Uma Oferta De Pão De Presente

Dr. Michael LaitmanA Torá, “Levítico” (Vayikra), 2:1: Quando alguém trouxer uma oferta de cereal ao SENHOR, terá que ser da melhor farinha. Sobre ela derramará óleo, colocará incenso.

“Pão” e “oferta de pão” representam alimentação humana. Uma das partes mais importantes do Livro do Zohar (“Sifra de Tzniyutah” – “O Livro do Modesto” ou “O Livro Oculto”) fala sobre este assunto.

A palavra “livro” representa revelação. “O Livro Oculto” denota um mistério revelado.

Muito antes de Charles Darwin, o livro do ARI explicava que o processo de desenvolvimento se desenrola de forma consistente a partir do inanimado, vegetal e animal, e passa para o nível falante. É verdade que no curso da evolução os seres humanos se originaram dos macacos.

Mais do que tudo, os seres humanos diferem dos animais por causa da comida que consomem. Este fato está descrito na Torá. Grãos de trigo são adequados para os animais, como por exemplo, os burros. Nós associamos o nosso ego com um burro que carrega uma carga pesada.

Se quisermos superar o nosso nível animal, não devemos comer grãos. Nós temos que limpar as cascas numa eira e assoprar a casca ao vento. Esta ação simboliza o que acontece com os nossos desejos na espiritualidade.

Depois, os grãos puros devem ser moídos em moinhos; a farinha que recebemos tem que ser misturada com água. Depois disso, devemos acrescentar sal e vários ingredientes à massa e assá-la. Nenhum animal é capaz de fazer isso; isto só é possível por um ser humano. Depois que todas essas etapas são concluídas, a nossa principal comida, o pão, está pronta para nós.

Todas essas ações simbolizam uma transição dos desejos egoístas para altruístas. Nós “moemos” o nosso egoísmo, fazemos farinha disso e depois a dissolvemos na água.

A água é a propriedade de doação e misericórdia (Bina). “Grãos” denotam o desejo de receber (egoísmo), Nós moemos os grãos, adicionamos água a eles, e assamos o pão, ou seja, transformamos nossas qualidades egoístas que estão associados com o nível animal em desejos altruístas. Nós fazemos isso com a ajuda das propriedades de Bina. Só depois de fazer tudo isso, temos a transição para o nível humano.

Em outras palavras, aqueles que comem pão já atingiram o nível falante. É o nível do nosso desejo que deve ser sacrificado.

Na verdade, não é um sacrifício! Pelo contrário, trata-se de se aproximar da propriedade do Criador, o atributo de doação e amor absoluto. A palavra “Kurban” (sacrifício, vítima) deriva da palavra “Karov” (aproximar-se).

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 27/11/13

Comente