O Indisciplinado Neto Do Faraó

Pergunta: Por que é que toda vez que o nosso grupo dá um grande passo em frente para um novo estado qualitativo, há pessoas que não conseguem e que não podem dar esse passo à frente e, portanto, ficam para trás?

Resposta: Não é que elas não podem dar um passo em frente, mas que elas não podem justificar a ação da providência superior em si. Uma pessoa é retirada da massa da humanidade por fórceps e lhe é dada tratamento espiritual pessoal. É como o bebê Moisés ter sido retirado do Nilo na cesta e levado para a casa do Faraó. Lá, ele estava sendo bem cuidado, e seu ego desenvolvido intencionalmente. A ele foi ensinada a sabedoria da Cabalá e lhe foi dito quão bom ele era e que ele foi selecionado e era mais especial do que qualquer outra pessoa.

Ele se sentiu bem, até que surgiram problemas diferentes. Ele começou a agir incorretamente de acordo com o ego dele, o que significa que “mata o Egípcio” nele, e é onde começam suas andanças. Pode parecer estranho que um príncipe mate seu subalterno, um egípcio simples, mas é um sinal de que ele já não é leal ao Faraó e não se adere a ele. Então, ele deve fugir e escapar para o deserto. Ele vai para Jetro e permanece com ele durante quarenta anos. Depois de ser criado e educado na casa do Faraó por quarenta anos, ele continua a estudar mais de quarenta anos na casa de Jetro, sacerdote de Midiã.

Este é o processo evolutivo que devemos percorrer, pois caso contrário você não estará pronto para retornar ao Faraó e confrontá-lo de uma posição igual, em pé em linha reta ante ele. Sem isso, você não será capaz de suportar as dez pragas e sentir que é o Faraó quem recebe cada uma e não você. Moisés, que retorna de Jetro, já é totalmente diferente do Faraó. Ele não pertence mais à casa do Faraó, mas sim ao povo de Israel, e ele já exige, “Deixe meu povo sair!” Faraó se transforma em um inimigo.

Moisés aprende essa abordagem de Jetro, o grande sacerdote de Midiã. Ele deve conectar-se ao conceito de Jetro, casar com sua filha, Ziporá, e ter filhos. Todo esse processo parece muito complicado de um olhar externo. É difícil entender o que todas essas dificuldades são: a luta entre a má inclinação e a Torá que é o meio para sua correção e em seguida a saída para a espiritualidade. Não é um processo simples.

Estes são processos que cada alma quebrada e corrupta deve percorrer para ser corrigida e purificada. Então, as pessoas sobem e descem. Alguém cai ao longo do caminho, e outro pula para cima. É verdade, mas não entendemos o que está acontecendo. A única coisa que podemos fazer é manter a calma e suportar. Só a paciência pode ajudar-nos aqui, e falo por experiência própria. Estou naturalmente muito impaciente, mas estou pronto para ser paciente aqui, porque é o único meio que pode ajudar.

Da 2ª parte da lição diária de Cabalá 06/12/13, Escritos do Rabash.

Material Relacionado:
Os “Estrangeiros” do Nosso Mundo
A Paciência É A Qualidade Mais Importante
A “Escola” De Jetro

Comente