Não Passe O Trono Para O Ego

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam, “Introdução ao Livro do Zohar“, Item 11: Pois o corpo, que é o desejo de receber para si mesmo, estende-se desde a sua raiz no Pensamento da Criação, através do sistema dos mundos impuros, como está escrito: “e [de] um jumento selvagem um homem vai nascer” (“Jó” 11, 12). E ele permanece sob a autoridade desse sistema durante os primeiros 13 anos de idade, que é o tempo da corrupção.

E ao se envolver em Mitzvot dos treze anos em diante, a fim de dar satisfação ao seu Criador, ele começa a purificar o desejo de receber para si mesmo impresso nele, e lentamente transforma-o a fim de doar. Com isso, ele estende a alma santa de sua raiz no pensamento de criação. E ele passa através do sistema dos mundos puros e se veste no corpo. Este é o período de correção.

Os “13 anos” que o Baal HaSulam fala se refere a algo que não tem nada a ver com o nosso mundo. Em nosso mundo a pessoa não é considerada adulta aos 13 anos de idade, mas sim um bebê que ainda é operado por seus instintos naturais. Nós não esperamos que ela aja de forma racional e entenda o que faz ou esclareça profundamente suas ações. Assim, não há leis que ela deva obedecer.

Mas na espiritualidade é um conceito totalmente diferente, e se refere a uma pessoa que tem que completar o seu trabalho nos níveis anteriores. Ela anseia pela meta e quer alcançá-la pelos diferentes meios recebidos, e constantemente adquire os vasos negativos em contraste com seus vasos positivos. Mas de tempos em tempos ela descobre o maior domínio do sistema de ABYA de impureza que ela supera e não o deixa governar. Mas, então, ele surge ainda mais forte do que antes, e mais uma vez a pessoa não o deixa governar…

Uma pessoa realmente avança por dois sistemas, uma vez que não seria capaz de distinguir o sistema de impureza sem o sistema de Santidade. Por isso, é o sistema de impureza que na verdade a governa ao longo do caminho.

Assim, nós estamos sob a influência do sistema de impureza, a casca, durante a primeira fase do nosso avanço para a espiritualidade. O desejo espiritual para receber a fim de receber cresce constantemente nesses mundos, e a pessoa sente o seu domínio crescente. Ela não apenas o sente, mas o sente em relação à conexão e garantia mútua. Todos os nossos discernimentos são em relação ao vaso único, à reconexão em um homem como era antes da quebra dos vasos. É para isso que somos atraídos em nossa correção e, consequentemente, recebemos diferentes endurecimentos do coração, o que significa que as Reshimot (reminiscências) são reveladas uma a uma, em formas mais pesadas de intenção a fim de receber.

Isso continua até chegarmos ao estado de “deleitar o Criador”. Quando a pessoa é capaz de deleitar o Criador é um sinal do próximo estado, ou seja, que ela já está em algum nível de equivalência de forma com Ele por estar sob a influência dos sistemas dos mundos de BYA de santidade.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 01/01/14, Escritos do Baal HaSulam

Comente