Não Perca A Sua Conexão Com A Vida

Dr. Michael LaitmanAo ler O Zohar, nós precisamos primeiro pensar na intenção, como se eu estivesse planejando viajar e a coisa mais importante para mim é chegar ao destino certo.

Mas, ao mesmo tempo, eu preciso fazer muitas coisas ao longo do caminho. Por exemplo, se eu preciso ir para outra cidade, eu entro no carro, tranco as portas, ligue a ignição, coloco o cinto de segurança e percorro muitas ruas, às vezes até na direção errada, até chegar à estrada principal. Por que eu não posso simplesmente ir direto?

Mas o fato é que eu sou constituído de muitos sistemas, diferentes desejos, e preciso estar conectado a muitas condições, partes do sistema comum de Adão (homem), que operam em duas direções: recepção e doação. As diferentes combinações de recepção e doação são tão complexas e complicadas que às vezes é completamente impossível entender como um determinado evento ou condição pode se relacionar com a meta; por exemplo, os terríveis eventos como a Segunda Guerra Mundial e de outras catástrofes que não podem ser justificadas. Mas cada ação nos aproxima; nós apenas não vemos como isso nos aproxima. Por esta razão, as intenções, ações, pensamentos e desejos podem se tornar seu oposto absoluto, mudando 180 graus. Mas, ao mesmo tempo, nós temos que manter a meta.

Imagine o que aconteceria se você esquecesse para onde você estava indo no meio da viagem! Essas doenças ocorrem na velhice. Esta não é apenas uma memória fraca onde você entra no carro e não se lembra para onde está indo; é um afastamento da realidade que ocorre o tempo todo. Essa pessoa já não pode cuidar de si mesma; ela precisa receber cuidado, como uma criança.

Nós temos a mesma doença em relação à espiritualidade, uma vez que perdemos a nossa intenção! Cada momento nós perdemos a conexão com a vida e nos esquecemos: por que vivemos, o que temos feito e continuamos a fazer, e com que finalidade. Esta é uma doença real, e precisamos combatê-la em todas as formas possíveis, de outra forma não estão vivos! Quando eu perco a intenção, eu não vivo uma vida espiritual! Eu vivo como um animal em vez de um ser humano!

Agora me diga, quantos momentos de sua vida você passou a viver como um ser humano? Quanto esforço você coloca em ser humano? Você está pelo menos tentando alcançá-lo? O número desses momentos é igual ao número de vezes que você deixa a Luz superior influenciá-lo. E você ainda quer alcançar algum tipo de resultado dessa maneira? Você sequer dá à Luz a oportunidade de trabalhar com você, talvez apenas dez minutos em dez anos!

E agora você conta o tempo pelo calendário e se queixam de que têm sido 10 anos, quanto tempo mais? Afinal, está escrito que isso leva de três a cinco anos! Mas o que você estava fazendo todo esse tempo?

Você conta o tempo de acordo com o giro do relógio, mas será que você girou com ele em torno de uma intenção? Não girou? Então o que você está exigindo?

Em outras palavras, todos nós temos a doença de Alzheimer, a perda absoluta da memória, e sequer suspeitamos disso. E como podemos manter uma intenção pura dessa maneira? É por isso que não há garantia mútua! Outras pessoas vêm àqueles que perderam a memória e os ajudam! Não há outra solução. Por isso, vamos concordar em manter a intenção.

Da Lição O Zohar 25/11/10

Comente