Um Caminho Para As Primeiras Dez Sefirot

Dr. Michael LaitmanUm grupo deve criar condições para acomodar todo mundo que tem o desejo de desenvolver os seus pontos no coração. Nós não sabemos de antemão quem tem um ponto no coração e quem não tem. Desejos espirituais por todos os meios vão gradualmente aparecer. É bem possível que em algum momento esses desejos possam parar de evoluir e uma pessoa pode abandonar o caminho.

Nós temos que apoiar aqueles que entram num “acidente”. Precisamos ajudar e fortalecer aqueles que precisam de nossos cuidados. Um grupo deve pensar constantemente nestas situações e manter todos em seu mais alto nível. O grupo deve sentir constantemente se eles estão no estado de integração absoluta ou não. Atualmente, nós sentimos um único desejo dissolvido e uma intenção focada, e tudo o resto é mar. Este estado deve ser constante.

Isso pode resultar em todos os tipos de brigas e desentendimentos no nível diário a respeito de como nós publicamos um livro, emitimos um jornal, etc., com qualquer coisa que não esteja diretamente associado com a espiritualidade. Coisas que não fazem parte do caminho espiritual não estão sujeitas às leis espirituais. Nós podemos argumentar, lutar, e não concordar um com o outro, mas ainda fazemos tudo em nosso poder para separar estas situações de nossas relações internas do grupo.

É semelhante a uma mãe que repreende e castiga seu filho, mesmo que ela o ame com a profundidade de seu coração. Para ela, é vital cuidar de seu filho. Nós devemos seguir este exemplo porque neste mundo este é o único modelo bem claro para todos.

Cada um de nós tem que ponderar constantemente como ele, como membro do grupo, pode criar as condições ideais ao máximo para garantir o desenvolvimento dos outros e florescer em cada momento no tempo.

Às vezes acontecem quedas que desencadeiam ciúme, ressentimentos, pensamentos negativos e uma atitude crítica entre os amigos.

Isso é muito bom, pois nos dá algo para trabalhar. A pessoa tem que avaliar suas ações corretamente. O grupo tem que criar o ambiente que promova análises imediatas de sua atitude para com os outros e sua adequada e pronta correção para que a pessoa volte ao grupo num novo nível de unidade.

Nós temos que trabalhar seriamente com a nossa intenção; ela deve ser dirigida para o grupo como um todo, visando a nossa unanimidade coletiva e a criação de uma atmosfera que mantenha todos flutuando. Caso contrário, nada vai funcionar. Trata-se de uma tensão constante e ainda assim benevolente. Nosso desejo de ter esse tipo de tensão é tão forte que facilmente nos acostumamos com isso e não consideramos isso oneroso em tudo. Isso não deve incomodá-lo. Não vai esgotá-lo! Pelo contrário, irá promover a sua vida espiritual.

Ao mesmo tempo, quando estudamos e nos aprofundamos no material que aprendemos juntos, o grupo se transforma num todo e, assim, cresce. Esta é a forma como todos avançam, passo a passo. Individualmente, cada amigo sente que é uma parte interna do grupo, como um feto no corpo da mãe; cada um vê o grupo em seu novo nível e continua considerando os amigos como maiores e melhores do que ele e experimenta um bom ciúme em relação aos outros. É um tipo de inveja positiva, uma vez que empurra a pessoa para se conectar com os outros.

A pessoa começa a entender que a realização do próximo nível é geralmente muito fácil: há algo que a pessoa possa se agarrar, um lugar onde ela possa ser encerrada e onde possa ser dissolvida. Este processo acontece sem esforço. Tudo que nós precisamos é entrar em sintonia com ele e estar no ambiente que suporte esta disposição. É isso aí! Isto é suficiente para ser levado ao fluxo.

Mais tarde, a nossa entrada na conexão se manifesta como as Sefirot, todos os tipos de laços entre inúmeras qualidades, e se torna mais precisa e profunda. Há 10 grandes propriedades. Além das grandes 10 Sefirot, há também Sefirot privadas, individuais, ou seja, cada uma das 10 Sefirot contém um novo conjunto de 10 Sefirot, etc. No entanto, nós precisamos apenas das 10 primeiras Sefirot. Nós temos que começar a senti-las primeiro.

A conexão entre nós se transforma numa força que nos permite doar. Quando atingimos essa conexão, nós começamos a senti-la como um todo, embora ela seja composta de forças totalmente diferentes que se opõem entre si: Hesed, Gevurah, Tiferet, Netzach, Hod e Yesod. Elas são tão opostas entre si como no amor e ódio, ciúme e bondade. Portanto, quando nós as conectamos juntas, temos exatamente a massa que revela os estados espirituais. Nós revelamos a espiritualidade nesta massa.

Um grupo tem que se relacionar com cada um dos seus membros como uma mãe para com o seu filho para que cada amigo se desenvolva corretamente, tenha o humor e a atitude certa e se prepare para o crescimento espiritual, em vez de estar num estado estático. Cada novo dia não pode ser igual a ontem.

É por isso que nós temos que examinar a nós mesmos e analisar nossos estados internos. Se eu não vejo o que trabalhar hoje, isso significa que não trabalhei ontem. Isso também significa que um novo pré-requisito para a minha correção não emerge em mim. Nosso crescimento é baseado numa correção gradual e cumulativa dos problemas que surgem entre nós no grupo, na conexão entre nós.

Da Convenção em St. Petersburgo “Dia Dois” 13/07/13, Lição 4

Comente