicação. A partir desses meios, nós vamos avançar para a construção de um sistema global especial onde todos podem se comunicar, aparentemente num mundo imaginário.

Este mundo não é imaginário, mas virtual, onde estamos desconectados de nossos corpos e vivemos numa nova mente e coração coletivos. E não é uma utopia. Com um grande desejo, esse processo pode demorar alguns anos.

Nós estamos falando de uma nova etapa muito séria que é a comunicação sem fronteiras, através de sentimentos e emoções, e com as pessoas se colocando acima da vida física. Aqui elas não se preocupam com drogas, terror ou sedativos, não estão imersas em depressão, nem fechadas numa sala separada. Elas sequer se sentem juntas, porque o conceito de conjunto desaparece, e é o conceito de “um”, e um não é a soma das partes individuais.

De KabTV “Uma Nova Vida” 02/10/14

Contos: Cruzar A Fronteira Egípcia

laitman_749_01Depois que o grupo de Abraão trabalhou na unidade, eles começaram a descobrir um novo nível de ego e começaram a se afastar de novo, exatamente como fizeram na Babilônia.

Eles foram dominados pelo poder do Faraó, o ego gigante que os pressionava, e as relações entre eles se tornou “a escravidão no Egito”.

Foi nessa época que surgiu o próximo líder da nação, Moisés. Moisés foi educado na casa de Faraó desde muito jovem, mas mesmo assim, um grande desejo de ascender acima de sua criação despertou nele. Ele fugiu da presença de Faraó e se voltou ao povo, convocando-os a deixar o Egito.

O povo, no entanto, era muito fraco. Por um lado, eles entendiam que tinham que deixar a escravidão egoísta, caso contrário não haveria chance de se conectar e se unir para reproduzir a ideia de Abraão, que os ajuda a avançar na conexão entre eles, para revelar o Criador.

Por outro lado, o Criador está oculto de seus sentimentos. Assim, a escravidão no Egito é como noite para eles, visto que eles não sentem a vida espiritual. Mas eles já provaram e sentiram o que significa um estado espiritual: a vida sem quaisquer limitações, um sentimento do espaço exterior, uma dimensão diferente.

Por isso, eles foram primeiro bastante passivos, e Moisés teve que agravar o Faraó (o ego), de tal forma que as pessoas sentiriam sua dominação rígida. Só então eles viram as aflições que o ego causou neles e, assim, se prepararam para deixar o Egito, porque não queriam mais se identificar com seu ego. Eles não tinham força para romper com ele, mas, de repente, sentiram o desejo de fazê-lo.

Ao mostrar-lhes a crueldade e a astúcia do ego, Moisés eleva o povo e tira-os do estado egoísta. Agora eles estão prontos para superar todas as brigas, disputas e conflitos e ascender acima deles de acordo com a condição “o amor cobre todas as transgressões”. Então, eles rompem com a escravidão no Egito, sobem sobre ela e deixam o Egito.

Cada nível espiritual é feito de dez subníveis. Cada subnível deve ser visto como uma fonte de perda, dor, sofrimentos e doenças terríveis. Sofrimentos que se acumulam gradualmente no reconhecimento da escravidão egoísta e convencem as pessoas a romper com o ego (mesmo à noite, no escuro, quando nada é entendido e nada pode ser visto); a principal coisa é manter a conexão entre elas.

A situação antes do êxodo do Egito e depois é semelhante ao atravessar uma fronteira. No Egito, nós dependemos uns dos outros, odiando um ao outro, mas no momento em que tomamos sobre nós a lei da misericórdia, da doação altruísta, da incorporação mútua, podemos atravessar a fronteira e fugir do Egito.

De KabTV “Contos”22/10/14

Futebol E Carnaval Não São Mais Uma Atração

Laitman_049_01Comentário: Nós gostaríamos de passar nosso bastão, nosso amor, nossa atitude sincera aos nossos amigos da América Latina e América do Norte e pedir aos amigos que têm a possibilidade de estar lá, que definitivamente venham se encontrar com você e seus amigos.

Resposta: Eu espero muito por isso; eu estou indo para as nações da América Latina e América do Norte com a grande esperança de me encontrar com meus alunos. Eu quero ver que eles estão avançando na mesma direção que a nossa “equipe russa” avançou em Sochi. Eu gostaria que existisse grupos semelhantes lá.

Nós vemos com que velocidade o mundo está evoluindo. Basta pensar, os brasileiros não querem mais ver futebol! Isso diz alguma coisa! Aqui ainda estamos presos em futebol, enquanto lá isso não é mais assim, embora para os sul-americanos o carnaval e o futebol sejam as coisas mais importantes na vida.

Este é um fenômeno muito interessante. Juntamente com o cansaço, isolamento e distância, algum tipo de consciência aparece, e não apenas algo vago e passivo. Eles não querem isso! Especialmente agora, quando eles perderam, isso dá um impulso ainda maior para a conscientização continuada.

Veja como eles estão sendo guiados de Cima! Afinal, para eles o futebol era toda a sua vida: a salvação da revolução, da pobreza, de tudo! As pessoas estão começando a entender que é necessária uma decisão radical; devaneios em jogos não são permitidos.

Espanta-me que isso esteja vindo justamente de lá. Quando pessoas como estas parecem saber naturalmente como romper com todas as dificuldades e se contentar com pouco, já sentindo que não podem se realizar por meio disso, é maravilhoso!

Da Convenção em Sochi “Dia Um” 13/07/14, Lição 1

A Força De Superação, Parte 3

laitman_527_01A essência da superação é que a pessoa sente a importância naquilo que não gostava antes. Por exemplo, ela quer perder peso e é por isso que se junta a uma associação de perda de peso. Nesta sociedade, todo mundo fala como é ruim ser gordo, o quanto isso prejudica a saúde, faz com que os outros gozem de você, e lhe deixa infeliz e inábil.

