Guerra Para Corações E Mentes

Dr. Michael LaitmanPergunta: Israel repetidamente encontra situações irracionais com conflitos que não pode resolver em seu favor. Por exemplo, apesar de Israel ter uma superioridade absoluta em matéria de armamentos, ele não pode ter sucesso, pois a luta é em áreas residenciais. O mundo inteiro nos observa atentamente e não vamos agir como gostaríamos.

Na verdade, nós estamos com mãos e pés amarrados; evocamos ódio ao nosso redor. Além disso, o centro de gravidade nas guerras contemporâneas deslocou-se para a luta para conquistar a opinião pública. A aprovação social define o sucesso. Será que esta situação contém uma dica de como isso pode ser resolvido?

Resposta: De fato, as guerras não são sobre armas, mas sobre influenciar as mentes humanas. O resultado de qualquer guerra depende do estado dessas mentes que decidem quem está certo e quem está errado, não sobre quem é mais forte no campo de batalha. Portanto, aqueles que são mais astutos, mentirosos e desonestos vencem.

Em suma, a guerra não é mais o que era antes. Exércitos poderosos, tecnologias militares e armas modernas dão lugar ao arsenal da mídia. Muitas vezes, as batalhas se desenrolam apenas entre diferentes pontos de vista.

Este estado das coisas nos aproxima da ideia das “guerras israelenses” em seu verdadeiro sentido. Anteriormente, nós conduzíamos verdadeiras “guerras israelenses” para representar a categoria de “Israel”, que significa ser como um homem com um coração, ou seja, ser um todo. Ao atender a esta condição, nós éramos semelhantes à Luz Superior, à força que se derrama sobre nós e nos governa. É assim que alcançávamos nossas vitórias.

Hoje, depois de dois mil anos de exílio, depois de termos caído da altura espiritual da unidade, nós temos que nos reconectar um com o outro. Por isso, quer queiramos ou não, nossas guerras ainda carregam o caráter ideológico de antes. Em outras palavras, elas são novamente conduzidas no campo de batalha de pontos de vista para se unirem.

No futuro, a ideologia (informações que recebemos, pensamentos e conceitos que são impostos a nós) vai voltar a ser uma arma. Neste momento, nosso mundo é tão cheio de ligações entre todas as partes que se dissecássemos o mundo em pedaços, se isolássemos os países, nenhum deles seria capaz de sobreviver por conta própria. Isto diz respeito a Israel mais do que qualquer outro país, porque Israel depende totalmente do comércio internacional e das conexões industriais internacionais com a América, Europa e Ásia. O que aconteceria conosco? Deveríamos parar nossas importações e exportações? Outros países não estão numa situação muito melhor.

Isso explica por que é impossível fazer a guerra e desfrutar uma permissividade completa. Países são restringidos pela ONU e organismos internacionais. Nós estamos constantemente enfrentando a ameaça de sanções e limitações, até boicotes que podem assumir muitas formas e alcançar uma variedade de níveis. Se você bloquear os fluxos comerciais e financeiros internacionais, qualquer país começa a sufocar e se sente como se estivesse em restrições. Nada pode ser feito sobre isso. Qualquer país interage constantemente com o mundo inteiro.

Portanto, isto significa que as armas são inúteis; ninguém pode tirar vantagem de armas militares, sem levar em consideração os interesses dos outros, porque eles vão bloquear o “oxigênio” que flui para o país e isso vai rapidamente sufocar. A economia global impõe uma pesada carga de dependência e nos faz confiar num bom relacionamento com nossos parceiros.

Como consequência dessa dependência, o mundo inteiro nos afeta e dirige nossos passos, quer queiramos ou não. Por exemplo, a Rússia enfrenta duras sanções que foram impostas. Este país perde bilhões de dólares como resultado dessas sanções e é por isso que não pode fazer o que quiser.

A guerra é um negócio onde os lucros e prejuízos são calculados com precisão. Hoje, as perdas podem ser tão grandes que não haverá fundos para combater uma guerra futura.

Portanto, isso significa que qualquer conflito militar exige, pelo menos, um mínimo de apoio do mundo.

Pergunta: Será que isso significa que, se não tivermos o apoio do mundo, não há chance de ganharmos?

Resposta: Verdade! A situação atual não nos dá a mínima chance de vencer. Nós concordamos com “soluções” temporárias que vão durar por mais um ano ou dois.

Não há nenhuma solução real para esta situação até que arrastemos a maioria do mundo para o nosso lado. Como é possível? A única maneira de conseguir isso é persuadi-los de que eles precisam de nós, que somos a “luz para as nações”, e que através de nós, eles podem se aproximar da abundância. Em outras palavras, eles devem entender que nunca irão obter abundância sem nós, nem vão ser capazes de comprá-la com dinheiro.

Não há milagres aqui, apenas as leis da natureza. A Cabalá é uma sabedoria que nos permite fazer cálculos precisos sob a condição de que entendamos profundamente como o sistema geral funciona.

De KabTV “Cabalistas Escrevem. As guerras de Israel” 21/07/14

Comente