Construir a Divindade

Dr. Michael LaitmanUm  vaso espiritual não é apenas uma soma de todos os corações, mas uma nova entidade que temos de construir a partir de nossas aspirações compartilhadas,  esforço e trabalho com relação a alguma nova qualidade que não existia antes.

Isto é o que nós chamamos o centro do grupo: a soma de todos os esforços, “Divindade” (Shechiná), o lugar onde todos os olhos se encontram e para onde todas as intenções são direcionadas. Esta é a área que desenvolvemos; aumentamo-la o tempo todo cuidando dela como algo precioso para nós.

Esta área particular Divindade (Shechiná) não existe até que se juntem todas as nossas intenções numa só. Só então é que tal lugar será criado, nascido, e o Criador revelado nele. E até então, a Shechiná permanecerá no exílio.

Esses conceitos de “Shechiná em Exílio” e “Santa Shechiná“são dois graus, que são completamente independentes um do outro. É por isso que temos apenas de ver o centro do grupo em cada ação, a unificação de todas as nossas expectativas, e a intenção de construir a Santa Shechiná a partir daqui. Todo mundo se esforça para doar aos outros, e quando todas estas intenções se aproximam, elas formam esta área especial.

Se nós não temos nenhuma intenção de doar aos outros, mas um objetivo completamente diferente, para usá-los para o nosso próprio prazer, então cada um de nós está se afogando em amor-próprio, no egoísmo. Neste caso, não há Shechiná no exílio, não há Shechiná em nada, este lugar não existe mesmo. Ele começa a formar-se apenas quando algumas pessoas que podem pensar “fora de si” se juntam.

Se muitas pessoas fracas com intenções instáveis ​​que vêm e vão ou um número menor de pessoas fortes com intenções mais qualitativos ficam juntos, então é possível falar sobre a construção da Shechiná . Nós adicionamos a nossa mútua intenção de doação e a partir daí podemos doar ao Criador.

Estamos a preparar um lugar para a Sua revelação, não para o nosso prazer, mas porque nós queremos que Ele seja revelado por forma a Ele receber prazer, de acordo com o princípio “Israel, a Torá e o Criador são um.” A partir deste mútuo interesse, “cada homem deve ajudar seu amigo “, podemos sentir dia após dia como construímos este corrigido vaso chamado a Shechiná .

A Shechiná é construída a partir de  Malchut,  que é corrigida pelas propriedades de Bina. Malchut é o desejo de desfrutar, a propriedade de Bina é a intenção de doar. A Shechiná é criada quando todos nos unimos acima dos nossos desejos pessoais, aspiramos a doação mútua, para o nosso objetivo, e para o Criador através disso, porque nós conetamo-nos para doar a Ele.

Em grupos de educação integral, a meta desejada e unir, e isso é tudo. Mas num grupo Cabalistico, temos de ir até ao fim, “Regressa, Israel ao teu Criador,” e avançar para a meta com esta intenção.

Podemos alcançá-la somente sobre a condição que elevamos a meta tanto que ela brilha sobre nós e nos parece importante. Ou nos preocupamos com ela, com certo momento crítico que decide o nosso destino, ou o valorizaremos tanto que isso nos vai convidar para irmos. Ambos estes funcionam para a mesma meta.

Precisamos constantemente de verificar se cada dia sentimos uma atracção crescente para a meta e usamos isto para nos medirmos a nós mesmos. Não temos outro critério de avaliação. Preocupamo-nos com a nossa conexão em doação recíproca em prol de construir um sistema de doação direccionado ao Criador, para O permitir se revelar e O agradar com nossos esforços?

O sistema da nossa doação é chamado Shechiná. A força superior chamada o Criador é revelada nas nossas intenções altruístas se encontrarmos as primeiras condições mínimas para a Sua revelação, ou seja, se alcançarmos o grau de “Nefesh de Nefesh de Nefesh.” Assim, entramos no primeiro grau espiritual: “Embrião (Ibur)” e começamos a existir no mundo superior.

[122436]
Da Preparação para a Aula Diária de Cabala 12/6/13

Comente