Russos Não Querem Ser Independentes

Dr. Michael LaitmanNas Notícias (da Escola Superior de Economia, Moscou): “A análise mostrou que o russo médio, em comparação com pessoas de outros países, demonstra valores mais acentuados de segurança e autoafirmação e valores menos pronunciados de abertura , inovação, criatividade, liberdade e independência, risco, diversão e prazer”.

“O pior são os valores de se preocupar com as pessoas e a natureza. Os russos não são capazes de combinar cuidado e igualdade, cuidado e abertura. A preocupação com os outros, abertura e independência ocupa o último lugar”.

“Os russos tendem a serem conservadores, sonhando ter poder e riqueza; as regras da vida não são importantes para eles. Eles não estão prontos para o conformismo sócio-positivo e a atividade independente. O tipo mais comum de russos é aquele que não tem manifestado certo valor; eles preferem o valor da preservação”.

“Os valores de abertura, independência e cuidar dos outros são de 1% na Rússia”.

“Os russos são líderes na adesão aos valores individualistas, egoístas, que contradizem o estereótipo de que os russos têm um forte senso de coletivismo. O paternalismo é expresso no elevado valor de segurança e no baixo valor de independência. Os valores mostram alta estabilidade e não mudam muito ao longo dos anos. Compromisso com os valores não significa adesão a eles na prática”.

“Trinta por cento apresenta uma tendência a punir o generoso! Se em outros países 20% das pessoas punem os mais gananciosos, na Rússia 15% pune o mais generoso. O motivo é a competitividade, o desejo de vencer, derrotar, ser o primeiro. A sociedade na Rússia tende a consumir, mas não é o desenvolvimento, mas um método de adaptação que não requer esforços”.

Meu Comentário: O estudo é relevante apenas nesta fase do “desenvolvimento” da civilização, e a crise vai continuar a “equalizar” a todos. Agora, o vencedor é aquele que irá basear a correção da sociedade no método da Educação integral e da Sabedoria da Conexão.

Comente