O Que É Mais Importante: O Mundo Ou O Grupo?

Dr. Michael LaitmanAmpla disseminação é trabalhar em nossos novos desejos, porque não há nada, exceto a alma coletiva, Malchut do mundo do Infinito.

O trabalho espiritual é projetado para revelar isso a nós e este será o fim da minha correção. Então não há nada mais importante do que a disseminação. O grupo torna-se apenas um intermediário, uma fonte para o poder de disseminar.

Parece-nos que o mais importante é o grupo. Não, o principal são aqueles que se encontram do lado de fora. Por causa deles nós existimos como um grupo, como um povo ansiando pelo Criador, Israel. Tudo o que fazemos é apenas para ir até eles e começar o trabalho de conexão, unificação e educação entre eles.

O mundo é o mais importante de todos, e não o grupo. No grupo eu encontro o Criador, conecto-me com Ele, e por meio do grupo, recebo o poder Dele. A conexão é como o Criador em suas características, e de acordo com a lei de equivalência de forma, eu sinto este poder. Mas eu o recebo apenas para seguir em frente e combinar um círculo mais amplo para mim mesmo.

Se eu combiná-lo comigo, a Luz Superior começa a ser ampliada nele como uma pequena iluminação (Nefesh de Nefesh). Mas isso é o suficiente para uma enorme Luz se revelar nas esferas superiores do mundo do Infinito. Com isto eu quero dar contentamento ao Criador, encurtando a distância entre os dois extremos: os círculos externos que não estão de todo adaptados a isso, e Ele próprio.

Dar contentamento ao Criador só é possível por meio da combinação dos círculos externos com Ele através de mim. Ele desfruta da conexão com eles, então eles são muito importantes aos Seus olhos, enquanto que eu sou apenas um canal.

Além disso, eu trabalho na relação entre o Criador e os desejos externos. Mas tudo o que eu faço não é feito para mim. Eu realizo o trabalho como uma máquina, como um mecanismo preciso, porque o Criador me deu a possibilidade de organizar essa relação com Ele.

Da Lição Diária de Cabalá 17/04/14, Perguntas e Respostas com o Dr. Laitman

Comente