A Morte Lenta Da Velha Ordem Mundial

Dr. Michael LaitmanOpinião (Robert W. Merry, editor de política do The National Interest e autor de livros sobre a história americana e a política externa): “Na primavera de 2012, The National Interest produziu uma edição especial sob a rubrica de ‘A Crise da Velha Ordem: A Desintegração do Status Quo em Casa e no Exterior’. A tese foi que a antiga era de relativa estabilidade global, forjada através da Grande Depressão e da Segunda Guerra Mundial, vinha descolada. Ao introduzir o amplo tema aos leitores, os editores escreveram: ‘Somente através de uma perspectiva histórica podemos compreender plenamente as evoluções profundas do nosso tempo e perceber, talvez apenas vagamente, onde estão nos levando. Uma coisa é clara: elas estão nos levando para uma nova era. A única questão é o quanto de interrupção, caos e derramamento de sangue participarão da transição da Velha Ordem para o que surge para substituí-la’”.

“O que é mais preocupante de tudo isso é que os líderes nacionais de hoje parecem totalmente desprovidos de qualquer consciência grave de quão perigosa é a situação global… Pfaff [William Pfaff, o analista geopolítico o International Herald Tribune] registra com uma pequena medida de alívio que o mundo não é atormentado atualmente por ditaduras ideológicas em marcha ou quaisquer novas ondas de totalitarismo. Os problemas de hoje, diz ele, são apenas “confusão, incompetência, e desordem intelectual e moral”. Ele acrescenta: ‘Mas estas já são ruins o suficiente, num mundo superarmado”.

“Para a perspectiva histórica, é importante notar que agora nós olhamos para trás com certo desdém para os chefes de estado brigando com eventos que levaram à Primeira Guerra Mundial Esses eventos terminaram um século de relativa estabilidade e paz na Europa, e os homens que permitiram que aquela grande época passasse são vistos na história como infelizes, fora da realidade, até mesmo estúpidos. Na verdade, eles não eram estúpidos, mas estavam fora da realidade e isso os tornavam infelizes em face dos acontecimentos que não entendiam”.

“O presidente Obama e os que o rodeiam também não são estúpidos, mas eles parecem não entender a natureza do nosso tempo e os desafios colocados por uma era de desvanecimento. Eles parecem incapazes de lidar com as grandes questões históricas colocadas por William Pfaff”.

“Mas o problema não reside apenas com a administração atual. Parece haver um zeitgeist (espírito da época) em jogo que retarda a capacidade de nossos líderes e intelectuais de compreender a natureza transformadora do nosso tempo e, consequentemente, os estragos que afligem o mundo”. …

“Seriedade é o que os tempos exigem. Nós estamos vivendo uma crise da velha ordem, e isso exige um novo pensamento, novos cuidados, novos entendimentos sobre os profundos desafios desta histórica gravidez interregnum (entre reinos)”.

Meu Comentário: O problema é que todo mundo escreve corretamente sobre o moderno estado de confusão, porque sente e entende isso, mas ninguém fala sobre as oportunidades para sair dele, porque ninguém tem o conhecimento, o método ou a visão de como fazer isso.

Só depois que os líderes se tornarem conscientes de sua completa falta de compreensão e incapacidade de se orientar numa determinada situação, eles serão capazes de entrar na reeducação integral. Ela irá expandir a sua percepção da realidade e eles verão as causas do que está acontecendo e serão capazes de participar na tomada de decisão.

Comente