Tocar O Criador Pela Primeira Vez…

Dr. Michael LaitmanEm nosso mundo, cada um de nós tem um pequeno desejo de espiritualidade, um ponto no coração. Todo o coração é o nosso egoísmo. Claro, não estamos falando do coração-bomba fisiológico; nós estamos falando de desejos. E já que eu só tenho um mínimo desejo em relação ao Criador, eu sou incapaz de receber mais do que uma mínima iluminação da espiritualidade, que preenche todo o nosso mundo com prazeres.

A fim de nos tornarmos semelhantes ao Criador, é necessário nos unirmos com o amigo, porque o Criador só pode ser sentido no desejo de doar, ou seja, entre nós. Conforme eu tento me unir com os meus próximos, eu começo a entender que sou incapaz de desejar isso.

Touching The Creator For The First Time

No entanto, eu preciso continuar a me esforçar na seguinte ordem:

  • Eu ajo com a finalidade de me unir com os amigos;
  • Eu descubro o ódio em relação aos amigos;
  • Aos poucos, eu adquiro a importância da meta, a qualidade de doação;
  • Eu inclusive adquiro a necessidade de doar.

A Luz Circundante corrige a qualidade de doação em mim.

Então, o que nos falta para nos unirmos e recebermos prazer? Muito parecido com uma criança pequena que não consegue entender o que se quer dela quando os adultos exigem que ela se comporte bem, nós, adultos, também não entendemos que nos faltam algumas condições e ações, devido às quais vamos entender o que está sendo exigido de nós.

Só por isso, o Criador “quebrou” a alma comum (o desejo comum), separou-a num número infinito (digamos, sete bilhões de almas) para que pudéssemos elucidar o que nos falta, a fim de desfrutá-Lo. Vamos supor que Ele seja algum prato com o qual não estou familiarizado, que não vou comer até desejar comê-lo. Mas o que eu deveria desejar por isso?

A fim de nos armar com o desejo correto, nós temos que trabalhar no sentido da unificação entre nós. Através deste trabalho, eu entendo o que eu devo desejar. E depois de tentar nos unir, nosso ódio para com os amigos será revelado. Depois, juntamente com o investimento nos outros e tendo outros investindo em mim, nós revelamos a importância da meta.

Claro, o tempo todo a Luz Circundante nos afeta. Como consequência de sua influência, eu começo a adquirir uma necessidade pela qualidade de doação: eu desejo senti-la, adquiri-la! Eu já começo a ouvir que ela vale a pena, que é algo grande, especial e elevado. Disseram-me que, com a ajuda do desejo de doar, eu vou avançar para outra dimensão, onde existirei acima de todos os problemas e, acima de todo este mundo, e, além disso, que vou ter isso aqui e agora!

Além disso, eu não morro; eu adquiro uma qualidade adicional. Então, por que não? E meu desejo egoísta consente com isso: “Ok, então você vai ter uma qualidade de doação também!” Isso é chamado de Lo Lishma (desejar a espiritualidade egoisticamente, para seu próprio bem). Em outras palavras, isso ocorre de forma gradual e natural, uma vez que tais alterações são inseridas em nós pela natureza.

Assim, eu tenho a importância da meta, e depois adquiro a necessidade da doação, e se consigo a plena medida de meus esforços, a Luz Circundante já me influencia e revela a qualidade de doação em mim, por enquanto, de forma discreta. No entanto, já é o suficiente para eu tocar o Criador e senti-Lo.

O primeiro contato com Ele é o mais importante e mais difícil, mas, depois disso, a pessoa não precisa mais de explicações; ela começa a entender por conta própria o que está sendo discutido.

Da Palestra “Cabalá para o Povo” 02/11/10

Comente