Não É Apenas Um Livro

Dr. Michael LaitmanO Livro do Zohar é um guia para nós, e é por isso que estava escondido por dois mil anos, esperando que toda a humanidade chegasse a uma crise que exigisse uma correção obrigatória.

Nós já estamos nesse período, que é descrito pelo Rav Kook, AGRA e Baal HaSulam. Na verdade, ele já começou com o santo Ari há quinhentos anos.

O grande cabalista Abraham Azulai escreveu que “eu encontrei escrito que tudo o que foi decretado Acima proibindo o envolvimento aberto na sabedoria da verdade [Cabalá] foi [apenas servia] por um período de tempo limitado, até o ano de 5250 (1490 CE). Desde então é chamado de “última geração”, e o que era proibido é [agora] permitido. E a permissão é concedida a nos ocuparmos no [estudo do] Zohar. A partir do ano 5300 (1540 dC) é mais desejável que as massas, tanto as grandes como as pequenas [na Torá], se ocupem [no estudo da Cabalá], como diz o Raya M’hemna [a seção de Zohar]. E como neste mérito, o Rei Messias virá no futuro, e não em qualquer outro mérito, não é apropriado ser desencorajado [do estudo da Cabalá]”.

A correção acontece devido ao nosso estudo do Livro do Zohar, mesmo sem entender o que está escrito lá. Mas nós percebemos que temos que unir, e o mundo espiritual será revelado por causa da nossa união. De fato, houve uma queda, ou seja, da propriedade de doação, de amor mútuo, ao ódio e à rejeição mútua. Agora, nós temos que fazer a viagem de volta de baixo para cima, a correção, a unidade; isso é o que é necessário de toda a humanidade.

No nosso tempo, já começamos a sentir que a crise não é econômica ou ambiental, nem na educação ou na família. Estas são apenas pequenas crises individuais que naturalmente afetam a todos e até mesmo se estendem a toda a humanidade em várias formas. Mas a verdadeira crise é integral e acontece nas relações entre as pessoas.

Em outras palavras, devemos estar unidos num único sistema interligado, mas não somos capazes de alcançar este objetivo. Em nosso mundo, não há nenhuma força que possa nos unir. Nós vamos encontrar isso em relação a nós mesmos e a toda a humanidade.

Estudar o Livro do Zohar é o meio para revelar esta força de união e correção que permite que nos livremos de todos os problemas e comecemos a sentir uma realidade completamente nova, obtendo uma nova percepção. Assim, há muitos anos começamos a trabalhar para a adaptação deste livro, para torná-lo acessível a todos.

É claro que nós não podíamos tocar no texto do Zohar, escrito da altura de GAR do mundo de Atzilut, o fim de correção. Mas nós traduzimos para o hebraico todas as inserções feitas em aramaico, abreviaturas decifradas, para que seja fácil de ler. Isto é, nós trouxemos este livro para mais perto do leitor geral, tanto quanto possível. Agora, é necessário apenas saber hebraico para lê-lo.

Quanto mais estudamos esse livro, mais percebemos que ele contém tudo! Todos os milhares de gerações que mudaram desde a época da escrita do Livro do Zohar até os dias atuais foram alimentados com este livro como de uma fonte de água viva, cada vez atraindo novas forças para a correção, o conhecimento, o esclarecimento de todos os graus, todo o mundo superior.

Muito é escrito sobre O Livro do Zohar, e toda a Cabalá baseia-se neste livro. Não importa quando e quem escreveu um livro Cabalístico, a base do autor sempre foi o Livro do Zohar. Como Rabi Tzvi Hirsh Eichenstein de Zidichov disse, “quem nunca viu a luz do Livro do Zohar, nunca viu uma luz em sua vida”.

Nós devemos entender que este não é apenas um “livro”. Os Cabalistas não escrevem palavras num livro, mas criam entre eles um sistema espiritual interligo e o expressam por escrito. Mas o principal trabalho é espiritual, criado a partir das conexões que eles construíram. Todas as partes foram separadas pela quebra e dispersadas, e os Cabalistas as conectaram num único sistema integral e descreveram seu trabalho, os tipos de conexões, todo o processo que ocorreu, e obtiveram resultados.

Primeiro, eles revelam a quebra, que é bastante desagradável, porque estão prontos para queimar uns aos outros; eles sentem ódio, escuridão, neblina, confusão, desespero, desesperança. Às vezes, cada um experimenta este sentimento; não é possível sem isto, como é dito, “Houve tarde e houve manhã, um dia”. A vantagem da luz é sempre revelada a partir da escuridão. Então, eles revelam uma conexão, ou seja, como é possível conectar essas coisas e juntá-las.

Os Cabalistas fazem essas ações espirituais na prática e as descrevem em livros. Um livro é apenas o resultado, uma declaração por escrito das alterações feitas no sistema espiritual que foi primeiro revelado a eles numa forma quebrada, bem como o resultado final, ou seja, como eles conseguiram conectá-lo.

Isso porque, de geração em geração, conforme os Cabalistas avançam em sua correção, a Cabalá também muda. Uma pessoa da próxima geração não tem que repetir as correções feitas pelas gerações anteriores. Portanto, a sabedoria da Cabalá a alcança de uma forma diferente, e ela própria está completamente diferente. Isso acontece com cada nova geração.

Da Convenção Mundial do Zohar 05/02/14, Lição 1

Comente