Ponto Sem Volta

Dr. Michael LaitmanNós temos que aplicar o máximo esforço para atingir a meta que aspiramos, e ao fazer isso, provar que não somos capazes de alcançá-la. Então, nós temos que verificar se estamos indo na direção certa e poderemos ter a chance de alcançá-la; depois, através do emprego de nosso intelecto e sensações nós vamos perceber que nunca seremos capazes de atingir essa meta por conta própria e precisamos da ajuda do Criador.

Nós devemos aceitar o fato de que somente o Criador é capaz de dar a nossa entrada no mundo espiritual, de realizar o nosso nascimento espiritual, de fazer a nossa transição do ventre da nossa mãe onde estamos separados para o estado de conexão. Durante o nascimento, nós passamos pelo lugar mais estreito que liga um mundo com o outro; é o lugar da conexão inicial entre nós, que acontece no mínimo nível espiritual. Será que nós somos capazes de alcançar isso ou não?

Se a resposta for “sim”, então vamos fazer isso. Se a resposta for “não”, vamos exigir que o Criador faça, um dos dois. Vamos tomar uma decisão imediata e executá-la rapidamente, em vez de perder tempo!

Como regra geral, a inclinação ao mal sussurra em nossos ouvidos com “promessas” de enorme sucesso nos esperando “da próxima vez”; ela nos diz que ainda não conseguimos tudo o que éramos capazes de conseguir, que não lemos o suficiente ou aprendemos tudo o que poderíamos, e, portanto, há uma abundância de coisas que ainda temos que cuidar.

É assim que agimos por muitos anos; nós reconhecemos que, como resultado da influência do grupo, começamos a perceber que somos incapazes de invadir o mundo espiritual e pedimos a ajuda do Criador.

Este é o momento em que começamos a gritar e pedir a Ele por Sua ajuda, e esta é a direção certa, porque não temos o poder de doação, mas apenas mantemos a força de receber.

A influência do grupo vai proporcionar a todos o entendimento de que somente o Criador é capaz de construir um sistema de conexão entre nós e nos unir. Nós exigimos que isso aconteça e discordamos totalmente com o nosso egoísmo que nos convida a continuar a trabalhar de forma independente. Não há nenhuma razão para continuar agindo da velha maneira; nosso ambiente pode nos influenciar de uma forma que nós vamos chegar a tal decisão.

Da Lição 12/11/10, “Carta 57”, Baal HaSulam

Comente