O Segredo Essencial Dos Judeus, Parte 31

Do livro, O Segredo Essencial dos Judeus, M. Brushtein:

O Desejo: É uma Matéria

Vamos voltar à criação primária: o desejo. Nós descobrimos como o desejo surgiu e como se desenvolveu após o seu surgimento.

Uma dúvida pode vir à tona de que o desejo é primário. No entanto, isso não incomoda os Cabalistas, uma vez que, em qualquer caso, é o desejo que determina a individualidade de qualquer objeto.

“E, claro, não faz diferença se essa força, sendo o desejo de receber, é resultado e fruto do material que a produziu através da química, ou que o material é resultado e fruto dessa força. Isto é porque nós sabemos que o principal é que só esta força, impressa em cada ser e átomo do ‘desejo de receber’, dentro de seus limites, é a unidade onde é separada e distinta de seu ambiente. E isso vale tanto para um único átomo ou um grupo de átomos, chamado de ‘um corpo’. (Yehuda Ashlag, “A Liberdade”)

As consequências das principais quatro fases de desenvolvimento dos desejos, nós podemos ver em todos os lugares.

“Essa força, o desejo de receber, está presente em todos os elementos da realidade, como já explicado acima. Além disso, todos os quatro tipos: inanimado, vegetal, animal e falante surgiram deles”. (Yehuda Ashlag, “A Liberdade”)

O desejo de doar ao Criador (Natureza) manifestou-se ainda mais da seguinte maneira.

“E se nós definimos as coisas pelos seus próprios nomes, utilizando os conceitos que não vão causar nenhum erro em qualquer lado, então precisamos distinguir duas forças: negativa e positiva. No mecanismo de desenvolvimento natural do ser humano elas agem como “egoísmo” e “altruísmo”.

“Eu não estou falando no sentido ético desses conceitos, inerentes à linguagem cotidiana, mas apenas de sua parte material.

“Estas forças estão presentes em todas as partes da realidade, em cada uma de acordo com a sua essência, bem como no homem, de acordo com a sua essência.

“Eles são os motivos principais de todas as ações humanas”. (Yehuda Ashlag, HaUma [A Nação])

A experiência sugere que o altruísmo não pode ser ensinado, uma vez que não pode ser aprendido. Enquanto isso, existe o método “altruísta”. Vamos falar sobre ele mais tarde.

E, finalmente, a principal razão que este livro foi escrito.

“Acontece que quando a humanidade atinge seu objetivo, no que diz respeito ao sucesso dos corpos, levando-os ao grau de completo amor ao próximo, todos os corpos no mundo se unirão num único corpo e um único coração, como escrito no artigo, “A Paz”. Só então toda a felicidade destinada à humanidade se torna revelada em toda a sua glória”. (Yehuda Ashlag, “A Liberdade”)

Nós estamos falando da perfeita unidade com o Criador (Natureza).

Comente