Apenas A Linguagem Da Doação Vai Existir

Dr. Michael LaitmanPergunta: Por que o nível humano é chamado de nível falante?

Resposta: Os animais não sentem qualquer necessidade de linguagem como a que temos, já que possuem conexões naturais entre si e estão completamente satisfeitos.

A linguagem (língua) humana que nós desenvolvemos a fim de nos comunicarmos tem duas formas. A primeira é a forma sagrada de doação que é usada para transmitir as relações no sistema de doação que está acima do sistema de recepção. É o sistema da fé acima da razão. Há também a linguagem posterior que foi desenvolvida após a destruição da torre de Babel, e é a linguagem da recepção, onde um indivíduo não entende os outros.

Nosso nível é chamado de nível falante porque nós falamos e não nos entendemos! Mas há um pequeno grupo de pessoas que tentam se entender por meio de uma linguagem chamada linguagem sagrada, que é transmitida de coração a coração, graças à conexão dos corações.

Primeiro havia uma grande língua na antiga Babilônia: o aramaico. A língua hebraica tem sido usada desde os tempos de Adam HaRishon (primeiro homem). Nós não sabemos quem a precedeu. Assim, a língua escrita e falada deriva da realização que os Cabalistas alcançaram. As pessoas falavam diferentes línguas em sua vida diária; elas simplesmente concordavam em usar certos sons para indicar alguns objetos e fenômenos, como os animais que gemem. Mas a linguagem real começou a se desenvolver na época de Adam HaRishon, e foi o hebraico. Mais tarde, o aramaico foi desenvolvido como uma forma oposta de hebraico, como dois lados de um mesmo fenômeno. Essas línguas, que os Cabalistas falavam, eram resultado da realização superior, enquanto as pessoas comuns falavam de forma a expressar suas necessidades.

Quando os filhos de Israel deixaram a Babilônia, eles levaram o hebraico e o aramaico com eles. Todos os outros povos se dispersaram por todo o mundo e desenvolveram suas próprias línguas de acordo com o lugar em que se estabeleceram.

Afinal, não é apenas uma língua. O desejo de desfrutar, a Masach (tela) e a Luz de Retorno, o desejo de doar, os estados corrompidos e corrigidos, todos compõem a linguagem da comunicação interna entre nós. Quando algumas pessoas chegaram à Inglaterra, algumas à Alemanha, algumas à França, como Flávio Josefo nos diz de maneira pitoresca sobre a dispersão dos babilônios em todo o mundo, elas sentiram que deviam falar de uma maneira específica, conforme o seu grupo e localização, uma vez que era a expressão de um desejo específico, de um estado específico. Assim, cada grupo desenvolveu sua própria língua.

As palavras não foram criadas por acaso. Era a forma como uma pessoa que queria algo puder expressar a sua atitude para com os outros, e assim ela usava algumas palavras para se referir a sua propriedade e seus sentimentos. Isto é como as diferentes línguas foram criadas.

Pergunta: Será que vai haver novamente uma única língua no final da correção?

Resposta: Sem dúvida! Será a língua da doação.

Pergunta: Como nós vamos falar esta língua?

Resposta: Não vamos falar, vamos sentir. Por que precisamos de palavras, se somos um só corpo? Será que a minha mão fala com a minha perna? A informação simplesmente flui entre elas. Esta é também a forma como vamos transmitir informações entre nós. A doação mútua não requer uma língua ou qualquer outra forma de comunicação.

Pergunta: Como nós vamos agradar o Criador através desta doação mútua?

Resposta: O Criador habita entre nós em nossos atributos de doação.

Pergunta: Nós vamos simplesmente ficar em pé sem fazer nada e Ele vai se sentir bem, como resultado?

Resposta: Eu não sei o que significa ficar sentado ou em pé se não temos corpos. Os corpos vão desaparecer; agora também eles só existem em nossa imaginação. Portanto, não vai haver nenhuma linguagem, mas a linguagem da doação que flui através de todo esse sistema. A linguagem retorna a um único HaVaYaH.

A linguagem é criada apenas por causa da falta de uma verdadeira conexão interna entre nós. É por isso que precisamos de palavras. Quanto melhor a conexão interna entre nós, menor a necessidade de palavras. Quando você vive em paz com a sua esposa, você não precisa falar muito com ela. Quando vocês discutem, há toda uma cascata de palavras que fluem entre vocês.

Pergunta: Mas eu não luto com toda a humanidade!

Resposta: Você simplesmente não sabe ainda, e tem que descobrir isso.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 06/03/14, Escritos do Baal HaSulam

Comente