Unam-se Ou Morram

Dr. Michael LaitmanComentário: Hoje há uma guerra; foguetes estão caindo e israelenses estão procurando abrigo. Esta situação catastrófica está forçando muitas pessoas, mesmo aquelas que são laicas, a orar pela salvação. Isso está acontecendo por si mesmo, naturalmente.

Resposta: Este é o medo animal regular. A pessoa quer escapar da ameaça, se salvar da miséria, ou seja, da falta de satisfação, e da negatividade que foi revelada. Basicamente, se a pessoa não orar pela unidade, ela não é diferente de um animal, a quem também é natural se esforçar para se manter a salvo de um desastre.

A adição do nível humano é a capacidade de compreender a causa do mal, pedir a correção e um desejo de unidade com os outros. Esta abordagem é oposta ao estado egoísta habitual, e isso vai permitir que o homem se salve do desastre. Isso só pode ser feito através da unidade.

Pergunta: O Criador diz que Ele realmente ganha nossas guerras, não nós. O que isto significa?

Resposta: Nós não temos a força para prevalecer sobre as condições atuais e usá-las para o bem. Nós só temos força suficiente para conquistar, desafiar e matar aqueles que foram designados de Cima para desempenhar o papel de nossos inimigos. No entanto, isso não resolve o problema ou corrige algo. Se tivermos sucesso, isso pode aumentar a nossa opinião sobre nós mesmos, nos tornar mais orgulhosos, e nos distanciar mais do objetivo, que é a autocorreção. Desta forma, o nosso sucesso numa guerra corporal não leva à bondade.

Mas, se após o combate, nós usarmos as calmarias para “voltar à fonte”, ou seja, para formar o sistema correto de relações entre o povo de Israel, bem como entre eles e todas as nações da Diáspora, então vamos realmente usar a guerra como pretendido.

Mas se não fazemos isso, a vitória nos faz viver num mundo de fantasia e pensar que somos melhores do que outros. Isso resultará num desastre ainda maior para nós no futuro, que prontamente se seguirá.

Comentário: As nações do mundo criticam Israel descaradamentepor proteger seus cidadãos do terror.

Resposta: E este é apenas o começo. Todos no mundo, incluindo os judeus da diáspora, acabarão por ficar contra nós. Todos que vivem no exterior desprezam ferozmente aqueles que vivem em Israel. E o povo de Israel vai se dividir.

Para onde esse tipo de ódio leva? Primeiro de tudo, eles vão quebrar todos os laços com a gente, e sem eles, é impossível existir no mundo moderno.

Depois, eles vão exigir que não toquemos os árabes, e vão apoiá-los. E o que faremos, então? Não somos perdoados pela mídia global quando nos defendemos, porém, somos culpados pela morte de pessoas inocentes. Além disso, quando foguetes acertam nossos civis, os terroristas não são culpados.

Por que isso? Porque o mundo não nos vê como inocentes. Eles nos veem como culpados, mesmo sem qualquer conexão com a guerra. Em essência, esta é a sua mensagem: “Ou vocês corrigem o mundo ou morrem. Caso contrário, saiam daqui”. Além disso, eu não estou certo de que haverá um país disposto a nos aceitar. Quem precisa dos judeus, se eles só trazem miséria para o mundo? Deixe-os se afogarem no mar.

Comentário: Isto parece uma guerra pela sobrevivência.

Resposta: Este é um estado natural, não há nada de novo aqui. Estas leis foram descritas para nós há muito tempo e nós finalmente precisamos reconhecê-las. Sim, nós somos teimosos intransigentes e não podemos ser “quebrados”, mas até que ponto?

Pergunta: Há algo de novo na guerra atual? Será que ela atesta uma nova fase de desenvolvimento?

Resposta: Este novo grau de desenvolvimento está nas pessoas que começam a se sentir impotentes. Mesmo que a campanha atual nos dê uma pausa, não há uma solução real. O mundo inteiro está contra nós, todos os nossos vizinhos estão contra nós, e não vamos sequer ter a possibilidade de lutar contra eles. Não há esperança de uma saída.

Os árabes, que viviam aqui antes do nosso regresso, exigem suas terras de volta. Eles não concordam com esta terra se tornar o lar de Israel e perguntam: “Que direito você tem de nos expulsar daqui há 66 anos? Nós discordamos. Esta é a nossa terra”. Cada um deles pode dizer isso e vai estar certo.

Com que base nós chegamos aqui e os exilamos? Só fazendo isso para o bem deles pode justificar esta ação. E só a Força Superior nos dá a base para fazer isso, porque temos que levar o mundo inteiro para correção. Neste caso, a situação é diferente porque nós agimos em benefício de todas as pessoas, incluindo aqueles que viviam aqui.

Quando dermos um passo neste caminho, nós veremos que eles também veem que estamos certos e vão concordar com isso. Então, como o profeta Josué disse, as nações do mundo vão levantar os filhos de Israel em seus ombros e levá-los para Jerusalém. Elas vão nos ajudar a fazer tudo.

Trecho de “Os Escritos dos Cabalistas. As Guerras de Israel”, parte 2, 18/07/14

Um Comentário

  1. Todos os povos, para se defender ou defender suas terras, podem se envolver em guerras? Ou deveriam encontrar um caminho para a paz, sem o uso de armas?
    Do ponto de vista espiritual, tudo o que ocorre em uma guerra a fim de no final de tantas mortes encontrar a paz, é justificável?

    – Comentário: As nações do mundo criticam descaradamente Israel para proteger seus cidadãos de terror.-
    Eu pergunto, e do outro lado, eles também estão vivendo no terror?

    -Resposta: E este é apenas o começo. Todos no mundo, incluindo os judeus da diáspora, acabarão por ficar contra nós… Depois, eles vão exigir que não toquemos os árabes, e vão apoiá-los. E o que nós vamos fazer então? A mídia global, não nos perdoa por nos defender e nos culpam pela morte de pessoas inocentes. Mas quando foguetes voam em nossos civis, os terroristas estão fugindo com isso.-
    Eu pergunto, temos nós o direito de ‘tocar’ no próximo, com armas que matam? E se meu país tem tecnologia para interceptar esses foguetes enquanto o outro país não tem, sendo que esses foguetes caem em meio as pessoas matando-as, mesmo assim, para me defender daquilo que a tecnologia já me defende, eu devo revidar e enviar foguetes, mesmo estando ciente que haverá muitas mortes ?

Comente