Disposição Número Um

Dr. Michael LaitmanPergunta: Numa de nossas reuniões de seis ou sete anos atrás, você disse que se continuássemos a estudar a sabedoria da Cabalá e acelerássemos os nossos esforços, isso acabaria por nos levar a um encontro com o Criador, ao fim da correção. Alguma coisa mudou desde então?

Resposta: Durante este tempo, nós passamos por inúmeras mudanças que você não pode sequer sonhar. Você não vê como o mundo está mudando? Cinco anos atrás, nós dissemos: “Olhe para o que vai acontecer em um ano”. Na verdade, não foi um ano, mas cinco anos, mas isso já aconteceu. Se fosse mais cedo, teria sido melhor, é claro, mas o mundo não pode fazer nada.

A questão não é o mundo, mas nós. Nós somos os únicos que podem acelerar o nosso desenvolvimento. O mundo é apenas uma questão, e não há nada nele. As pessoas crescem e mudam de acordo com a forma como nós as “alimentamos”, mas nós passamos por todas as mudanças de forma consciente.

Aqui, a preocupação e a nossa percepção e reconhecimento internos do que está acontecendo para nós são essenciais, mas é preciso tempo, porque estamos desperdiçando nossos recursos em ações que são totalmente irrelevantes e ineficientes.

Se esclarecermos corretamente o que está acontecendo entre nós apenas na percepção da nossa aproximação ou afastamento, em nossa inclinação correta com o objetivo de criar a base espiritual para a percepção do Criador e para unir a Ele, começaremos a avançar muito mais rápido. Nós devemos tentar olhar para a audição interna e a visão interna, os sentidos internos. No entanto, eles não estão em cada um de nós, mas entre nós, uma vez que não são sentidos corporais, mas sentidos realmente integrais que aparecem na conexão entre nós.

Se não há essa conexão, isso significa que não existem tais sentidos, mas, no momento em que há uma conexão, novos corpos espirituais começam a aparecer entre nós, assim como a matéria começou a se desenvolver no passado. Nossos sentidos espirituais são gradualmente desenvolvidos nestes corpos espirituais para que a entidade geral chamada de “alma” possa surgir.

Isto é o que devemos desenvolver, e já estamos nos aproximando disso, pelo menos em nosso reconhecimento e sentimento. Antes, eu não conseguia transmitir todos os sentimentos e pensamentos em palavras, mas agora eu posso, porque vocês já estão experimentando os estados correspondentes. Vocês já conseguem entender e experimentar isso.

Agora, nós podemos entender melhor uns aos outros e justificar o outro, não importa em que estado o outro esteja, uma vez que já passamos pelos mesmos estados: descida, desapego, fraqueza, humildade, e assim por diante.

A menos que possamos justificar cada estado que o outro passa, não estaremos prontos para a conexão com o Criador, já que, em geral, é o Criador que evoca todos esses estados em nós, e nós temos que justificar todas as suas ações e, portanto, todas as nossas ações também. Isto não é fácil.

Eu via como o meu professor, o Rabash, passava por esses estados. Ele parecia santo! No entanto, na verdade, para mim, ele parecia totalmente diferente, e eu não podia fazer nada contra isso, até que entendi que é o Criador que está fazendo tudo isso com ele para mim, e isso sequer acontece com ele, mas em minha consciência, já que o mundo inteiro está dentro de mim.

No entanto, nós já nos aproximamos de entender, reconhecer e justificar esses estados. Nós estamos prontos para eles, e podemos experimentá-los e concordar com eles. Isto é muito importante.

Da Conversa numa Refeição no Congresso de Toronto, 04/08/14

Comente