Eu Posso Sair Do Exílio Pela Aduana?

Dr. Michael LaitmanBaal HaSulam , “Exílio e Redenção”: O Criador, evidentemente, mostra-nos que Israel não pode existir no exílio e não encontrará descanso, como o resto das nações que se misturaram entre si e encontraram descanso, e assimilaram umas às outras até que nenhum vestígio fosse deixado delas.

Em última análise, um caminho errado nos leva a um beco sem saída e à realização do mal. Nós ainda teremos que revelá-lo, mas de preferência através do estudo da sabedoria da Cabalá, atraindo a Luz que Reforma e descobrindo com antecedência o mal internamente, antes dele se manifestar no nível material. Assim, nós podemos avançar como um homem prudente, que olha para frente. Então, conforme a revelação do mal, somos capazes de sair dele.

Mas aqui temos um grande problema. Afinal de contas, não estamos numa posição neutra; temos estado num exílio muito difícil, na ocultação mais difícil, por milhares de anos. Nós mergulhamos em pensamentos e fantasias irreais, desejos irreais. Nós trocamos os estados de Lishma e Lo Lishma pela imunda Klipa, e nos encontramos sob o domínio das “nações do mundo”. Em outras palavras, estamos sob o domínio de vários cálculos egoístas dos quais não podemos nos livrar e que não estamos sequer conscientes.

Hoje, a Torá e os mandamentos não são um “tempero” para a inclinação ao mal entre as pessoas. Embora a Torá seja o método de correção do egoísmo, nós usamos algo mais sob o mesmo nome, aumentando o egoísmo, em vez de corrigi-lo.

É um sinal de exílio e ninguém é culpado. Este é um processo, e nós temos que finalmente realizá-lo, a fim de não mais nos justificarmos e entendermos o que os grandes sábios escrevem sobre a nossa condição atual.

Nós precisamos esclarecer o exílio: O que ele é? Qual é a sua essência? Se eu compro uma passagem e voo para Israel, eu posso dizer que voltei do exílio? E se estou indo para a América, eu vou voltar para o exílio? Trata-se apenas de cruzar a fronteira?

Nós precisamos de definições precisas e autênticas do exílio e da redenção. Baal HaSualm escreve no artigo “Isso É Para Judá”: …todas as letras da redenção estão presentes no exílio, exceto “Aleph”, uma vez que esta letra indica o “Aluph (Campeão) do mundo”.

Isso nos ensina que a forma de ausência não é senão a negação da presença. E nós sabemos que a forma da presença, da redenção, a partir do verso, “E não ensinará mais cada um a seu próximo, …porque todos Me conhecerão, do menor até o maior deles”. Por isso, a forma da ausência anterior, ou seja, a forma do exílio, é apenas a ausência do conhecimento do Senhor. Esta é a ausência do Aleph, o qual está ausente na Gola (exílio), e presente na Geula (redenção), a Dvekut com o “campeão do mundo”.

A sabedoria da Cabalá é o método de redenção, o método da revelação do Criador aos seres criados. É impossível conseguir sem este método. E quem é contra ele não sabe a definição, não entende por que precisávamos ir para o exílio, ou como voltar à redenção. Ele não entende o propósito da sabedoria da Cabalá, que é necessária para a revelação do Criador ao ser humano neste mundo; assim, o resgate é realizado.

Assim, a “terra de Israel” é o desejo no qual o Criador reside. Em outras palavras, o desejo corrigido pela intenção de doar só é possível através da Torá, a Luz que Reforma.

Primeiro nós somos governados pelo desejo das “nações do mundo”, e quando o corrigimos, ele se torna o desejo voltado diretamente para o Criador (Yashar-El), a “terra de Israel”. Quem quer que tenha corrigido o seu desejo desta forma é chamado de “judeu” (Yehudi), uma vez que chega à unidade (Yihud), à adesão com o Criador, e revela a Força Superior no desejo corrigido. E isso deve acontecer aqui enquanto nós existimos neste mundo. Nós não vamos alcançar nada após a morte.

Tudo isso deve estar claro para as pessoas, e daí nós podemos falar sobre redenção. Até então, o retorno físico à terra de Israel demonstra que não mudamos nem um pouco, e até mudamos para pior. De fato, a verdadeira diferença se manifesta numa pessoa que se corrige.

Portanto, como o Baal HaSulam explica, não vamos chegar a uma vida plena, segura e feliz, se não chegarmos à redenção interior. Afinal, o interno precede o externo.

Da 4a parte da Lição Diária de Cabalá 01/12/13, Escritos do Baal HaSulam

Comente