A Verdadeira Sabedoria Sobre Os Fundamentos Da Criação

Dr. Michael LaitmanDo artigo do Baal HaSulam “Introdução ao Livro Panim Meirot uMasbirot“, Item 4: Disso se pode deduzir sobre a sabedoria da verdade, que contém todos os ensinamentos seculares dentro dela, que são suas “sete donzelas”. Esta é a totalidade da espécie humana e o propósito para o qual foram criados todos os mundos, como está escrito: “ Se a Minha aliança com o dia e com a noite não permanecer, e Eu não puser as ordenanças dos céus e da terra”.

Isto é o que nos sustentou até aqui, para manter os exércitos e o muro ao redor da sabedoria da verdade, de modo que nenhum estranho ou estrangeiro irrompa e a coloque em seus vasos para ir a vendê-la no mercado, como acontece com os sábios seculares. Isto porque todos os que ingressaram já foram testados por sete testes até que houvesse certeza para além de qualquer preocupação e desconfiança.

A ciência que explica os fundamentos da criação está dentro de uma pessoa. Ela explica como a pessoa pode mudar a si mesma para entender a criação na sua forma autêntica chamada mundo do Infinito.

Quando a pessoa sente a criação, ela encontra a sua fonte, o Criador, a Força Superior. Ela sente que foi “criada a partir do nada” e que existe apenas para atingir a Força Superior.

A ciência da Cabalá é fundamental, pois trata da natureza do Criador e da natureza da criação, e como a criação pode alcançar o Criador. A criação sente este mundo sob a condição de que sua percepção é quase completamente reduzida. Em vez de dez Sefirot (Keter, Hochma, Bina, Zeir Anpin e Malchut), a criação possui apenas cinco sentidos materiais: visão, audição, olfato, paladar e tato. Trabalhando com estes cinco órgãos de sensação, a criação aprende as leis deste mundo e as denomina “ciências materiais”, que se revelam por meio do desejo egoísta.

Nossa realidade, dada a nós na forma de percepções e sensações intelectuais deste mundo, existe apenas para servir de base que nos permite chegar ao Criador. A realização do Criador é o objetivo da criação. A criação deve chegar ao Criador, ou seja, revelar e atingir Seu nível e Suas propriedades. Os cientistas presumiram que não valia a pena revelar os segredos da ciência aos pequenos egoístas para que eles não os transformassem em objetos de comércio no mercado; no entanto, os Cabalistas nunca proibiram difundir seus conhecimentos. Pelo contrário, eles disseminaram os fundamentos da sabedoria para às nações do mundo.

A pessoa estuda de acordo com seu desejo. Isso explica por que Platão e Aristóteles estudaram os princípios básicos da Cabalá e depois, com base nesse conhecimento, iniciaram o desenvolvimento das ciências terrenas. Os Cabalistas nunca foram contra a disseminação do conhecimento, uma vez que ele estimulava o progresso do mundo. Ele instigava a rápida revelação da maldade, o reconhecimento da inclinação ao mal, e a necessidade de corrigi-la para ascender à autêntica sabedoria, subindo, assim, para o estado verdadeiro, o mundo do Infinito.

Por outro lado, a sabedoria da Cabalá poderia ter parado o desenvolvimento egoísta. É por isso que Baal HaSulam escreveu que a revelação prematura da sabedoria da Cabalá causou muitos problemas e lançou inúmeros ensinamentos místicos. Nós não cumprimos coisas que deveríamos, portanto, temos que passar pela dor, porque a Cabalá foi revelada prematuramente. Se tivéssemos nos comportado de maneira diferente, o programa de criação poderia ter sido mais favorável.

Mesmo que uma revelação prematura da Cabalá trouxesse problemas para o povo de Israel, hoje estamos na porta da redenção final. A partir de agora, a nossa correção e a realização do verdadeiro mundo depende apenas de nós. Portanto, a sabedoria da Cabalá está aberta a todos.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 11/03/14, Escritos do Baal HaSulam

Comente