Não Há Inimigos, Apenas Parceiros

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, “Introdução ao Livro A Árvore da Vida,” Item 3: Quando as gerações diminuíram e os seus próprios sábios começaram a almejar ambas as mesas, ou seja, uma boa vida para sua corporalidade, também, seus pontos de vista aproximavam-se das massas .

O desejo de desfrutar estava constantemente a crescer, o medidor estava sempre girando internamente, aumentando a sua temperatura mais e mais, até que o desejo de desfrutar ardeu completamente. Mais e mais Reshimot eram reveladas. E é por isso que os cientistas, que costumavam ser idealistas e só queriam ciência pura, como aconteceu até ao final da Idade Média, de repente, alcançaram a riqueza e louvor, eles queriam prémios Nobel. Foi assim que começaram a vender a sua ciência.

E, além disso, a pesquisa exigia tantos recursos materiais, tão grande investimento, que os cientistas não tinham tanto dinheiro e foram obrigados a vender-se aos círculos dominantes, os poderosos deste mundo. Tornou-se possível abordar um químico e pedir uma nova droga, mais forte do que todas as já existentes.

E os cientistas não tiveram escolha a não ser cumprir ordens-isso é algo que nunca tinha acontecido antes. Em primeiro de tudo, um cientista não precisa de dinheiro e foi atraído para a ciência pura. Em segundo lugar, os clientes não eram tão corruptos, prontos para destruir o mundo inteiro para seu lucro. Foi assim que o mundo mudou e as gerações diminuíram.

Nós vemos hoje que as pessoas precisam da ciência para ganhar controlo sobre os outros, e ganhar dinheiro. A ciência não é usada para o bem da ciência pura; já ninguém se interessa mais por isso. Ninguém daria um tostão pela ciência pura, e já mais ninguém se compromete com isso.

Os cientistas estão envolvidos em disciplinas aplicadas que possam realmente trazer vantagens financeiras o mais rápido possível. Por isso, graças á ciência nós revelamos que somos escravos da má inclinação. Mas por enquanto, apenas os Cabalistas o compreendem, enquanto aqueles que controlam os cientistas pagam a quem lhes é vantajoso pagar e utilizam a ciência unicamente em busca de lucro.

O desejo egoísta desenvolve-se não apenas quantitativamente, mas também qualitativamente. A agora começamos a perceber que todo o problema é o nosso egoísmo que nos governa. Há uns 50 anos, nós não pensávamos assim. Nós conquistamos o espaço, sonhamos com viagens a outros planetas e estrelas, e estávamos orgulhosos pelas grandes conquistas da humanidade.

Depois chegou a deceção, e nos dias de hoje todos os programas em geral caíram por terra. O exemplo do conflito atual na Ucrânia, que Europa e Rússia se veem envolvidos, isso mostra como todos são dependentes uns dos outros, uma vez que o sistema começa a parar.

Como pode haver alguém a aplicar sanções se estamos todos conectados com o outro? Um estado gostaria de se desligar do outro, mas não pode. Todo mundo está amarrado por responsabilidade mútua, conexões ruins, e não pode fazer nada sobre isso. Em última análise, começa um completo caos e confusão. Eles começam a perceber que é impossível fazer qualquer coisa contra entre si.

Se a Europa se recusar a receber petróleo e gás da Rússia, como é que vai subsistir? E se a Ucrânia deixar de fornecer alimentos para a Rússia, quem vai perder mais? A ligação é tão forte que é impossível cortá-la. Um depende do outro, porque recebe dele, e vice-versa. É possível lutar sob tais condições? Apenas abanar o dedo e ir para casa?

Este é o resultado do desenvolvimento da ciência graças ao qual nós adquirimos ameaçadoras armas e prendemo-nos a nós mesmo através do comércio internacional.

Pergunta: Então, resulta que nós voltamos para a guerra fria?

Resposta: Isto não é a guerra fria— já não é mais possível. A guerra fria significa aplicar todas as sanções, mas disparando para o outro. Mas agora também é impossível. Mesmo o envio de um espião e expondo um inimigo é inútil, porque se estamos tão interconectados, não seremos capazes de fazer qualquer coisa de qualquer maneira. É o mesmo que instalar uma camara de vídeo e espião e ouvir a si mesmo.

Estamos atados juntos, tu já não és um inimigo, mas um parceiro. Eu recebo alimentos teus, enquanto tu recebes petróleo e gás a partir de mim, e não podemos fazê-lo um sem o outro. Que diferença fará se denunciar um ao outro? Se eu depender de ti, então, pelo contrário, é do meu próprio interesse que tu fortaleças os teus pontos fracos. Digamos, a Rússia irá revelar alguns pontos fracos na indústria europeia, mas não está interessada de maneira alguma em prejudicar, antes em corrigir esses defeitos. .

De facto, se a industria Europeia parar, a quem irá a Rússia vender o seu petróleo e gás? E sem essas vendas, não terá o dinheiro para si. Vês onde a nossa dependência mútua nos leva? É por isso que muitas alianças diferentes são feitas, pois toda a gente depende do outro. Só o egoísmo explodindo os impede de compreender toda esta dependência até o fim. E tudo isso é consequência da ciência moderna.

[129509]
Da 4ª parte da Lição Diária de Cabala 3/9/2014, “Introdução a o Livro A Árvore da Vida”

Comente