Preocupar-se Com O Criador Como Com Um Amigo

Dr. Michael LaitmanPergunta: O que mais há para fazer depois que já ficou claro que tudo depende apenas da Luz que Reforma?

Resposta: Isto é, a partir de agora eu só procura como despertar e atrair mais a Luz para mim. Eu entendo que este é o único remédio, e eu sou um homem doente deitado inconsciente e dependo cem por cento desta Luz. Cada momento que eu abandono essa Luz, eu estou morrendo, e enquanto estou dentro dela, continuo a viver. Eu vivo dentro deste sentimento.

Pergunta: Mas o que pode continuamente nos manter num sentimento como esse?

Resposta: Temor! Temor de que a Luz vai me deixar. Para mim é muito importante ser saudável, avançar através do poder de doação. Isto se torna a minha eterna preocupação, uma verdadeira obsessão.

Eu me sinto num campo de forças que me abala o tempo todo, agitando como as ondas do mar, incapazes de relaxar. O grupo deve me fornecer um campo como esse. Uma pessoa não pode fazer nada por si mesma.

Primeiro um sentimento mútuo como este no grupo é fundamental para nós, onde dependemos da Luz Superior, da ajuda do Criador; nós devemos despertar isso o tempo todo. É assim que transformamos o caminho de “a seu tempo” (Beito) para o caminho do “eu vou apressá-lo” (Achishena). Esta é a realização da garantia mútua.

Pergunta: Onde exatamente está a liberdade de escolha de uma pessoa? Através de quais ações ela atrai a Luz para si mesma?

Resposta: Eu devo ansiar pela Luz que Reforma e estar integrado num grupo de modo que ele me manterá numa conexão com a Luz e na expectativa de que com a ajuda da Luz, eu vou me mudar e começar a me preocupar com o Criador. Nesse meio tempo, eu não sei o que significa dar contentamento ao Criador, mas pelo menos começo a me preocupar com Ele como com um amigo.

Da Preparação para a Lição Diária de Cabalá 09/03/14

Comente