Nascimento, Alimentação e Anos de Escola

Dr. Michael LaitmanRabash , o  artigo “A Taça da Bênção  Tem de Estar Completa”: No estado de Ibur (gestação ), o nível superior corrige a pessoa. Um é como um feto no ventre de sua mãe, aquele que se anula completamente a si mesmo perante a sua mãe, não tem uma opinião própria, e ” consome o que a sua mãe come.

A autoanulação contínua perante o superior, em constante avanço, superando a resistência interna, permitindo que o superior aja como quer é um trabalho extremamente difícil.

É realmente difícil a autoanulação constante perante o superior em todos os momentos, em qualquer situação que vivenciamos. Na verdade, é quase impossível. No entanto, um aplica esforços tremendos, força os limites, quebra, e, no entanto, tenta de novo e outra vez mais. Uma ligação que é fortalecida a ela mesma ao máximo, repondo energia a partir do seu ambiente, e graças a isto, em particular, quebra o seu coração e grita pela ajuda do Superior. Então, o Superior ajuda-o a anular -se e entrar no estado de feto.

O estado de feto tem a duração de nove meses. Um egoísmo cada vez maior, o desejo de receber, é revelado dentro de uma pessoa, o qual ela tem de superar uma vez e outra vez, até que este período acabe, e a pessoa nasça, e entra no estado de Yenika (alimentação ,  procura/extração de sustento).

No estado de alimentação, um já está familiarizado com o Superior, mas isto não significa que seu estado se torna mais fácil. Neste ponto, um maior egoísmo é revelado. Um tem de aceitar o poder do Criador, a Sua grandeza, a regulamentação superior, e a supremacia da força de doar mesmo sobre os seus mais fortes desejos egoístas.

Tudo o que era esperado que o feto fizesse era a autoanulação. O que não significa que a pessoa age sem pensar, ou não sinta nada. Nesta fase, ainda se reconhece os gostos e pensamentos em relação aos quais se auto-anula. Na fase de alimentação, tem de participar no seu próprio avanço e crescimento, tomando as decisões se deve ou não de aceitar o sustento. Há que concordar de modo voluntario que toda a vida está no ” leite” (Luz de Hassadim) e que um não precisa de mais nada para além dela, rejeitando, assim, o estado de Gadlut (grandeza). É sobre isto que é o nosso avanço/progresso espiritual.

A evolução de um feto espiritual e, mais tarde, de um recém-nascido são períodos de tempo muito intensos. Como, neste mundo, uma pessoa cresce rapidamente, transformando a partir do “zero” num pequeno bebê. Então, durante os dois primeiros anos de amamentação, uma pessoa transformasse de um bebê recém-nascido que não sabe nada sobre a espiritualidade numa criança de dois anos de idade, que anda, pensa, fala e interage com o superior.

Após o período de alimentação terminar, a criança continua a crescer de uma forma semelhante à do superior. Quando uma criança pára de se autoanular perante o superior, começam os anos de escola. Estes são os estados de crescimento humano espiritual que todos nós atravessamos, sem exceções.

 

Comente