Menos Produtos: Mais Lucros

Dr. Michael LaitmanNas notícias (da Harvard Business Review Blog): “Evidências recentes sugerem que o paradigma da ‘variação é o valor’ pode ​​estar mudando. Cada vez mais, os consumidores estão transmitindo a sua preferência por menos opções e pelas experiências mais simples dos clientes. Por exemplo, uma pesquisa da Forester Research no início deste ano observou que os consumidores estão abrindo mão de escolhas ilimitadas no mundo da computação em troca de uma escolha com mais ‘curadoria’, onde os provedores examinam as aplicações possíveis para indivíduos e recomendam um subconjunto limitado. Da mesma forma, na Conferência da Agenda do Futuro, em agosto, a maior parte das palestras foi sobre ‘menos variedade’. Como uma professora notou, ‘menos opções fornecem níveis mais altos de satisfação”.

“A restrição das escolhas por essas empresas não só tem facilitado a vida de seus clientes, mas também aumentou as receitas e margens. Com menos produtos ou serviços prometidos, toda a cadeia de fornecimento, instalação e processos de suporte associados podem ser reduzidos, economizando considerável dinheiro e energia. Mesmo as empresas de automóveis e companhias aéreas parecem ter aprendido esta lição. O processo de mudança da General Motors e a restrição de sua carteira de produtos pode ter sido doloroso, mas isso tornou mais fácil para os compradores entender a nova GM e para a empresa concentrar seus recursos na produção de carros melhores. Da mesma forma muitas companhias aéreas têm rotas e frequência de voos cortados, dando-lhes aviões mais cheios e um uso mais eficiente de seus ativos”.

Meu Comentário: Isto não vem de um desejo de ser o melhor, como a natureza em todas as suas ações, mas do desejo de maximizar o lucro. No entanto, isso está na direção certa. E depois vem a intenção correta.

Comente