O Caminho Do “Ele Não Quer”

Dr. Michael LaitmanPergunta: Para nós, veteranos, há a sorte de ver os jovens em nossas fileiras tomando para si a maior parte das preocupações (internas e externas) para a disseminação do método integral. Eles evocam admiração.

Mas, junto com isso, um gosto amargo permanece daquelas pessoas que estudaram por algum tempo e se acostumaram com uma outra forma de estudo e outros relacionamentos mútuos. Eles não conseguem encontrar seu lugar neste sistema. Assim, o grupo está em algum tipo de conflito. Como devemos perceber isso?

Resposta: Eu entendo você muito bem, porque eu mesmo pertencia a este tipo de pessoas. Foi muito difícil para eu reconhecer isso, que o Criador só pode ser alcançado através da conexão e unidade prática com pessoas como eu.

Eu cresci na ciência e era seu fã, portanto pensava que era necessário executar tudo com a mente. Quando eu estudava O Estudo das Dez Sefirot e outras fontes, eu as “engolia” e constantemente as digeria dentro de mim com todos os sucos.

Parecia-me que isso iria me ajudar e que só assim eu iria alcançar essa sabedoria. É assim que isso continuou durante um certo número de anos. Portanto eu entendo bem essas pessoas. Mas o que pode ser feito? Mesmo para mim, foi difícil mudar a mim mesmo, porque eu fui criado de maneira diferente: fechado, distante dos outros, uma espécie de “leitor ávido”.

Pergunta: Será que vale a pena empurrá-los imperceptivelmente um pouco a participar na disseminação ou é preferível deixá-los sozinhos?

Resposta: É proibido deixá-los sozinhos. Eles devem sentir tanto pela inveja amarga como pela inveja doce que vocês têm o que eles não têm e que vocês vão atingir especificamente o mundo superior, graças ao que vocês estão fazendo, e eles não vão.

Você precisa ajudá-los dessa maneira, mas não deliberadamente assustá-los, mas sim com sutileza, mostrar que eles devem participar fisicamente nisso, se não ativamente, então com seus desejos, mesmo aqueles que se opõem: ele não quer, mas apesar de tudo participa. Portanto, diz-se que no trabalho espiritual a pessoa é motivada pela inveja.

Da Convenção em Sochi “Dia Um” 13/07/14, Lição 1

Comente