Concepção É O Primeiro Nível Da Realidade Espiritual

Dr. Michael LaitmanEscritos do Rabash , “O que significa ‘O Cálice da Bênção Deve Estar Cheio no Trabalho’”: Há uma diferença entre falante e mudo no trabalho. Visto que falante é o estado da revelação, ou seja, que a pessoa já atingiu o estado de sucção (amamentação) na espiritualidade, e já sente que está sugando da Kedusha (Divindade). E o estado de sucção aponta para Hassadim (Misericórdia), porque Hesed é o estado de doação, visto que quando a pessoa merece os vasos de doação, ou seja, quando todas as suas ações são para o bem do Céu e ela já não cuida de si mesma, isso é chamado que ela mereceu o estado de Hessed (doação).

No entanto, a gestação o precede, ou seja, que o superior a corrige. Nesse meio tempo a pessoa não participa de sua própria correção. Ela só se anula e o superior faz todo o trabalho. Mas cada vez a pessoa se anula de forma diferente com relação a novos discernimentos. Ela encontra novos problemas, mas se anula, abaixa sua cabeça e aceita tudo.

Isso ocorre quando a pessoa é como um feto no ventre de sua mãe, onde o feto se anula diante de sua mãe e não tem opinião própria. Pelo contrário, como os sábios disseram: “O feto dentro de sua mãe come o que a mãe come”, e ele não tem existência própria, para fazer qualquer pergunta, ou fazer qualquer coisa por conta própria, e isso significa que ele é mudo e não tem boca para fazer qualquer pergunta.

A pessoa se torna muda, como se ela não existesse de forma alguma dentro do superior, de modo a não perturbar o superior e não ser uma força estranha nele. Se o embrião for um corpo estranho dentro da mãe, seu corpo vai resistir e rejeitar imediatamente o embrião como algo hostil. Mas esta é a maravilha da natureza, visto que o exato oposto acontece e todo o corpo da mãe começa a trabalhar para o benefício do embrião em vez de rejeitá-lo. Isso acontece porque na natureza o embrião corpóreo também se anula quando se desenvolve no útero.

… E isso significa que ele é mudo e não tem boca para fazer qualquer pergunta. Ou seja, ele fecha a boca e não discute, ele se anula, aceitando tudo. Ele tem muitas perguntas e sente ressentimento, mas cede e não discute.

E esta é a hora da pessoa caminhar com seus olhos fechados, acima da razão, acreditar na sabedoria dos sábios e avançar até o fim. É impossível explicar isso em outras palavras, uma vez que, por enquanto, a pessoa não entende nada na espiritualidade. Por isso, diz-se simplesmente que ela tem que se anular durante todo o caminho e acreditar na fé dos sábios, ou seja, contar com eles até o fim. Não importa o que eu sinto dentro do meu coração e que dúvidas passam por minha cabeça, eu me anulo diante da Providência superior.

Isso é chamado de gestação, o que significa que ela não tem boca para falar. É o estado de Malchut, que é o menor e mais restrito, e é chamado de Ibur, que vem das palavras transgressão e julgamentos (Dinim), como está implícito nas palavras “O Criador me julgou por sua causa (por causa de você)”.

E a questão da transgressão e julgamento (Din) deve ser explicada. Porque pela razão de que a pessoa precisar caminhar com os olhos fechados, acima da razão, o corpo se opõe a isso, e por isso é preciso superá-lo continuamente, e isso é chamado de transgressão, ira e angústia, porque é um trabalho tão difícil sempre andar num estado de anulação perante o superior, e deixar o superior fazer o que Ele quiser com ela.

A pessoa está pronta para se anular de qualquer maneira. Ela não pode ajudar o superior como nos níveis de sucção (Yenika) e grandeza, mas está pronta para se anular totalmente diante do superior e dar-Lhe o seu corpo e alma para ser corrigida.  E isso é chamado de Ibur (gestação), que é a menor restrição possível, o primeiro grau da existência espiritual. Nós não devemos nos desesperar, juntos vamos alcançá-lo!

Da Preparação para a Lição Diária de Cabalá 11/02/14

Comente