O Crescimento Secundário Do Terror, Parte 1

Dr. Michael LaitmanPergunta: Uma nova ameaça paira sobre o mundo. A ameaça nos unifica com uma sensação de perigo comum. Seu nome é o Estado Islâmico (ISIS) que está rapidamente ganhando terreno.

A crueldade excepcional desta organização inclui execuções terríveis de jornalistas ocidentais e prova a grande eficiência da organização.

Esta organização tem recursos financeiros, bons conhecimentos tecnológicos, e uma excelente capacidade de organização que permitem estabelecer rapidamente seu controle. Tem-se a sensação de que estamos assistindo à evolução de uma epidemia que vai dominar o mundo, se não pararmos com isso.

Esta preocupação preenche os corações dos líderes e cidadãos que estão à procura de uma solução. Nas últimas duas semanas, o mundo vem tentando se unir na luta contra a organização. A ONU publicou um comunicado denunciando ações da organização e tanto o mundo ocidental como o mundo árabe estão procurando unir forças. A última convenção da OTAN também levantou esta questão. Como resultado, eles concordaram em estabelecer uma coalizão de dez países, incluindo a Turquia, com apoio maciço. A declaração sobre cooperação militar, diplomática, de inteligência e política contra o ISIS tem sido feita, na esperança de que os países árabes sejam os próximos a se juntar.

O secretário da ONU, o presidente dos Estados Unidos, o primeiro-ministro britânico, o rei da Arábia Saudita, e outros aderiram a esta iniciativa, na medida em que a ameaça comum aproxima todos para lutar contra o inimigo comum.

Muitas sugestões foram feitas, incluindo mudar a lei que impediria o retorno de guerreiros ISIS que têm uma cidadania ocidental para suas casas, um controle mais rígido das organizações muçulmanas que estão se espalhando na Europa e EUA, limitar a atividade na fronteira com a Turquia, e a proibição de pagamento de resgate por reféns, já que esse dinheiro financia atividades terroristas e, portanto, retorna a nós como um bumerangue.

Vamos supor que a OTAN esteja convocando para discutir a ameaça apresentada pelo ISIS e outras organizações extremistas que estão surgindo. Se você fosse um consultor, o que você iria aconselhá-los a fazer a fim de erradicar o problema e neutralizar o ódio cruel em escala internacional?

Resposta: Nós podemos colocar a solução em uma palavra: unidade. Se não avançarmos em direção à conexão, no sentido de uma coalizão de Estados que seja tão forte que acabará por se tornar uma família, novas organizações de resistência vão surgir e vão nos surpreender novamente de forma muito desagradável.

Nós devemos parar de perguntar onde o ISIS estava seis meses ou um ano atrás, onde fica todo o dinheiro para tais operações generalizadas, onde eles mantêm seu arsenal, onde recebem seus cuidados médicos, etc., porque, afinal de contas, é impossível lutar num deserto sem tudo isso, e eles precisam de milhares de pessoas para suprir todas as suas necessidades. Assim como há um imenso mecanismo por trás de um exército que lhes fornece comida, munição, logística, assistência médica, etc. Os grupos armados no Oriente Médio também precisam de muitas pessoas que servem os guerreiros.

Assim, nós falamos de uma grande organização com grandes recursos e possibilidades ilimitadas. Ela já se espalhou por todo o mundo, e com a ajuda da propaganda sistemática, está atraindo muitas pessoas, não só do Oriente Médio, mas também nos países ocidentais desenvolvidos. Esta rede internacional opera com muita sabedoria. Eles estão em contato uns com os outros e têm um líder sério.

Por que só recentemente nós descobrimos isso? Se não tivéssemos falado sobre isso agora, não teríamos sido capazes de descobrir e conhecê-los. Não havia ninguém em estado de alerta? Os serviços de inteligência ocidentais, que estão em todos os lugares com todos os meios que têm, incluindo bases, agentes, etc., não sabiam o que estava acontecendo?

