A Crise Mundial Dos Antibióticos

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (do The Raw Story): “Os seres humanos correm um risco muito real de um futuro sem antibióticos, um mundo de queda da expectativa de vida, onde as pessoas morrem de doenças facilmente tratáveis ​​hoje, dizem os cientistas.

“Especialistas em rastreamento do aumento da resistência às drogas dizem que anos de ganhos em saúde podem ser revertidos pela mutação microbiana que causam doenças mais difíceis e caras de curar e que carregam um risco maior de morte.

“Na base do problema estão os médicos que prescrevem antibióticos de forma errada ou desnecessária, e a facilidade com que os medicamentos podem ser obtidos sem uma prescrição em algumas partes do mundo, incluindo a Ásia e África.

“Até 70 por cento dos antibióticos são administrados para infecções virais, contra as quais eles são totalmente ineficazes, dizem os especialistas.

“Sem antibióticos para combater bactérias oportunistas que representam um risco especial para pessoas que estão muito doentes, cirurgias de grande porte, transplantes de órgãos ou tratamento de câncer e leucemia podem se tornar impossíveis, explicou.

“‘Em algumas partes do mundo, nós já temos falta de antibióticos”, disse Timothy Walsh, professor de microbiologia médica na Universidade de Cardiff.

“A resistência às drogas emerge através das mudanças no código genético da bactéria  – alterando o alvo em sua superfície ao qual os antibióticos normalmente se ligam, tornando o germe impenetrável ou permitindo-lhe destruir ou ‘cuspir’ o antibiótico.

“Os antibióticos errados, tomados por um período muito curto, numa dose muito baixa ou parados muito cedo, vão deixar de matar os micróbios alterados.

“A Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que a resistência aos medicamentos ‘ameaça um retorno à era pré antibiótica’.

“‘Muitas doenças infecciosas correm o risco de se tornar intratáveis ou incontroláveis’, afirma a OMS numa ficha técnica sobre resistência antimicrobiana.

“Os antibióticos são pensados ​​para ter salvo centenas de milhões de vidas desde que Alexander Fleming descobriu a penicilina primeiro em 1928.

“Mas mesmo os próprios avisos de Fleming sobre a iminente resistência às drogas não foram ouvidos, e agora os cientistas dizem que as pessoas podem começar a morrer de infecções como meningite e sepse, que são eminentemente curáveis hoje.

“‘Se continuar assim, a grande maioria das bactérias patogênicas humanas será multirresistente aos antibióticos’, disse Courvalin”.

Meu Comentário: Só há uma solução que vai parar a nossa queda: esforçar-se a se equivaler à natureza, de modo a tornar-se semelhante a ela através da interconexão e integração. Afinal de contas, as nossas diferenças a partir da sua crescente integralidade causam a nossa crise multifacetada. Se começarmos a procurar outras soluções, em vez de nos tornarmos semelhantes a ela, vamos desencadear problemas ainda maiores.

Comente