Sem Apoio

Dr. Michael LaitmanPergunta: Eu me sinto mal. Não sei quem sou. O Criador criou o ego, a inclinação ao mal. Portanto, onde está o meu verdadeiro eu?

Resposta: A verdade é que, a certa altura, o meu eu ordinário simplesmente desaparece. Antes eu costumava me sentir estável, tudo estava bem, e agora é como se eu estivesse flutuando no ar, sem qualquer apoio: “Quem sou eu? O que eu sou?”.

Talvez seja bom. Talvez eu finalmente comece a perguntar no que se baseia a minha vida.

Pergunta: Seria bom se eu recebesse uma resposta.

Resposta: Mas, pelo menos eu sei que meu estado anterior era fictício. Agora eu tenho a esperança de superar tudo e chegar à verdade.

Pergunta: Mas no que eu posso me agarrar?

Resposta: Não há nada para se agarrar. Eu sequer acho que ainda vale a pena se agarrar em alguma coisa. Eu tenho que aproveitar o fato de que estou “pairando no ar”. Este é o verdadeiro ponto, o momento da verdade: eu não tenho nada, nada para me agarrar. Por mais que eu tente me agarrar em algo, me pendurar em alguma coisa, encontrar um lugar seguro sob a proteção de alguém, é tudo mentira. Eu prefiro flutuar no ar a viver numa mentira.

Assim, no ar, aos poucos vou começar a sentir que toda a minha realidade tem uma base totalmente diferente. Eu não tenho mais que pegar alguma coisa de fora, mudar meu ponto de vista, adotar certa abordagem filosófica, ansiar por determinado objetivo… Não, eu preciso olhar para algo que não está neste mundo e que é totalmente independente. Aqui eu preciso olhar para a força de doação: o que pode ser ela? Em que dimensão eu existo?

Eu não posso fazer essa transição interna e, depois, tudo muda.

Da 4ª parte da Lição Diária de Cabalá 25/11/13, Escritos do Baal HaSulam

Comente