Será que somos tão ingênuos que podemos contar contos de fadas sobre o surgimento de um novo líder cujo reino se espalha por todo o mundo e que entre os seus cidadãos estão pessoas de diferentes países? Não é por acaso que o homem que cortou a cabeça do jornalista norte-americano era um cidadão britânico.

Isso significa que nós não entendemos o plano de fundo para esses eventos. Eu acho que os líderes ocidentais quiseram silenciar sobre esse problema por um tempo. Eu duvido que eles não soubessem e não tivessem discutido isso, porque tais problemas são sempre um problema para a discussão.

Nós vemos que, no final, a humanidade depende de líderes que só pensam em si mesmos e como se manter em sua posição por tanto tempo quanto possível, a fim de aproveitar os benefícios de sua posição.

Eles estavam prontos para continuar nesse caminho, e se o ISIS não tivesse começado com conquistas ativas, eles teriam permitido que o ISIS continuasse a reforçar a sua rede. Ninguém se importava. O mundo é destruído pela atitude egoísta das pessoas dentro de cada país. A brecha na conexão entre nós é tão grande que ninguém se importa. Não podemos pensar sobre o que nos conecta. Uma pessoa só pensa em si mesma e se preocupa apenas como o hoje ou amanhã, no máximo, e é isso. Nosso ego tornou-se duro e intolerante.

Portanto, eu não espero que os líderes mundiais tomem qualquer ação especial. O bombardeio não vai ajudar, pois todos nós sabemos que é impossível derrotar as organizações terroristas. Seu poder está na sua ideologia e lutar contra ele com armas é fútil. Apenas outra ideologia funciona contra certa ideologia. Por enquanto, nós precisamos realizar uma ação militar, mas não devemos pensar que isso vai trazer a vitória e o fim do ISIS. Ele não vai desaparecer. Tais organizações terroristas não desaparecem, mas sim mudam de forma, se mesclam e se separaram, mas ninguém jamais conseguiu extirpá-las.

Nós vemos isso em Israel, em nossa guerra contra o Hamas, o que prova que é impossível derrotá-lo e chegar a qualquer acordo, uma vez que tudo o que é assinado hoje, é irrelevante amanhã. Todos nós sabemos que, portanto, quaisquer negociações com eles não são nada, senão engano.

Isso se refere a todas as organizações terroristas e não há nenhuma chance de paz, a menos que uma liderança palestina, como a Jordânia ou a Síria, por exemplo, possa, pelo menos, manter um acordo. Só então poderemos falar de alguma estabilidade e de um governo que seja responsável pelo que diz. Enquanto isso, novos terroristas surgem no lugar dos que foram mortos, e nada muda. Portanto, eu tenho a minha própria solução para a comunidade internacional, onde apenas uma ideologia pode ser uma arma eficiente, e essa ideologia é muito simples.

O que o ISIS realmente quer? Ele quer conexão. Eles querem trazer todos juntos sob sua bandeira negra. Portanto, a arma que podemos usar contra ele só pode ser uma ideia de conexão entre todos sob a nossa bandeira. A cor não faz diferença. A principal coisa é que isso vai realmente unir todo mundo de acordo com o mesmo princípio que o ISIS acredita, que “todo mundo pode se juntar a nós”. Isso é o que a humanidade deve fazer e nós devemos começar agora a trabalhar na conexão geral.

Quando fizermos isso, vamos ensinar as pessoas a conectar, dizer-lhes o que é um mundo integral e como é importante estabelecê-lo em equivalência com a natureza, já que a natureza nos força a fazer exatamente isso. Nós temos que transmitir essa mensagem às pessoas de diferentes maneiras, através do estudo, programas de entretenimento, clipes de vídeo, etc., para que a mensagem chegue a todos os setores.

Então seremos capazes de dizer que começamos a luta contra todas as organizações terroristas, e, em geral, contra todo o mal no mundo. O único meio de fazer isso é através da introdução de um sistema de formação e educação, que explica as leis de um mundo único e integrado.

De KabTV “Uma Nova Vida” 07/09/14

Comente