Ouvindo tudo isso, a pessoa está ardendo com o desejo de perder peso. O ambiente tem uma forte influência sobre a pessoa, e ela começa a seguir uma dieta. No passado, ela não podia deixar de comer doces. Agora, de repente, ela perde o gosto pelas coisas que amava antes. Assim, ela está mudando gradualmente.

Isto é, a superação está relacionada não à ação em si, mas ao sentimento de importância adquirido daquilo que se pensava anteriormente ser sem importância e não era feito, na medida em que ela seguia seu desejo.

Mas agora eu venci minha relutância, adquiri uma nova necessidade, desejo e valor e, portanto, atuo para alcançar isso. Isso já não é mais difícil para mim e não exige superação.

Suponha que eu deva me abster de almoçar. No início isso era absolutamente impossível para mim, porque eu esperava ansiosamente por este almoço desde manhã. Mas agora eu não só deixei de esperar por ele, mas me esqueci totalmente dele. Ou seja, a superação foi necessária para parar de pensar em comida, mas não de se abster dela.

Pergunta: Em algum momento, a pessoa se acostuma com a dieta tanto que se torna fácil observá-la?

Resposta: Não, não se trata de um hábito, mas de encontrar um desejo tão forte de se tornar magro que irá suprimir completamente o apetite.

Antes eu estava atraído por algo prejudicial para mim e estava constantemente pensando nisso. Mas agora eu penso justamente nesse mal, que se torna mais importante para mim do que prazer. Ser magro é mais importante para mim do que comer algo saboroso e ganhar peso. Eu não posso perder peso enquanto como tudo o que vejo.

Se o risco de obesidade para mim é mais importante do que o prazer da comida, a importância disso, o meu desejo de ser saudável, me direciona para o outro lado. Assim, não é difícil para eu seguir uma dieta. Eu esqueço que existe comida deliciosa.

Isto é, eu não preciso superar o meu desejo de comer o tempo todo. A superação é necessária apenas para manter uma compreensão constante em mim da importância de ser magro.

Normalmente, as pessoas associam a superação com uma luta com o seu desejo de comer comida saborosa. Mas isso não é correto. Superação é buscar sempre a confirmação de como é bom estar em forma. Eu tenho que fazer constantemente afirmações: “É importante estar esbelto! Quão magras estão as pessoas ao meu redor! Como é nojento ser gordo!”.

Então, eu não vou ter medo de passar por um restaurante ou uma pastelaria; seus sabores não me atraem porque eu visarei coisas diferentes. Meu desejo não será direcionado para a comida, mas em como ser magro. Ou seja, eu preciso mudar o vetor do meu foco, o objetivo, mudar a atenção de um para o outro: da comida saborosa para uma figura esbelta. Esta é a totalidade da superação.

De KabTV “Uma Nova Vida” 27/05/14

Contos: Jacó E O Desenvolvimento Do Grupo De Abraão

Dr. Michael LaitmanA restrição correta do ego que leva ao ponto médio entre o atributo de Abraão/Hesed (misericórdia) e o atributo de Isaac/Gevura (poder) é necessária para avançar espiritualmente e ter o que eles têm em comum.

O que eles têm em comum é a próxima fase no desenvolvimento do grupo de Abraão, que se chama Jacó, uma vez que a conexão entre a linha direita (Abraão) e a linha esquerda (Isaac) retrata gradualmente a linha do meio (Jacó).

Na verdade, é neste ponto que nós podemos falar sobre o início da verdadeira realização real do método da Cabalá, porque agora ela inclui as duas linhas, a direita e a esquerda, o atributo de Hesed (doação) e o atributo de Din (recepção), que criam uma terceira força que os conecta corretamente. A terceira força é chamada de Jacó.

A formação da linha do meio (o atributo de Jacó) no grupo Cabalístico que saiu da Babilônia é a base para o desenvolvimento da sabedoria da Cabalá. Cada movimento no desenvolvimento espiritual é gradualmente realizado e só é possível subir para o próximo nível quando adicionamos a linha esquerda à linha direita.

Se eu estou em certo nível, eu tenho que adicionar a linha esquerda e diferentes tipos de desejos e problemas egoístas e superá-los, a fim de subir para o próximo nível. Esta é a única maneira de eu entender o próximo nível. Em outras palavras, as áreas planas sobre os degraus da escada são os atributos da bondade e a ascensão de um nível ao outro são os atributos de dominação, respeito e poder, acima dos quais eu subo.

É assim como a escada da ascensão espiritual chamada escada de Jacó é construída. Jacó inclui tanto as forças do bem e do mal e as conecta corretamente ao realizar internamente o método da subida gradual da escada. Jacó é realmente o início do desenvolvimento espiritual que é proposital e correto.

Isso explica a existência da linha esquerda em nosso mundo. Ela decorre do Criador que nos dá a linha esquerda para que possamos subir mais alto acima de nós mesmos até que atinjamos Seu nível.

A combinação certa entre as linhas direita e esquerda, o atributo de Abraão e Isaac, está incluída no atributo de Jacó, que também é chamado de Israel. Se tomarmos essas duas forças da natureza e as conectarmos corretamente, subindo a escada de Jacó, nós nos tornamos Israel (Yashar- El), que significa direto ao Criador. Quando nós usamos essas duas forças, nós podemos focar com precisão a meta e constantemente visar, colocar e gerenciar a nós mesmos exatamente na linha média.

De KabTV “Contos” 15/10/14