Tango: Um Passo Para Frente, Dois Passos Para Trás

Dr. Michael LaitmanPergunta: Por que nós só podemos avançar em ocultação, mas, por outro lado, a ocultação é ruim?

Resposta: A ocultação não é um estado ruim, porque ela me permite revelar o Criador por mim mesmo. Está escrito: “Não há um lugar vago Dele”, mas para mim há um lugar, porque o Criador está oculto de mim. E eu tenho que agir como se estivesse em um estado de revelação.

A diferença entre ocultação e revelação é que a revelação determina o que eu faço, me deixando sem escolha. Por um lado, é uma coisa boa, porque não exige nenhum esforço, como um carro que desce a montanha sem combustível.

Isso é certamente muito conveniente para mim, mas será que eu deveria estar feliz com tal simplicidade ou devo ficar feliz que posso adicionar o meu próprio esforço, a fim de aderir ao Criador? Ele é o único que contribui para a nossa adesão ou eu também posso acrescentar a minha parte?

Pergunta: Como a ocultação se torna um estado desejável que me permite estreitar a conexão com o oculto?

Resposta: Tudo depende da preparação. No estado de ocultação eu recebo a oportunidade de me assemelhar ao Criador, como um bebê que é deixado sozinho no meio de uma sala, de modo que vai dar o seu primeiro passo. Mas ele chora e não quer se mover, queixando-se de que foi deixado sozinho, como uma pessoa gritando: “Por que me abandonaste?” Mas, na verdade, é a partir deste estado que ele começa a avançar.

Caso contrário, ele não pode se assemelhar ao Criador, ou seja, querer se assemelhar com ele, e pedir a ajuda da Luz que lhe dará o poder e o formatará numa determinada imagem, de modo que vai se assemelhar com o Criador.

Se eu me esqueço de onde vem tudo, é sinal de que nem eu nem o grupo estamos devidamente preparados, e que tanto o grupo como eu temos que ter certeza de que estamos preparados. Tudo é organizado dessa maneira para que eu só precise organizar o que depende de mim. É como um tango: um passo para frente, um passo para trás; uma vez o Criador faz um movimento e uma vez eu faço um movimento, e assim continua, cada um na sua vez.

No entanto, se eu não fizer um movimento da minha parte, é um problema e o Criador é obrigado a preencher de alguma forma o meu movimento. Então Ele tem que me girar à força na direção certa para que eu possa entender que movimento me falta, de modo que eu vou fazê-lo na próxima vez.

Acontece que se eu não participo corretamente da ocultação, o Criador executa a ação em vez de mim, mas uma dupla ação. Eu tenho que descer para um nível inferior a fim de penetrar mais profundamente na ocultação de modo que ainda vou querer sair dela.

Da preparação para a Lição Diária de Cabalá 18/05/14

Comente