O Que Você Prefere

Baal HaSulam, “Introdução ao Livro do Zohar”, Item 69: Quando alguém aumenta a sua labuta na interioridade da Torá e seus segredos, nesta medida, ele faz a virtude da interioridade do mundo, que é Israel, voar alto, acima da exterioridade do mundo, que são as nações do mundo.

Então, tudo depende em preferir a interioridade à exterioridade. Essas duas partes são essenciais na Torá, em nossas ações, na nossa intenção, em nosso desejo, em tudo. Devemos sempre distinguir entre o que é mais interno e o que é mais externo, e preferir um ao outro.

Assim, uma pessoa concentra-se sobre o objetivo correto e avança. Na verdade, não há nada mais que devamos fazer, mas a preferir a interioridade à exterioridade o tempo todo, esclarecer o que é interioridade e o que é exterioridade, e preferir uma ao outra.

Uma pessoa é como um dipolo, ou como a agulha de uma bússola. Eu prefiro que a agulha, que constantemente aponta a espiritualidade como resultado de colocá-la no topo da corporalidade. Tudo o que é mais perto da doação, da interioridade do grupo, da interioridade do mundo, para concentrar meus esforços, deve estar sempre acima de qualquer coisa corpórea. Este esclarecimento é realmente a única coisa que eu sou obrigado a fazer a qualquer momento, e nada mais que isso.

Pergunta: Como é o pensamento da criação integrado nesta divisão em interioridade e exterioridade?

Resposta: Como poderia o pensamento da criação ser preenchido se não tivéssemos o livre arbítrio para preferir a interioridade à exterioridade? Isto é como nós a preenchemos.

A idéia da criação é fazer o bem aos Seus seres criados, para levar o homem ao nível do Criador, de modo que ele vai ser independente e também será semelhante ao Criador. São dois opostos: Como você pode ser independente e ao mesmo tempo se parecer com o Criador? Isto é um paradoxo. Então, trabalhamos sempre na fé acima da razão, em outorga acima de recepção.

A externalidade está perto de meu ego, que é a minha vida, eu quero que o meu amor-próprio, o meu desejo de receber, esteja sempre cheio e que ele se sinta bem. Eu quero me sentir bem e confortável nele, que tudo seja bom e pacífico. A interioridade é doação: está a se preocupar com os outros, a adesão à sociedade e ao professor, e, através deles, a adesão ao Criador.

Se eu não preferir uma a outra, como é que eu escolho? Como posso dar forma a mim? Este é todo o meu trabalho. Sem isso eu não vou ser capaz de constituir-me de qualquer maneira.

Quando uma pessoa quer adquirir uma forma, ela convoca a Luz que Reforma e a Luz faz o trabalho. Mas, sem o desejo intenso da pessoa não há independência e não há realização do Criador, pois não há vaso, não há desejo.

[129008]

Da Lição Diária de Cabala de 3/3/14, Escritos de Baal HaSulam.

Comente