As Tábuas Da Aliança Com O Método Da Conexão

Dr. Michael LaitmanGraças aos nossos antepassados ​​que aceitaram a Torá no Monte Sinai, nós já temos a prontidão para a conexão, unificação, para a mesma descoberta e a entrega da Torá. Só agora, tudo isso está numa condição quebrada; tudo cai em desejos impuros e egoístas, no desejo de receber, em inclinações para a materialidade que nos confundem e não nos deixa concentrar na conexão como um homem com um coração.

Nós não estamos prontos para nos tirar do exílio, fora desse pântano em que estamos imersos e afogando. Mas, na medida em que tentamos sair, ganhamos experiência com as falhas, o que é uma coisa boa. Pois só então é revelado o fundamental para a ajuda do Criador e o desejo dirigido a Ele.

É impossível gritar desde o início. E mesmo que você saiba desde o início que tudo está organizado assim, não há ninguém mais sábio do que alguém com experiência. E só depois de chegarmos ao desespero depois de muitas tentativas frustradas, e junto com isso nós somos sempre atraídos pela grandeza da meta, nós nos encontramos entre dois extremos, dois polos: em desespero por nossas próprias habilidades e a confiança de que não há outro lado Dele. Isso é o que nos transforma e nos dá a oportunidade para mudanças radicais. Ele pode nos ajudar e só aguarda o nosso apelo.

Assim, por um lado, nós chegamos à montanha de ódio. Mas, por outro lado, no topo da montanha – com o nosso “ponto no coração” chamado Moisés (Moshe), porque ele nos puxa (Moshechet) ao Criador – nós alcançarmos o primeiro contato com o poder superior. Assim, juntamente com este ponto chamado Moisés, nós recebemos o método de conexão do poder superior e descemos.

E abaixo, nós nos encontramos novamente numa Shevirah (quebra) e pecamos com o bezerro de ouro. Mas tudo isso é para se conectar com este ponto de Bina que recebeu impressões da Luz Superior. Anteriormente, ele estava imerso dentro da destrutivo Malchut, no Egito, e agora ele deve voltar a se afogar nos desejos de AHP, Malchut.

A partir deste momento, nós começamos a corrigir essa integração, mas do ponto da saudável Bina. Nós voltamos novamente à montanha e recebemos as novas tábuas da aliança, dez completas Sefirot, os dez mandamentos, que são descobertos em nós; e começamos as correções nos movendo com doação em prol da doação além da Machsom (barreira) no mundo de Yetzirah, depois no mundo do Beria, e assim por diante.

E tudo isso é com um desejo constante de conexão. Parte do caminho nós fazemos sem entender, e depois disso já começamos a entender e sentir. Mas tudo isso é revelado apenas e somente dentro da conexão como um homem com um coração. No caminho para esta meta elevada, nós descobrimos a necessidade do Criador e todos os meios para atingir a meta, a adesão final, que também é revelada dentro da conexão geral, como está escrito: (II Reis 4:13) “Eu habito no meio do meu povo”.

Da Preparação para a Lição Diária de Cabalá 03/06/14

Comente